Fanfics
Seja bem vindo(a) ao Fórum Fanfiction.
Aqui você pode ler, escrever, comentar, jogar, fazer amigos e muito mais!
Então... o que está esperando? Se cadastre e comece a diversão! Very Happy

A Luz do Amanhecer

Ir em baixo

A Luz do Amanhecer

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 2:48 pm



Sinopse: Uma nova ameaça ronda os Cullen... Jacob e Nessie são obrigados a se separar quando ela é apanas uma criança e nutre um inocente amor por seu amigo Jake. Os anos passam e os Cullen finalmente voltam para seu antigo lar e é ai que a não mais tão inocente Nessie se descobre perdidamente apaixonada seu amigo de infância... Jake decidi se declarar para sua Nessie, no entanto novos obstáculos se colocam entre o casal, mas eles farão tudo pelo amor.


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:05 pm, editado 16 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

O começo

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 7:43 pm

POV BELLA

“Afeição pessoal é um luxo que você só pode ter depois que todos seus inimigos forem eliminados. Até então, todos que você ama são reféns, enfraquecendo sua coragem e corrompendo sua opinião.”

Assim que abri meus olhos vi tudo tão claro, antes eu não podia ver nada assim, é tudo tão exato. Sentei-me e vi todos os Cullens, menos a Rosalie.

– Amor?- Edward perguntou em um tom calmo e baixo. - Bella, meu amor? Desculpe-me, sei que tudo é novo para você. Mas tudo está bem -

Esse “tudo bem” inclui a Renesmee?Tentei me lembrar de seu rosto, mas as memórias humanas são muito escuras. Enquanto eu pensava por um pedaço de segundo, Edward estendeu sua mão e acariciou meu rosto com a ponta de seus dedos. Seu toque pareceu varrer minha pele, somos da mesma temperatura agora.

Sou uma vampira recém-nascida, a dor seca em minha garganta prova isso, emoções e desejos humanos voltariam mais tarde, mas tenho que ter paciência... Enquanto a mão de Edward corre pelo meu rosto o desejo corria pelas minhas veias secas.

Ele arqueou uma sobrancelha, esperando que eu fale. Mas me levantei e atirei meus braços em volta dele, pressionei meu rosto no seu peito liso. Ele inclinou-se para longe do meu abraço. Encarei seu rosto, confusa e assustada pela rejeição.

– Hum… cuidado, Bella. Ai. -

Retirei meus braços e os entrelacei atrás das minhas costas, me dando um abraço. Assim entendi que eu sou muito forte.

– Ops - murmurei.

Ele sorriu.

– Não entre em pânico - ele disse levantando sua mão para tocar meus lábios - Você só é um pouco mais forte do que eu, no momento - Sou mais forte que o Edward.

Sua mão acariciou minha bochecha novamente. Cada nova sensação me distraía. Lembrei-me de Edward dizendo que sua natureza, a nossa espécie, é facilmente distraída e eu podia perceber porquê.

Com muito cuidado, tirei meu braço direito de trás das minhas costas e levantei minha mão para tocar sua bochecha. Eu me recusei a me distrair pela cor da minha mão cor ou pela boa seda da sua pele ou pelo movimento da ponta dos meus dedos.

Fitei seus olhos e falei pela primeira vez. - Eu te amo - não reconheci minha voz, pois ela soou como cantado.

Seu sorriso ofuscante me respondeu como nunca. - Como eu te amo - ele disse.

Ele colocou suas mãos entre meu rosto e inclinou o seu sobre o meu lentamente, mas o suficiente para me lembrar de ser cuidadosa e me beijou suavemente como um murmúrio de início e de repente começou a ficar mais forte, feroz. Como se ele nunca tivesse me beijado, na verdade ele nunca me beijou desta forma antes. Percebi que o jeito que eu estava curvada perto de Edward não é educado para companhia. Com vergonha me afastei.

Ele riu e foi para perto de mim, e apertou seus braços em minha cintura. Seu rosto estava brilhando, respirei desnecessariamente para me acalmar. Li sua expressão como a comparação das memórias confusas de humana para essa clara e intensa sensação. Ele pareceu… um pouco orgulhoso.

– Você tem me evitado - Acusei, meus olhos se estreitaram um pouco.

– Foi meio que necessário na época - Ele me lembrou. - Agora é sua vez de não me quebrar - ele riu de novo.

Fiz uma careta, quando percebi que Edward não era o único rindo.

Carlisle caminhou em direção à mim rapidamente.

– Como você está se sentindo? - Carlisle perguntou.

– Bem... mas também sobrecarregada, tem tanta coisa…– parei, escutando o tom de minha voz.

– Sim, pode ser bem confuso -

Balancei a cabeça de modo bobo - Me sinto eu mesma. Meio que não esperava isso -

Os braços de Edward apertaram despreocupadamente minha cintura. - Eu te disse -

– Você está controlada - Carlisle refletiu. - Mais que eu esperava, mesmo com o tempo que você teve pra se preparar mentalmente -

Pensei nas mudanças de humor, dificuldade de concentração e suspirei. - Não tenho tanta certeza assim -

– Parece que a morfina deu certo. O que você lembra sobre o processo de transformação? -

– Tudo era… muito escuro. Me lembro que o bebê não podia respirar… -

Olhei pra Edward, rapidamente horrorizada com a memória.

– Renesmee é saudável e está bem - Edward disse seu nome com um entusiasmo pacificado

– O que você lembra depois disso? -

– Difícil de lembrar. Era tudo tão escuro. E aí… abri meus olhos e podia ver tudo -

– Impressionante - Carlisle suspirou.

Não quero contar nada pro Carlisle, pois se algum dia ele tivesse que criar outro vampiro não seria razoável.

– Quero que você pense e me conte tudo o que lembra - Eu não queria ter que continuar mentindo. - Oh, sinto muito Bella. Claro que sua sede deve estar desconfortável. Essa conversa pode esperar - Carlisle se desculpou imediatamente.

A suposição de Carlisle havia trazido a queimação pra primeiro plano.

Edward deixou seus braços caírem e pegou minha outra mão, puxando-a gentilmente. - Vamos caçar -

Ele leu o medo na minha expressão e sorriu tentando me encorajar. - É fácil, amor. Não se preocupe, vou lhe mostrar - Ele deu um sorriso torto e levantou seus olhos. - Estava com a impressão que você sempre quis me ver caçar -

Ri sem humor, mas suas palavras me lembraram de nossas conversas humanas. Não quero esquecer um minuto que eu gastei com Edward, desejei ter certeza que minhas memórias humanas estariam plantadas dentro da minha mente de vampira.

– Vamos? - Edward perguntou. - Eu não quero que você se machuque - ele adicionou com um murmuro baixo.

– Estou bem - disse com o persistente hábito humano. - Espere. Primeiro -

– Sim? - Carlisle que disse agora.

– Eu quero ver a Renesmee - Foi curiosamente difícil de dizer o nome dela. Minhas mãos soltaram-se das de Edward, e caíram sobre meu estômago.

Agarrei a seda que cobria a minha pálida pele. Tudo o que eu sabia era amar aquela pequena dentro de mim. Enquanto eu enfrentava a minha confusão, vi Edward e Carlisle trocando palavras rápidas.

– O que? -

– Bella - Edward disse me tranquilizado. - Isso não é realmente uma boa ideia. Ela é meio humana, amor. Enquanto sua sede não estiver sob controle… Você não vai querer colocar sua filha em perigo, não é mesmo? -

– Onde ela está? - me concentrei em escutar, e então pude ouvir o coração batendo no andar debaixo… E o som do coração era tão úmido e atraente que minha boca começou a se encher de água. - Rosalie está com ela? -

– Sim - Edward respondeu em um tom cortante. A hostilidade tinha voltado? Antes que eu pudesse perguntar, ele afastou as mãos do meu estômago, puxando-as gentilmente para longe.

– Espere - protestei outra vez. - E o Jacob? Charlie? Diga-me tudo o que eu perdi. Por quanto tempo eu fiquei… Inconsciente? O que há de errado? - murmurei.

– Nada está errado - Carlisle me disse. - Na verdade, nada mudou, você ficou ausente só por pouco mais de dois dias. Foi muito rápido, considerando como essas coisas funcionam. A injeção de veneno direto no seu coração foi ideia dele - Ele parou para sorrir orgulhoso de seu filho. E então suspirou. - Jacob ainda está aqui, e Charlie ainda pensa que você está doente. Ele acha que você está em Atlanta agora, fazendo exames no CCD (Centro de Controle de Doenças). Nós demos a ele o número errado, e ele está frustrado -

– Eu devia ligar para ele… - murmurei para mim mesma. E então a surpresa anterior me invadiu. - Espera aí, Jacob ainda está aqui? -

– Bella - Edward disse rapidamente. - Há muito que discutir, mas devemos cuidar de você primeiro. Você deve estar com dor… -

– Mas, Jacob -

– Nós temos todo o tempo do mundo para explicações, amor - ele me lembrou gentilmente.

– Certo -

– Espera, espera, espera - Alice cantou da porta. - Você prometeu que eu podia estar presente na primeira vez! -

– Alice! - Edward protestou.

– Só vai levar um minuto! - E dito isso, Alice saltou para fora do quarto.

Edward suspirou.

– Do que ela está falando? -

Mas Alice já estava de volta, carregando o espelho chapeado do quarto de Rosalie, que tinha quase duas vezes a altura dela, e várias vezes a largura.

– Edward me passou um sermão por não ter feito você se olhar no espelho antes do casamento - Alice disse.

– Sermão? - Edward perguntou a ela levantando levemente sua sobrancelha.

– Talvez eu esteja exagerando as coisas… - Ela murmurou baixinho enquanto virava o espelho para mim.

– E talvez isto tenha a ver com sua gratificação sexual - Ele reagiu.

Minha primeira reação foi de um prazer impensável. A criatura no espelho é linda, tão bela quanto Alice ou Esme. Sua face sem falhas era pálida como a lua contra as sombras negras de seus cabelos. Sua pele cintilava e iluminava como uma pérola. Minha segunda reação era de horror.

– Os olhos? Quanto tempo? - Sussurrei incapaz de dizer meus olhos.

– Vão se escurecer em alguns meses. Sangue animal se dilui mais rápido que uma dieta com sangue humano. Vão ser cor âmbar primeiro e depois dourados - Disse Edward.

– Meses? - Minha voz estava mais alta. No espelho, as sobrancelhas se levantaram incrivelmente sobre seus olhos brilhantes.

Jasper deu um passo para trás, alerta diante de minha intensa e súbita ansiedade. Ele sabia de jovens vampiros muito bem, esse passo para trás foi um presságio que ele teve diante de minha situação?

Ninguém respondeu minha pergunta. Respirei fundo outra vez.

– Não, estou bem - Meus olhos se olharam fixamente no estranho do espelho. - É apenas… apenas… muito para acreditar… -

A testa de Jasper brilhou mostrando suas duas cicatrizes sobre seu olho esquerdo.

– Eu não sei - Edward murmurou.

– Que pergunta perdi?-

Edward sorrindo disse - Jasper se pergunta como você faz isso -

– Faço o que? -

– Controla suas emoções - Jasper respondeu.

– Eu nunca vi um recém-nascido fazer isso, parar uma emoção daquele jeito. Você estava chateada, mas quando se concentrou, controlou a si mesma. Eu estava preparado para ajudar, mas você não precisou -

– Isso é errado? - Perguntei.

– Não - Jasper respondeu.

Edward acariciou sua mão sobre meu braço como se tivesse me incentivando a ficar calma. - É impressionante Bella, não podemos entender. Não sabemos até onde pode ir -

– Mas o que você acha? - Alice perguntou impacientemente apontando para o espelho.

– Não tenho certeza - Consenti, não querendo admitir o quão assustada estava.

Edward Suspirou. Virei desviando o olhar dela para olhá-lo, levantando uma sobrancelha.

– Desapontado? - Perguntei, com uma voz calma.

Ele sorriu - Sim - E admitiu.

Segurou seus braços fortemente em torno de mim, pressionando seus lábios em minha bochecha. - Esperava ler sua mente. E aqui estou eu, tão frustrado quanto sempre, imaginando o que possivelmente estaria se passando dentro de sua cabeça - ele murmurou.

– Oh, bem - disse aliviada que meus pensamentos ainda eram meus. - Acho que meu cérebro nunca trabalhará direito. Pelo menos, sou bonita -

Edward rosnou em meu ouvido. - Bella, você nunca foi simplesmente bonita -

Seu rosto virou do meu, e ele acenou com a cabeça. - Tudo bem - ele disse.

– O quê? - perguntei.

– Você está deixando o Jasper mais nervoso. Ele talvez relaxe quando você caçar -

Eu olhei para a expressão do Jasper e concordei.

– Tudo bem, vamos caçar - concordei, tirei os braços de Edward do meu redor, mantendo uma de suas mãos.


Última edição por ArielleAB em Ter Jul 31, 2012 12:17 am, editado 8 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 7:54 pm

eu bem q qria msgs, faze oq? é a vida Sad


Última edição por ArielleAB em Ter Maio 15, 2012 9:33 pm, editado 4 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

A caça

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 7:57 pm

– Pela janela? - Perguntei.

– Sim, é o mais conveniente. Renesmee e Jacob estão lá em baixo... Se você está com medo, posso te carregar -

– Oh... E Renesmee… ok… com Jacob lá? - Murmurei. Ouvi com atenção, mas tudo que eu podia ouvir era um pulso constante. - Ele não gosta dela -

– Acredite, ela está perfeitamente a salvo. Sei exatamente o que Jacob está pensando -

– É claro - Murmurei.

– Com medo? -

– Um pouco. Não sei como… -

– Fique de olho em meus movimentos - Edward disse. E depois ele pulou para fora da alta janela que estava aberta.

Olhei cuidadosamente. O som dele pousando foi muito baixo. Concentrei-me e copiei seu movimento. Meu pouso pareceu quieto para ele. Sorri de orelha a orelha.

– Certo. Isso foi muito fácil -

Ele sorriu de volta. - Bella? -

– Sim? -

– Isso foi muito gracioso mesmo para uma vampira - Ninguém riu, então é verdade.

– Obrigada - disse a ele.

Tirei os sapatos prateados dos meus pés e arranquei seus saltos.

– O senso de moda dela não está melhorando muito o seu equilíbrio - Alice resmungou.

Edward pegou minha mão e se jogou entre o quintal até a entrada da floresta. Tudo parecia muito simples, fisicamente. Andamos até entrarmos na floresta.

– Siga-me… - ele riu e começou a correr.

Comecei correr logo após o Edward e assim pude finalmente entender porque ele nunca bateu nas arvores quando corria uma questão que sempre havia sido um mistério pra mim. A floresta estava muito mais viva que eu algum dia soube. Passei ele em questões de segundo.

– Bella - ele chamou secamente. Ele havia parado.

Girei e pulei ligeiramente para o seu lado. Ele estava sorrindo, com uma sobrancelha erguida. - Você quer ficar no país? Ou está planejando ir ao Canadá esta tarde? - ele perguntou, se divertindo.

– Aqui está ótimo. O que nós estamos caçando? -

– Alces. Tem que ser algo mais fácil para sua primeira vez… - Ele baixou a voz quando meus olhos se estreitaram na palavra fácil.

– Aonde? - Perguntei, procurando nas árvores.

– Fique quieta por um momento - disse, colocando suas mãos em meu ombro. - Feche seus olhos - ele murmurou. Assim que os fechei, ele acariciou as maçãs do meu rosto.

– Ouça - Ele instruiu. - O que você está ouvindo? - Havia um espaço aberto perto de nós e um pequeno córrego e lá, perto do barulho da água, eu pude ouvir línguas dentro da água, junto ao barulhento estrondear de corações pesados… Senti como se minha garganta tivesse fechado bruscamente.

– Ao noroeste? - Perguntei com os olhos ainda fechados.

– Sim - O seu tom foi de aprovação. - Espere pela brisa e… o que você sente? -

Foquei meu olfato em direção à água e encontrei o cheiro que deveria ter ido embora com o marulhar da água, as batidas do coração. Enruguei o nariz.

Ele riu. - Demora um tempo pra acostumar -

– Três? - perguntei.

– Cinco. Dois nas árvores atrás deles -

– E o que faço? -

A voz dele fez com que parecesse que estava sorrindo. - Que quer fazer? -

Pensei nisso enquanto escutava e respirava o cheiro. Meus olhos se abriram.

– Não pense, somente siga seus instintos - ele sugeriu enquanto tirava as mãos do meu rosto.

Deixei-me ser levada pelo cheiro. E meu corpo assumiu meus movimentos. Meu corpo se virou para frente automaticamente e eu consegui ver um macho grande, e as sombras dos outros quatro, indo na direção leste para a floresta num ritmo despreocupado.

Concentrei-me no cheiro do macho e me preparei para o primeiro ataque.

Mas quando meus músculos se flexionaram, o vento mudou vindo agora do sul. Saí rapidamente das árvores assustando o alce para dentro da floresta. Procurei por algo que não fosse completamente repugnante pra minha sede. Havia uma pista de algo, uma fraca impressão para o leste…

Me virei e me lancei na direção do leste. O som ficava mais alto, crescendo poderoso, assim como a trilha que eu seguia. Automaticamente eu subi em uma árvore, ganhando a estratégica posição mais alta, metade da altura de um alto e prateado abeto.

Meus olhos localizaram o movimento ligado ao som e eu vi a pele marrom-amarelada do leão, um pouco mais abaixo e a esquerda do meu posto. Captei o cheiro de algo menor, perto da minha presa, acovardada debaixo da árvore. A cauda do leão se balançava bruscamente quanto ele se preparava pra saltar.

Com uma leve hesitação, pulei e aterrissei no galho dele. Ele sentiu a madeira estremecer e se virou, rugindo surpreso e desafiador. Meio-louca de sede, ignorei as presas expostas e as unhas afiadas e me lancei nele, jogando nós dois no chão.

Suas unhas arranhando podiam ter sido dedos carinhosos pelo impacto que deixaram na minha pele. Seus dentes não tinham utilidade no meu ombro ou na minha garganta. Meus dentes procuraram sem erro sua garganta, e a resistência instintiva dele era pateticamente fraca contra minha força. Minhas mandíbulas se fecharam precisamente sobre o ponto onde o calor era maior. Era fácil como morder manteiga. Meus dentes eram navalhas de aço, eles cortaram a pele e a gordura e tendões.

O sabor estava errado, mas o sangue era quente e úmido, e acabou com a áspera, ardente sede enquanto eu bebia. A luta do gato se tornou mais fraca e seus gritos sufocaram com um gorgolejo. O calor do sangue irradiou em todas as partes do meu corpo, atingindo até mesmo a ponta dos meus dedos das mãos e dos pés.

O leão estava acabado antes de eu estar. A sede cresceu de novo quando ele ficou seco, e eu empurrei sua carcaça pra longe do meu corpo com repugnância. Como eu ainda poderia estar com sede depois disso?

Fiquei ereta em um movimento rápido. De pé, eu me dei conta que eu estava meio bagunçada. Eu limpei o meu rosto com as costas do meu braço e tentei arrumar o vestido. As garras que haviam sido tão ineficientes contra a minha pele tinham tido mais sucesso com o cetim.

– Hmm - Edward disse. Eu olhei pra cima e o vi apoiado casualmente contra o tronco de uma árvore, me olhando de forma pensativa.

– Eu acho que eu podia ter feito isso melhor - Eu estava coberta de sujeira, meu cabelo com nós, meu vestido manchado de sangue e pendurado em farrapos. Edward não vinha pra casa de viagens de caça parecendo desse jeito.

– Você foi perfeitamente bem - ele me assegurou. - É só que… foi muito mais difícil de assistir do que deveria ter sido -

Eu levantei minhas sobrancelhas confusas.

– Vai contra o meu extinto - ele explicou - deixar você lutar com leões. Eu estava tendo um ataque de ansiedade o tempo todo -

– Bobo -

– Eu sei. Velhos hábitos não morrem fácil. Eu gostei das melhorias do seu vestido, no entanto -

Eu mudei de assunto. - Porque eu ainda estou com sede? -

– Porque você ainda é jovem -

Eu suspirei. - E eu não suponha que tenha outro leão da montanha por perto -

– Muitos veados, no entanto -

Eu fiz uma cara. - Eles não cheiram tão bem -

– Herbívoros. Os que comem carne cheiram mais como os humanos - ele explicou.

– Não tanto quanto os humanos - eu discordei.

– Nós poderíamos voltar - ele disse solenemente, mas havia um olhar provocador.

– No entanto quem quer que esteja lá fora, se forem homens, eles provavelmente não se importariam se for você que estiver matando eles - O olhar passando por meu vestido rasgado novamente. - Na verdade, eles iriam pensar que eles já haviam morrido e ido pro céu no momento que eles vissem você -

Eu revirei meus olhos e inalei. - Vamos caçar uns herbívoros fedidos -

Nós encontramos um grande rebanho de cervos quando corríamos de volta pra casa. Ele caçou comigo dessa vez, agora que eu tinha pegado o jeito da coisa. Eu abati uma grande quantidade fazendo quase tanta sujeira quanto tinha feito com o leão. Ele tinha acabado com dois antes deu acabar com o primeiro, sem nenhum cabelo franzido, nem uma mancha na sua camisa branca. Ele perseguiu o assustado e espalhado rebanho, mas ao invés de se alimentar de novo, dessa vez eu assisti cuidadosamente para ver como ele era capaz de caçar tão limpo.

Todas as vezes que eu havia desejado que Edward não tivesse que me deixar pra trás quando ele caçava, eu havia estado secretamente um pouco aliviada. Porque eu estava certa que ver isso iria me assustar. Horrorizar. Que vê-lo caçar iria finalmente fazer com que ele parecesse um vampiro pra mim.

É claro, isso era muito diferente dessa perspectiva, com eu sendo uma vampira. Mas eu duvidei que mesmo meus olhos humanos perdessem a beleza aqui.

Era uma experiência surpreendentemente sensual ver Edward caçando. Seu salto suave era sinuoso como o ataque de uma cobra; suas mãos eram tão certeiras, tão fortes, tão completamente incapazes de deixar escapar; seus lábios cheios eram perfeitos enquanto eles se abriam sob seus dentes resplandecentes. Ele era glorioso. Eu senti um súbito choque de orgulho e desejo. Ele era meu. Nada poderia me separar dele agora. Eu era forte o suficiente para ser arrastada do seu lado.

Ele era muito rápido. Ele se virou para mim e encarou curiosamente a minha expressão de desejo.

– Não está mais com sede? - ele perguntou.

Eu dei de ombros. - Você me distraiu. Você é tão melhor que eu -

– Séculos de prática - Ele sorriu.

– Só um - eu o corrigi.

Ele riu. - Você acabou por hoje? Ou quer continuar? -

– Acabei - Eu me senti cheia, mas não tinha certeza de quanto mais líquido era necessário para me encher. Mas a queimação de minha garganta estava sossegada.

– Eu quero ver a Renesmee - eu disse.

Agora que a minha sede estava domada, minhas preocupações de mais cedo foram dificilmente esquecidas.

Ele estendeu sua mão, peguei-a, sua pele pareceu mais quente do que antes. Seu rosto estava levemente corado.

– Renesmee? - ele perguntou de maneira incerta, tentando se certificar do que eu mais queria naquele momento.

– Renesmee - eu concordei, lamentando, e me coloquei novamente em pé, puxando ele comigo.


Última edição por ArielleAB em Ter Jul 31, 2012 12:16 am, editado 5 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Imprinting

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 8:11 pm

- Me conte um pouco sobre ela! - exigi.
Ele ficou de frente para mim. - Ela tem seus olhos -
- Não mais, ela tem meus antigos olhos. O que mais? - Perguntei curiosa.
- Ela dorme durante a noite, mas não bebe nada que seja para bebês humanos. Ela prefere o sangue de animais, Carlisle tentou convencê-la do contrário, mas ela é muito esperta. Sua pele é impenetrável como a nossa. Ela tem um batimento cardíaco, embora seja mais rápido do que o de um humano comum, sua pele é mais quente do que a de um humano, embora ela ainda não fale, seus pensamentos são intensos -
- Ela dorme? - senti um pouco de inveja dela.
- Sim, como qualquer humano - Ele deu um sorriso assim que terminou a frase.
Ele pegou em minha mão e olhou fixamente em meus olhos.
- Me prometa que você não vai tentar morder nossa filha - fiquei revoltada quando ele me disse isso, mas um pouco feliz ao o ouvir dizendo nossa filha.
- Eu nunca faria nenhum mal a ela - Resolvi mudar de assunto porque não sei o quanto mais aguentaria. - Por que o Jake ainda está aqui? -
- Eu prometi ao Jacob que deixaria ele te explicar -
- Explicar o que? -
Ele balançou a cabeça negativamente. - Eu prometi. Vamos? - ele se virou ignorando minha pergunta.
- Não estou entendendo! - ele acariciou minha face e sorriu.
- O Jacob que irá te explicar. Vamos para casa!- Ele olhou o resto do meu vestido e desabotoou sua camisa branca e me vestiu com ela.
- Está bem, vamos - ele sorriu assim que terminei de abotoar a camisa. - Vou ganhar de você dessa vez -
- Prepare-se... -
Corremos rapidamente, Edward acabou me passando quando me distrai com a beleza da floresta. Quando nos aproximamos vi Jake segurando um homem estranho no gramado da casa dos Cullens, enfrente a entrada da floresta.
- Espere um pouco Jacob - Edward disse. - Talvez essa não seja a melhor forma -
- Você acha que seria melhor testar com o bebê? - Jake o interrompeu. Mas porque o Jake quer proteger Renesmee? Isso não faz nenhum sentido para mim...
Edward rosnou - Preste atenção seu...-
Jacob olhou para Edward. - Muito obrigado. Não tinha certeza que você ia conseguir esconder isso dela - ele disse.
- Talvez eu esteja esperando que ela se irrite e arranque seu coração - Edward sugeriu.
- Sobre o que ele prometeu? O que vocês estão escondendo de mim? -
- Explico depois - Jake disse. Ele fez com que o homem se aproximasse para que eu pudesse sentir seu cheiro. - Vamos Bella, ataque-o - Jake atiçou.
Não posso escapar da lógica, não posso machucar Renesmee.
- Vamos lá, respire - Jake disse novamente.
Fui para o lado do Edward - Me segure - pedi e automaticamente ele segurou-os. Travei meus músculos e comecei a respirar lentamente. Minha garganta começou a queimar.
Relaxei e respirei novamente. - É muito provocante o cheiro dele. Já o seu Jake, não é nada bom. Você fede! - Edward, Seth e Emmett riram em coro. Edward soltou meus braços e segurou minha cintura.
- Olha quem fala - Jake tampou seu nariz no mesmo momento.
Edward aproximou seu rosto do meu ouvido - Eu te amo - ele cochichou em meu ouvido.
- Fui aprovada, e quero saber o que vocês escondem de mim! - exigi.
Jake ficou com uma expressão nervosa - Não é nada que você precise se preocupar nesse momento - Jake disse.
- Renesmee - murmurei.
- Venha vê-la - Edward pegou em minha mão e me conduziu até a porta.
- Você vai me ajudar? -
- Claro -
Cada novo segundo uma nova expectativa de ver nossa filha, Renesmee. Mesmo com o que Edward me contou não tirou a expectativa de vê-la, me enchi de orgulho por ter uma filha perfeita, fruto do meu amor com o Edward, eu não poderia machucá-la.
- Ansiosa? - Edward perguntou em um tom calmo e baixo. Ele colocou sua mão direita na maçaneta, mas não a girou.
- Claro, quero vê-la. A coisinha que estava na minha barriga há poucos dias atrás -
- Você ainda é a mesma Bella que vi pela primeira vez - Edward disse em tom suave e meigo. - Chegamos - Ele disse abrindo a porta.
Pensei que tudo seria diferente, mas agora percebo que Edward ainda me ama como antes. Seu amor é o mesmo, ou até mais extenso.
- Te amo - Eu disse em um tom carinhoso. Ele ergueu sua mão esquerda e acariciou a maçã do meu rosto. Pensei inutilmente em corar, mas me lembrei de que vampiras não coram. Coloquei minha mão sobre a sua e a acariciei.
Antes de entrarmos escutei a pulsação constante do coração da nossa filha. Edward girou a maçaneta e entrou.
- Pode entrar amor - Edward estendeu sua mão e segurou na minha. Coloquei meu pé direito na casa e Jake se pôs na minha frente.
- Você tem certeza? - Ele disse a Edward, sua voz quase ordenando.
- O teste era aquele humano... Você já teve seu teste. Bella precisa ver nossa filha - ele deu ênfase na palavra nossa. - Saia da frente -
Jacob lançou um olhar frenético pra mim e não saiu da frente.
Edward rosnou. - Podemos? - disse em um tom calmo.
Jake segurou minha mão com força na dele e me guiou até os Cullens. Todos estavam sorridentes em uma linha e Rosalie estava um pouco atrás. Jacob soltou minha mão e parou um passo a frente dela. Alguém bem pequeno se inclinou para fora dos braços da Rosalie e espreitou pelo Jacob.
- Fiquei fora apenas dois dias? - a incerteza cobriu minha mente.
A criança que estava nos braços de Rosalie não tinha dias e sim meses. Seu cabelo de bronze formavam cachos até seus ombros, seus olhos cor de chocolate me olharam com interesse e eles não me pareceram com de qualquer outra criança e sim de um adulto, ciente e inteligente. Sua mão se esticou para mim por um instante, mas voltara para o ombro de Rosalie.
Não acreditei que ela era minha filha, mas havia meus traços em seu rosto e de Edward também. Até de Charlie em seus cachos, mas com a cor dos cabelos do Edward, difícil de acreditar.
- Sim é ela - Rosalie murmurou.
Os olhos de Renesmee ainda estavam fixos em mim, e como quando ela nasceu, ela sorriu para mim. Um relampejo de brilhantes dentes brancos.
Dei um passo, mas todos se moveram rápido demais, somente Alice que permaneceu no lugar. Emmett e Jasper ficaram em minha frente. Edward me segurou por trás, até Carlisle e Esme se moveram, ficaram ao lado de Emmett e Jasper. Jacob se moveu também, ficando na frente da Rosalie em posição de defesa. Rosalie ficou com a mão na porta e segurou firmemente Renesmee
- Deem crédito a ela. Ela não fará mal a ela - Alice os reprovou. Alice estava certa, eu não faria nenhum mal a ela. Eu estou sob controle, Renesmee tem a combinação perfeita dos dois mundos, a mais bela fragrância dos vampiros e a essência de comida mais deliciosa, mas há fragrância doce dos vampiros suficiente para que a do humano não tome conta de mim.
- Estou bem - disse dando um tapinha na mão de Edward. Hesitei e acrescentei - Fique perto só para garantir -
Quando Renesmee escutou minha voz ela se remexeu nos braços de Rosalie tentando me alcançar, ela estendeu seus braços para mim como se já soubesse quem eu era.
- Jazz, Em, deixe-nos passar - Edward disse.
Jasper se moveu comigo enquanto eu caminhava lentamente. A criança que estava nos braços de Rosalie começou ficar mais e mais irritada, deixou sair um alto, tocante choro. Todo o mundo reagiu como se eles nunca tivessem ouvido o choro dela.
Eles chegaram ao redor dela em um segundo, me deixando só. Parecia que todo o mundo tinha uma mão nela. Todo mundo menos eu. Rosalie entregou-a para o Jacob sem nenhuma confusão. Renesmee foi para o braço dele com bastante vontade, mas ela empurrou sua minúscula mão em sua bochecha.
- Viu? - Rosalie lhe falou. - Ela apenas quer a Bella -
- Ela me quer? -
Os olhos de Renesmee me fitaram impacientemente. Edward voltou para meu lado e colocou sua mão em meu ombro.
- Ela tem esperado por quase três dias amor - ele me disse.
Me aproximei um pouco mais. - Jake estou bem - Renesmee choramingou e se estendeu suas pequenas mãos se fechando em punhos de novo e de novo. Jacob deixou seus longos braços se esticarem para que eu pudesse pegá-la, mas ele não a soltou. Então, deliberadamente, ela alcançou meu rosto. No momento em que ela fez isso, todas as mãos em mim me apertaram, antecipando minha reação.
A mão de Renesmee caiu de meu rosto. Ela sorriu mais abertamente e suas covinhas apareceram.
- Me lembro de você também - eu disse a ela calmamente.
- Nós não experimentamos o suficiente por um dia? - Jacob perguntou. - Tudo bem, Bella está indo muito bem, mas não vamos forçar -
- Qual é o seu problema, Jacob? - reclamei. Eu puxei Renesmee facilmente contra sua posse e ele apenas deu um passo para mais perto de mim, Renesmee tocando a bochecha de nós dois.
- Somente porque eu entendo, não quer dizer que eu não boto você para fora, Jacob. Bella está extraordinariamente bem. Não arruíne o momento para ela - Edward falou em tom alto.
Estava estarrecida com isso, vendo-o encarar minha filha. Encarando-a como… Como se ele fosse um animal carnívoro vendo carne pela primeira vez.
- Não! - disse em um tom alto.
Edward me segurou e Rosalie pegou Renesmee no mesmo instante, e eu não tentei puxa-la de volta.
- Edward, eu não quero te machucar, então, por favor, me solte -
Ele hesitou.
- Pode ficar na frente da Renesmee -
E então me soltou.
Eu me inclinei na minha posição de caça e avancei dois passos lentos em direção ao Jacob.
- Você não... - rosnei pra ele.
- Não posso controlar -
- Seu vira-lata estúpido! -
Ele recuou pela porta da frente, enquanto eu andava na ponta dos pés até ele, meio correndo.
- Não é culpa minha Bella! -
- Eu a tive uma vez e você acha que tem um chamado lobo imbecil por ela? Ela é minha -
- Eu posso dividir - ele disse enquanto recuava.
- Pagando - escutei Emmett dizer atrás de mim.
- Como você se atreve a ter um imprinting por ela? Você perdeu a cabeça? -
- Não pensei que isso iria acontecer! - ele disse ainda recuando em direção as arvores.
Então ele não estava sozinho. Leah e Seth saíram da floresta como grandes lobos. Leah bateu os dentes pra mim.
Um rosnado assustador rasgou pelos meus dentes de volta pra ela.
- Bella, você podia ouvir por um segundo? - Jacob implorou. - Leah, pra trás - ele adicionou.
Leah levantou os lábios pra mim e não recuou.
- Porque eu devia escutar? - A fúria dominava minha cabeça.
- Porque você é a pessoa que me disse isso. Você disse que nós pertencíamos um ao outro, certo? Que nós éramos uma família. Assim… agora nós somos. É o que você queria -
- Você pensa que você será parte de minha família como meu genro! - Eu gritei.
Emmett riu.
- Pare-a, Edward - Esme murmurou.
- Não! - Jacob estava insistindo ao mesmo tempo.
- Como pode você mesmo vê-la dessa maneira? É apenas um bebê! - Eu gritei.
Além das palavras, eu guinchei um rosnado para ele.
- Incrível, não é? - Ouvi Edward murmurar.
- Ela não foi para sua garganta nem mesmo uma vez - Carlisle concordou chocado.
- Muito bem, você ganhou esta - disse Emmett rancoroso.
- Você vai ficar longe dela - Eu disse para Jacob.
- Não posso fazer isso! -
E disse através dos meus dentes: - Experimente. A partir de agora -
- Não é possível. Você lembra quanto você me queria há três dias? Como era duro se distanciar de mim? Isso acabou para você agora, não é? -
Meu olhar era penetrante, não era certo o que isso implicava.
- Essa foi ela - ele me disse. - Desde o início. Tivemos que estar juntos, mesmo assim -
- Fuja enquanto você ainda pode - eu ameacei.
- Ah, Bells! Nessie gosta de mim, também - insistiu ele.
- Do que você a… chamou? -
Jacob deu mais um passo para trás. - Bem - ele resmungou. - É que o nome que você sugeriu soa como uma espécie de… -
- Depois você apelidou minha filha de Monstro do Lago Ness? - Eu gritei.


Última edição por ArielleAB em Sab Ago 18, 2012 6:30 pm, editado 6 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 20, 2012 8:21 pm

Quando fui atacar o Jake, Seth ficou na minha frente e soltou um alto rugido. Isso me fez acordar do transe de fúria, a raiva passou, mas ainda não consegui perdoar o Jake, ele não poderia ter tido um imprinting pela minha filha, que é apenas um bebê. Como o Edward pode o deixar sair em pune? Por que ele não fez nada quando soube desse imprinting?

– Bella, amor? - Edward apareceu do nada e colocou seu braço em volta da minha cintura.

Olhei para seu rosto, mas não consegui responder, não sei o que responder. O que devo falar? Sua preocupação tomou conta de sua expressão, mas logo em seguida ele sorriu. Olhei meio confusa para Jake, Leah e Seth, eles não entenderam o porquê eu estava olhando deste tipo para eles. Jake começou a se aproximar, mas assim que balancei a cabeça negativamente, ele leu a minha expressão de assustada e deu uns passos para trás.

– Bella, amor. Você está bem? - ele olhou seriamente em meus olhos. Fiz menção de falar, mas nada saia de minha boca, eu não consegui falar nada. A noite começava a vir, o sol desaparecia lentamente, enquanto a lua começava a aparecer no céu. A cada novo segundo a lua ficava mais nítida.

Ele me virou lentamente e me fez ficar de frente a ele. Ele se aproximou seu rosto lentamente, seu cheiro ficou cada momento mais forte, o doce aroma do meu vampiro. O vento mudou de direção, as folhas das árvores se balançaram cada vez mais forte enquanto Edward se aproximava de meus lábios, a distância entre nós ficou cada vez menor até que seus lábios encostaram-se ao meu suavemente, seu lábio se conectou perfeitamente ao meu. Um beijo suave e intenso começou, senti olhares se fixarem em nós.

Meus sentimentos de raiva passaram a ser um rodízio de sentimentos, tudo misturado me fazendo ficar totalmente confusa.

– Estou bem - disse ainda confusa com tudo que havia acontecido. - Desculpe-me Jake, eu me estressei -

– Não tem problema Bells, é natural, pois eu tive um imprinting pela sua filha… e se eu tiver uma filha e alguém quiser tirá-la de mim eu terei o mesmo ataque de fúria -

– Natural? … Espere aí, você mal teve esse imprinting pelo meu bebê e já quer ter um filho com ela? - me estressei novamente e quase parti para cima dele, mas dessa vez me controlei.

– Não… não. Você está interpretando mal o que eu quis dizer… -

– Estou de olho em você Jacob Black - Edward disse em tom alto e com raiva.

– Posso ficar um pouco mais com a Renesmee? -

– É melhor não arriscarmos amor -

– Mas… -

– A raiva controlou sua mente, você não vai querer colocar a vida da nossa filha em risco, não é? -

– Claro que não -

– Venha, você tem que se trocar… Esse vestido não está muito bom -

Eu ainda estava com a camisa do Edward e por baixo o vestido todo rasgado, com certeza eu tenho que tomar um banho e colocar outra roupa, mais confortável e que não seja uma que a Alice tenha escolhido.

– Claro - entramos na casa e Jake, Leah e Seth entraram logo após, Leah fechou a porta e foi para junto de todos, ela estava aceitando conviver com os Cullens agora que o Jake teve um imprinting pela minha filha?

Quando estávamos passando pela sala vi Rosalie segurando Renesmee e o Carlisle com uma fita métrica medindo-a. Estranhei um pouco, mas não pude ficar para olhar o que estava acontecendo, pois eu poderia atacá-la. Eu ainda não me controlo por completo então subimos as escadas e fomos para o quarto do Edward. Assim que entramos ele fechou a porta, fomos andando até ficarmos parados em frente à cama.

– O que estão fazendo com a Renesmee lá em baixo? - me virei para ele e perguntei meio desconfiada.

– Estão vendo quanto ela cresceu hoje? -

– Como assim? -

– Nesses dias ela cresceu mais do que dez centímetros, ontem ela cresceu cinco centímetros. Por isso ela aparenta ser mais velha do que um bebê normal -

– Mas se ela continuar crescendo desse jeito ela vai acabar… -

Ele me interrompeu - Eu sei meu amor -

Virei-me para cama juntamente com Edward, olhei para cima da cama e me deparei com um vestido tomara que caia de renda com camadas vermelhas e uma camada preta por baixo, com cetim preto na cintura e uma sapatilha na cor nude.

– Alice? -

– Sim -

Peguei o vestido e os sapatos, coloquei-os em cima da Barce Recamier branca para que eles não amassassem quando Edward fosse deitar na cama para me esperar. Ele me olhou fixamente nos olhos.

POV 3ª PESSOA

Edward olhou-a fixamente nos olhos. Pegou nela, com um gesto ao mesmo tempo firme e suave, e com suavidade, aproximou o rosto do pescoço dela. Beijou, como se o tempo fosse uma maré no crepúsculo, aquela pele pálida e líquida, ela cada vez mais abandonada, ofegava a cada novo beijo.

Com movimentos, Edward começou a desabotoar a alva camisa de Bella, e logo em seguida começou a abaixar o zíper do vestido, deixando ver, aos poucos, o soutien e a pele daquele peito que lhe era oferecido.

Bella era já toda fogo, escaldando de antecipação. Edward passou devagar a mão direita pelas costas dela e, num gesto rápido que a surpreendeu, desapertou-lhe o soutien, colocando-o sobre a camisa que já jazia no chão.

Ele beijou os seios de Bella, primeiro o esquerdo, depois o direito. Ela sentia-se explodir. Como se fosse um dançarino de tango, Edward tomou-a nos braços e deitou-a na cama. Tirou-lhe os sapatos.

Bella já só aguardava o momento de consumação daquele amor que ardia como o magma prestes a ser expelido de um vulcão. Edward, contudo, não tinha pressas, começou a tirar, devagar, a sua camisa. Enquanto cada botão dançava naqueles dedos que já tanto mataram e tanto amaram, Bella só pensava "despacha-te lá com isso e salta-me já para cima". Edward, contudo, permanecia impassível.

Ele descalçou os sapatos, pé contra pé, desapertou as calças, deixando que a gravidade a atraísse para o chão, revelando a Bella um sexo majestoso. Com pequenos ósculos, foi caminhando desde o pé esquerdo de Bella até ao ventre.

Retirou-lhe a cueca úmida e osculou também aquela superfície rosada que tanto o aguardava. Bella gemia, mas Edward voltou a beijar os seios e posicionou-se por cima dela, que aguardava, quase em desespero, por aquele momento. Começou a sentir o garboso falo de Edward junto das suas coxas e a aproximar-se mais, mais, mais e mais...

Bella não pensava que tal sensação seria possível como vampira, nada se comparava ao prazer que, aqui e agora, tinha. Quando o órgão de Edward, por fim, se resolveu a invadir o seu jardim de rosas, Bella julgou-se no paraíso, aquele lugar onde tudo é bom, tudo é belo.

Os vai e vens de Edward, sempre lentos, intensificavam mais ainda o momento. Bella gritava, sorria, chorava, suplicava. Já ele em silêncio, aumentava agora o ritmo. Ela sentia-o, no mais fundo de si. Estava quase lá. Ela sabia-o, ele também. Apertaram-se mutuamente, num abraço que parecia conter em si todo o mundo, todo o universo, e explodiram os dois em simultâneo, ali, naquela mesma cama que acabara de suportar um ato de comunhão entre amantes como nunca antes se vira antes. Eles se embrulharam sem necessidade e ficaram deitados de frente um para o outro.

– Isso foi incrível - Bella disse ao Edward, ainda pasma com a incrível primeira sexual depois de que ela se tornou vampira.

[N/A: Ei pessoal, eu não sabia como descrever essa cena no ponto de vista da Bella então a coloquei no meu POV (ponto de visão)].

POV BELLA

– Isso foi incrível - Eu disse feliz.

Nunca imaginei que depois de me transformar em vampira teria uma experiência sexual como essa, foi ainda melhor do que quando eu era humana, pensei que acabaria dormindo logo após, mas vampiros não dormem. Deitei calmamente minha cabeça no peito do Edward fiquei acariciando com o dedo indicador o peito do meu marido.

– Bella… -

– Sim?! -

– Vamos tomar um banho? Mas ele será na água fria, pois a morna é muito quente para nós -

– Claro, se for com você faço tudo - disse com duplo sentido.

Ele se levantou da cama. - Espere aqui que eu vou colocar a banheira para encher -

– Okay -

Esperei alguns segundos e ele voltou, deu para escutar a água caindo rapidamente dentro da banheira, todos conversando lá em baixo, mas não escutei o que era, sei que mencionaram o nome do Edward. Com certeza ele deve ter escutado os pensamentos de alguém que está lá em baixo.

– O que estão falando de você lá em baixo? -

– Não é nada de importante - tentei escutar melhor, mas não dava para escutar claramente, algo me impedia de escutar melhor.

Senti-me como uma pessoa não confiável, pois ninguém me contava nada, terei que descobrir sozinha, e uma coisa que não gosto é descobrir as coisas por outras pessoas. Ele voltou para o banheiro e desligou a torneira, mas gotículas de água ainda continuaram a cair.

Ele voltou. - Vamos! - e estendeu sua mão, coloquei minha mão em cima da sua e a segurei fortemente ao mesmo tempo com suavidade para não machucá-lo. Ele me conduziu até a banheira quase coberta de água.

(…)

Assim que terminamos de tomar banho nos enxugamos e vestimos roupa, eu vesti o vestido que Alice havia deixado preparado para mim e a sapatilha cor nude, Edward vestiu uma camiseta branca, calça social, um blazer e sapato social preto, nós penteamos rapidamente nossos cabelos, o cabelo do Edward ficou bonito, já o meu nem tanto. Parecia até que iríamos a uma festa pelo jeito que estávamos vestidos. Sentei-me na Barce Recamier e Edward abriu a porta

– Pode deixar Edward, eu arrumarei o cabelo dela - Rosalie entrou já adivinhando que nós havíamos terminado de nos vestir.

– E eu vou arrumar a maquiagem - Alice apareceu logo após.

– Mas… - Edward apareceu rapidamente e colocou seu dedo indicador em meus lábios e não me deixou terminar a frase.

– Não se preocupe meu amor, elas te deixaram ainda mais linda do que você é -

– Vai ter alguma festa? Ou alguma coisa especial? - Claro que as duas estavam com a roupa de sempre, mas elas se vestem pra ir a alguma festa, se vestiam para matar.

– Não que eu saiba -

Ele saiu e pelo barulho foi para a sala, onde todos estavam. Alice buscou uma cadeira.

– Sente-se aqui maninha - Alice disse com sua voz com a badalada de sinos.

Alice fez que eu inclinasse a cabeça e começou passando o corretivo em minha pele, Rosalie começou a arrumar meu cabelo no mesmo instante.

(…)

Depois de alguns puxões de cabelo, lágrimas, lápis para lá, presilha para cá, elas finalmente terminaram de me arrumar, as duas saíram rapidamente, mas voltaram no mesmo instante cada uma com um espelho médio, Alice pôs o seu em cima da Barce Recamier encostando-o ao vidro a minha frente e mais uma vez me deparei com a linda vampira de olhos vermelhos e pele pálida, mas agora maquiada e com o cabelo preso e arrumado.

– Vai se acostumando - Alice disse ao ver-me estranhando a linda mulher no espelho.

– Você sempre foi linda, mas do mesmo modo desajeitada e agora está ainda mais linda como vampira, Bella, embora eu nunca tenha aceitado você se matar para ser como nós - Rosalie disse com um tom pouco sutil.

– Muito obrigada Rosalie, eu sempre achei você, Alice e Esme lindas… Nunca imaginei que seria assim, linda -

– Agora só falta você mudar seu gosto pelas roupas, aí sim você ficará ainda mais linda… Você só tem que amar a moda -

– Ah Alice, eu gosto do meu estilo… Não quero mudar -

– Você pode até não querer, mas agora você é uma de nós e terá que mudar de qualquer forma, pois as mulheres Cullens são lindas e sempre se vestem muito bem -

– Alice… -

– Vamos descer, todos estão esperando - Rosalie disse me interrompendo.

– E por que eles tanto nos esperam? -

– Na verdade eles te esperam - Rosalie disse me encarando.

– Como assim? -

– Vamos, chega de perguntas - Alice ficou com um pouco de raiva por eu ter ficado tão curiosa.

O que é tão importante assim para que eles me esperassem? Por que elas me maquiaram, arrumaram meu cabelo? Por que me produziram desta forma? Não entendo o porquê de tanto segredo. Descemos as escadas, as luzes da sala estavam apagadas e estava o maior silêncio, só consegui escutar as respirações ofegantes de várias pessoas e alguns passos silenciados.

Assim que acendi a luz vi todos e eles disseram em coro - Surpresa - A sala estava toda enfeitada como se fosse uma festa.

Esme saiu da cozinha com um pequeno bolo de dois andares enfeitado com várias rosas vermelhas. Com toda certeza esse bolo não daria para todos os Quileutes que estavam aqui, acabariam em uma questão de segundos.

– O que é isso? -

– Feliz aniversário amor - Edward sussurrou em meu ouvido enquanto suas mãos envolviam minha cintura.

– Mas não é só depois de um ano que uma vampira faz aniversário? -

– Na verdade hoje é 13 de setembro -

– Você disse que não tinha nenhuma festa ou algo especial -

– Eu esperava que você se lembrasse do seu aniversário -

– Eu estive pensando em tantas coisas que não deu para pensar em “aniversário” -

– Feliz aniversário de 19 anos Bella - Alice disse me dando um abraço e me entregou uma sacola de algum shopping e dentro continha uma caixa embrulhada com papel de presente vermelho e corações brancos.

Eu estava tão ocupada tentando me controlar para não atacar ninguém que nem me lembrei da data que comemorava todos os anos, são tantas coisa para fazer, tantas coisas para lembrar que não tive nem tempo de assimilar a ideia do meu aniversário ser hoje, mas eu não deveria comemorar essa data como de 19 anos. Eu estava emocionada, mas ao mesmo tempo pasma com tudo que havia acontecido hoje.

– Espere aí eu deixei de fazer aniversário há três dias, terei 18 anos para sempre - me indignei de certa forma.


Última edição por ArielleAB em Sab Ago 18, 2012 6:26 pm, editado 5 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por sofiee.. em Ter Mar 27, 2012 1:53 pm

Estou amando, posta mais hein!
sofiee..
sofiee..

Mensagens : 133
Pontos : 2750
Data de inscrição : 26/03/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Por favor, não

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 27, 2012 9:20 pm

– Bem maninha, este presente é somente uma amostra do seu pequenino presente - Alice disse e sorriu ironicamente.

– Amostra? - Será que? Não, ela não comprou um guarda-roupa e já o deixou cheio. Ela não fez isso. Minhas sobrancelhas se uniram enquanto eu pensava.

– Bem o seu presente não está aqui, mas está próximo… -

– Não tão próximo assim Alice - Edward a interrompeu, ela mostrou sua língua pra ele.

– Por que todos os Quileutes estão aqui? - interrompi a briga dos dois e perguntei um pouco confusa com toda a situação.

– Carlisle e Sam renovaram o acordo - Edward disse com uma voz nada cantante.

– Bem os presentes podem ser abertos amanhã - Alice cantarolou e terminou com o clima que estava um pouco estranho.

– Não, pelo menos um pode ser aberto hoje… Agora - Edward murmurou.

Os Cullens saíram de perto dos Quileutes e se juntaram a nós.

– Bem, nós ficaremos aqui, mas quando vocês voltaram quero saber o que ela achou - Esme disse entre sorrisos.

– Eu aposto que ela vai amar - Rosalie disse segurando minha pequena adormecida em seus braços. Ela deu um bocejo e abriu seus lindos olhos.

– Ma...mãe - Ela esticou seus braços, mas novamente adormeceu, o sono a consumiu.

– Suas primeiras palavras - Edward disse com um sorriso torto. - Ela te ama - no mesmo instante ele envolveu seus braços em minha cintura.

Vendo-a dormir, vi o quão chato eu era quando humana, mas o seu sono me fez ficar feliz, sorri e dei um beijo em sua pequenina testa. Minha pequena, não é tão pequena assim, ela me parece ser uma linda criança de meses, tua face me lembrava e também a Edward.

– Vamos - Edward tirou seus braços de minha cintura e Alice segurou meu braço e me conduziu até a porta. Deixamos todos comemorando sem mim e seguimos para a floresta.

Alice soltou meu braço e olhou para trás, mas virou seu rosto rapidamente para oeste. Edward segurou minha mão e Alice começou a correr, tivemos que segui-la… É mais fácil seguir seu doce aroma do que sua imagem pela vegetação.

Ela parou, nós paramos logo após.

– O que houve? -

– Não é nada - Edward soltou minha mão e colocou-as em meus olhos. Não pude ver nada, a escuridão da noite ajudou a fazer com que eu não pudesse enxergar.

– O que…? -

– Não se preocupe eu te conduzirei, amor - Pelo tom de sua voz, me pareceu que ele estava sorrindo.

– Está bem - Dei-lhe confiança. Alice segurou em minha mão para também me conduzir a algum lugar.

Não corremos, mas também não fomos tão devagar. Fomos em passos largos e calmos.

– Pronto - Edward tirou lentamente sua mão de meus olhos e Alice ficou ao meu lado.

Vi uma casa sendo iluminada pela lua, como a outra essa casa também é ampla e iluminada, seu aspecto de madeira e pedras, vidros que davam acessos à visão dentro da casa. De três andares, uma casa não tão pequena, mas no mesmo momento simples e com aparência humilde. As árvores envoltas davam um aspecto ainda mais belo, a visão que eu estava vendo era de uma casa não simples e bela. Encantei-me com a casa, essa foi uma das surpresas ainda mais especiais que já tive.

– O que você achou? - não tive palavras para respondê-la.

– Ah… não tenho palavras para responder -

– Tenho certeza que ela adorou Alice - Ele novamente envolveu seus braços pela minha cintura.

– Não - eu retruquei.

– Mas… -

– Eu amei Edward -

– Ótimo - ela deu um sorriso bastante largo. - Bem, vou voltar para casa e espero vocês lá - Seu sorriso passou da felicidade, para um sorriso duvidoso. Ela se lançou para a floresta e não mais vi sua imagem, somente escutei seus passos calmos e rápidos pela grande floresta.

Edward pôs-se a minha frente e segurou em minhas mãos.

– Esse presente é de todos, para você e também para nós - Seu sorriso inebriante me contagiou, também sorri… senti-me corar brilhantemente.

– Eu te amo - Não sei o porquê não quero deixar de dizer isso para ele. Parece que hoje é o ultimo dia da minha existência, mas também o primeiro… como se eu tivesse nascido hoje, tudo é novo para mim… tudo tão belo.

– Dê as honras - Ele ficou ao meu lado e não soltou minha mão e com a outra mão pegou uma caixinha em seu bolso.

Peguei a caixa e soltei sua mão para abrir a caixinha que dentro parecia conter uma chave. E assim que a abri tive certeza, tinha uma chave dentro.

Coloquei a chave na fechadura e rodei-a lentamente. Assim que coloquei a mão na fechadura senti algo estranho, como se fossem vários vagalumes voando ao nosso redor, mas nada estava aqui, somente eu e Edward.

Abri a porta e vi a linda sala de piso laminado, depois passamos pela sala de jantar e fomos para a cozinha. Voltamos para a sala de jantar e subimos alguns degraus, ficamos de frente a uma porta, Edward abriu e me deparei com o quarto de Renesmee. Tudo é lindo, maravilhoso… tão perfeito, nem acredito que tudo isso é de verdade, pelo menos para mim não é, logo após sairmos do quarto de Renesmee fomos para outro quarto.

– Esse quarto é de quem? - perguntei curiosa.

– Nosso - ele enfatizou.

– Sério -

– Sim, pode até parecer tudo um sonho, mas é tudo real -

Pelo jeito dessa casa, me parece que ela realmente é um sonho.

– Oi pessoal -

Alice entrou em casa e nos chamou, pelo menos chamou mentalmente Edward, por sua expressão não é nada bom. Fiquei um pouco confusa tanto pela expressão tensa de Edward, eu não estava tão preocupada quanto ele, mas não perguntei nada.

– Teremos que ir, meu amor - agora me preocupei de verdade, parece até um dos dias que eu era humana.

– O que está acontecendo Edward? -

– Não posso te dizer agora, mas uma coisa ruim irá acontecer se não sairmos daqui agora - Ele começou a descer as escadas rapidamente como um humano, um hábito que eu também tenho que ter.

– Edward, me diga alguma coisa - segurei em seu braço.

– Os Volturi - ele se virou para mim.

– O que? Os Volturi? Eles querem a mim? - soltei seu braço lentamente, minha expressão com certeza não foi a das melhores.

– Não, Renesmee - ele pegou em minha mão e começou a descer alguns degraus, mas parou, pois eu não me movia, essa noticia não me fizera bem. Por isso ele não queria me dizer agora.

– Não, minha filha não - me sentei em um dos degraus, mas me levantei logo após, não posso ser fraca logo agora. Eles não irão levar minha filha.

– Vamos logo - Alice gritou a me ver fraquejar. Ela estava com Renesmee no colo. - Eles estão cada vez mais perto - ela estava tendo outra visão.

– Vamos Bella, temos que sair daqui agora -

Desci rapidamente os degraus. Se eu ainda tivesse um coração batendo ele estaria a mil, sei que eu não tenho sorte, mas realmente não acredito nessa tal de sorte. Eu também não acreditava em vampiros, mas Edward me provou o contrário, algo provocante e sexy é ser um vampiro. É facilmente me distraio, ser uma vampira é algo que realmente desconcentra.

Assim que abri a porta nos deparamos com eles, demorei muito tempo para reagir. Mas entrei em posição de defesa, eles não podem tirar a minha filha, não vão.

Eles entraram e ficaram de frente para Alice e Edward - Vemos que irão se mudar. Por que farão isso? A outra casa é tão… - Aro falou com sua voz ainda mais sinistra do que quando eu era humana.

– Luxuosa! - Marcus completou.

– Por que devemos a visita dos Volturi? -

– Vemos que vocês a transformaram, muito bem… - Caius falou lentamente para Edward e Alice.

Aro o interrompeu. - Bem Viemos apenas dar as boas vindas ao mundo vampiro para Bella -

– Muito obrigado, estávamos de saída - disse com um pouco de medo.

– Percebemos - Aro se referiu a Renesmee, deduzi isso pelo olhar frenético que ele lançou para ela.

Jane aproximou-se de Alice, e acariciou a face de Renesmee - Mas não foi como pensamos que seria -

– Se afaste dela - gritei furiosamente.

– Por quê? De qualquer forma iremos matar essa vampirinha - Jane disse ainda com a mão no rosto de minha filha.

– Mamãe - Renesmee gemeu e soltou um alto choro logo em seguida, percebi que Jane estava fazendo com que ela sentisse dor. Senti-me feliz e também muita fúria, essa fora a primeira palavra de Renesmee.

– Pare com isso - fechei meus olhos, desejei que os Volturi sumissem dali, não escutei o choro de Renesmee, nenhum som, somente minha respiração ofegante, acabei entrando em desespero.

Abri lentamente meus olhos e vi todos olharem para mim, Aro falou algo, mas não consegui escutar, assim que tentei dar alguns passos bati minha testa em uma camada fina, dei alguns socos nela, mas não adiantou ela é inquebrável. Edward se aproximou e passou a mão por essa camada, ela estava me separando de todos, coloquei minha mão onde a sua estava, nunca havia visto esta camada antes, será um poder dos Volturi? Não é um Volturi, será Renesmee? Espere aí… sou eu, me concentrei e consegui retirar o escudo, não sei como consegui fazer, mas o retirei. Renesmee não chorava mais e todos olhavam para mim, principalmente Edward.

– Meu amor, eu consigo ler sua mente - Edward disse entre um largo sorriso. Eu não podia esquecer que os Volturi estavam aqui.

– É incrível, quer dizer que agora poderemos matar vocês ainda mais facilmente, isso se não quiserem nos entregar essa criança imortal - Aro disse com frieza em sua voz.

– Ela não é imortal, ela nasceu de meu ventre… não a mordemos - Senti lagrimas caírem de meus olhos.

– Não chore Isabella - Alec se aproximou e tentou limpar minhas lágrimas, mas rapidamente segurei sua mão. Ele se soltou de minha mão e voltou para perto dos Volturi que estavam perto do sofá da sala.

– Não encoste em mim, ou em minha família - respondi em questão de segundos, posso até dizer que “o sangue subiu para minha cabeça”. Andei rapidamente para junto de Edward e Alice, que estavam perto da escada, nem ao mesmo tentei fechar a porta. Minha posição continuou em defesa, não posso entregar os pontos logo agora, tenho que ser ainda mais fria do que o gelo.

– Você está com medo de nós? - Alec disso com ironia. E um sorriso nada confortável apareceu em sua face.

– Eu sou uma vampira como vocês agora, e não tenho medo -

– Até parece - Jane como sempre nada amigável.

– Perdemos alguma coisa? - Carlisle disse entrando com todos os outros Cullens.


Última edição por ArielleAB em Sab Ago 18, 2012 6:27 pm, editado 2 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Por um fio

Mensagem por ArielleAB em Ter Mar 27, 2012 9:21 pm

– Na verdade, iríamos matar esse bebê agora mesmo - Jane como sempre semostradeira.

Carlisle juntou-se a nós e ficou de frente para os Volturi. - Vocês não podem matar um bebê humano -

– A Irina, do clã Denali nos informou de um crime, e esse foi que essa criança é imortal - Aro nos informou sua fonte.

– O que? Irina? - Carlisle perguntou pasmo.

Irina apareceu na porta, como se estivesse nos espionando a muito tempo. - Sim fui eu -

– Suaa… - dei alguns passos para cima dela, mas Edward segurou meu braço direito.

– Não gaste suas energias com esse lixo – Ele enfatizou a palavra “lixo”.

– Haha… - ela soltou uma alta gargalhada.

Não entendi a gargalhada que ela soltara. Meu olhar estava fixo na mão de Edward que ainda segurava meu braço, como se fosse para mim não a machucar.

– Do que você está rindo? -

– Do Edward! Antes de te conhecer, ele me beijava, acariciava, dizia que somente eu poderia o fazer enlouquecer por completo. Dia após dia na cama, ele dizia que não seria nada sem mim, milhares de mensagens mandadas com recados de amor, até chegou a dizer que me amava -

Deu-me uma vontade ainda maior que quase me levou a matar ela, se eu conseguisse fazer outro escudo eu a envolveria e tiraria seu ar por completo, fazendo cada segundo a mais fazê-la clamar por sua inútil vida.

– Me solte Edward - lancei um olhar penetrante nele, mas nada fez com que ele me soltasse.

– Meu amor, Renesmee -

Minha fúria parou, ao escutar o nome da minha filha. Assim que olhei em volta, vi todos, principalmente Renesmee.

– Agora já CHEGA! Vamos logo com isso, vamos terminar o que viemos fazer - Aro gritou de forma que tirou um soluço de Renesmee.

– Vocês não machucarão minha filha - Edward soltou meu braço e se pôs em posição de defesa na frente de Alice, que segurava nossa filha.

– Posso falar com você Aro? - Carlisle entrou numa de intelectual logo agora.

Aro balançou sua cabeça positivamente e olhou em volta, mas parou por instantes no rosto de Irina, seu semblante continha muita fúria. - Sim, por poucos instantes -

Carlisle olhou para Edward e Renesmee, logo em seguida voltou seu olhar para mim. - Bem, Edward pegue Ness… Renesmee, hum, é, e Bella nos acompanhe - Até o Carlisle chama minha filha de Nessie?

– Claro meu amor, todos já a chamam de Nessie - realmente ele está lendo meus pensamentos.

– Até você Edward?– perguntei mentalmente para ele.

Ele balançou sua cabeça positivamente em resposta. Oh céus, por que chamam minha pequena de Nessie?Até parece que ela é o monstro do lago Ness.

Edward apanhou Renesmee do colo de Alice e entrou casa adentro atrás de Carlisle e Aro. Eu fiquei imóvel, todas as novas notícias me abalam!

Alice se aproximou de mim e me deu um abraço - Vai Bella, o destino de todos está em risco! - ela murmurou em meu ouvido.

Soltei-me de seu abraço - Está bem - respondi.

Sai em velocidade de vampira, depois de passar pela sala virei a direita e entrei num corredor, fiquei logo atrás de Edward. Renesmee olhava entre o ombro de Edward, ela sorria para mim. Carlisle e Aro entraram em uma sala, logo em seguida Edward e Renesmee. Não vi mais o rostinho lindo de minha querida filha.

Apresei meu passo e alcancei-os. Quando entrei todos já estavam sentados com olhar fixo na porta esperando que eu entrasse.

Assim que adentrei na sala vi o olhar penetrante de Carlisle, o qual me deu arrepios - Feche a porta, Bella - uma voz nervosa saiu de sua boca.

– Claro

Fechei a porta e me sentei no sofá em junto de Edward. Renesmee que estava com o olhar fixo em Aro, se virou rapidamente para mim e me deu outro sorrisinho lindo.

– Bem, para começar...

– Espere Aro, tem uma coisa que quero te mostrar primeiro - Carlisle o interrompeu.

Ele abriu a segunda gaveta do lado direito da escrivaninha atrás dele e entregou o papel para Aro.

POV ALICE

Já faz mais de uma hora que estão lá dentro. O que será que está acontecendo? Será que Aro fez alguma coisa com a minha sobrinha linda? Ah, claro que não se não eu o mataria assim que ele saísse. Não entendo o porquê que não tenho nenhuma visão, era pra saber se tudo acabará bem, mas não consigo ver nada sobre o futuro da Nessie.

– Muito obrigado Aro - Bella estava muito longe, mas deu para escutar quando agradeceu Aro.

Aro e Carlisle apareceram em um piscar de olhos, ficaram de frente para o sofá. A cara de Aro não era a das melhores, mas ele nunca estivera satisfeito com nada, já a de Carlisle era a mais pura e de bom agrado, como sempre um Carlisle calmo e paciente que conhecemos.

– E então?

– Fique calmo ursinho - Rosalie tentou amenizar a ânsia de Emmett.

Carlisle estava rindo de Rose e Emmett, parece que está tudo bem com todos, mas por que Edward e Bella na voltaram com a Renesmee?

– Carlisle?

– Sim Alice!

– Renesmee? Onde está - minha voz está tão tremula que não consegui terminar a frase.

– Não se preocupe, ela está bem

– Mas por que não voltaram?

– Ela adormeceu, está quase amanhecendo

– Oh, é claro

– Ela está no quarto que preparamos para ela, do lado do quarto de Edward e Bella

– Está bem, vou lá agora mesmo

Corri como uma vampira e subi rapidamente as escadas e quando todos menos pudessem esperar eu já estava de frente ao quarto de Nessie, bati suavemente na porta para não acordá-la. Bella atendeu a porta e saiu, enquanto ela fechava a porta vi Edward sentado na poltrona observando fixamente a pequenina dormir, eu não posso dizer que eu nunca fiquei vidrada vendo-a dormir, ela é linda e cada movimento que ela faz quando está dormindo é um motivo a mais para sorrir, amo essa minha sobrinha.

– Como foi? - perguntei aflita.

– Bem, Carlisle mostrou um exame da Renesmee e, além disso, tirou um pouco do sangue dela, deu para que Aro provasse e por um segundo pensei que ele iria atacá-la, mas ele já está acostumando com o sangue humano, eu tentei e me controlei o máximo, e Edward me segurou o mais forte possível, consegui fazer outro escudo e me fiquei dentro até que eu pudesse me controlar por completo

– Espere Bella, você disse isso com muita naturalidade, se fosse minha filha, eu nunca deixaria que fizessem isso com ela… como você? - Não consegui terminar a frase, ela não poderia me falar tudo dessa forma, como se fosse a coisa mais natural do mundo.

– Você está louca? Ela é sua filha, como você pode deixar que fizessem isso?

– Não havia outra forma de provar que ela é meio humana

– Você tem certeza disso?

– Não grite Alice, a Renesmee está dormindo

‘Meses depois’

– Seus olhos estão lindos - disse colocando o espelho em frente da Bella.

– Não como os seus

– Me desculpe, sei que está virando rotina, mas depois de oito meses ainda não consigo me perdoar por ter te tratado tão mal naquele dia

– Não se preocupe Alice, eu já esqueci que nós tivemos aquela briga, até das duas semanas que você ficou sem falar comigo

Edward abriu a porta e entrou - Vocês já estão prontas?

– Venha cá para você ver sua linda esposa - eu nunca imaginei que a Bella realmente iria mudar, mas aqui estamos nós, ela está com as roupas que eu comprei e até está gostando de usar maquiagem.

– Eu também não

– O que eu perdi?

– Nada, meu amor

– Não me escondam nada, por favor

– É que eu e Alice achamos que você está aceitando muito bem sua… nova vida

– Estou no mundo certo, na família certa

– Bem, não foi isso que eu pensei Edward

– Alice!

– O que tem vocês me contarem?

– É que ela... - o interrompi antes que terminasse a frase

– Eu pensei que você está aceitando muito bem ter um novo estilo, está usando as roupas que comprei, maquiagem, salto alto

– Me lembro o que uma pessoa me disse: Agora sou uma Cullen e todas são bonitas e eu tenho que me adaptar ao mundo vampiro

– Nossa, em poucos meses você mudou da vodka para o mais saboroso vinho

– Vodka? A Bella nunca poderia ser comparada a vodka

– Está bem, cerveja

– Eu poderia ser a vodka mesmo, por mim não há problema, tudo se trata de metáforas

– Mamãe - Nessie adentrou correndo.

– Sim Renes... Nessie

Até que enfim ela está começando a se adaptar com o apelido da Nessie, mas agora tudo está voltando aos eixos e ficará na mais perfeita paz, não sei como ela consegue se controlar tão bem, mas me surpreendo cada dia mais, os poderes dela já evoluíram bastante e está controlando o escudo, o qual está cada vez mais poderoso, ai se o “Cachorro” mexer com ela, ou tentar fazer alguma coisa com a Nessie.

Edward sorriu ironicamente ao escutar meus pensamentos.

– O que foi?

– Nada

– Vamos logo mamãe

Ela pegou a já não pequena Nessie no colo, segurou na mão esquerda de Edward e saíram, logo após Rose entrou.

– E você vai ficar aí parada?

– Claro que não

Peguei minha bolsa e fomos para a garagem e seguimos para a festa.


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:07 pm, editado 5 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por sofiee.. em Sab Mar 31, 2012 7:21 pm

amei o novo capitulo!
sofiee..
sofiee..

Mensagens : 133
Pontos : 2750
Data de inscrição : 26/03/2012

Voltar ao Topo Ir em baixo

Viagem

Mensagem por ArielleAB em Dom Abr 01, 2012 11:26 pm

'Uma semana depois'

POV RENESMEE

Hoje vou conhecer minha avó, meu pai e minha mãe compraram três passagens para irmos visitá-la. Jacob queria ir também, mais meus pais não o deixaram ir, no começo ele ficou com raiva, mas depois aceitou, até eu queria que ele fosse. Só que eu não posso fazer nada. Planejamos muito a viagem, lá vai estar no mínimo uns 4°C, para que não sejamos descobertos.


Nossa mamãe, esse aeroporto é muito grande

– Espere para ver o avião minha querida - Minha mãe me disse já me abraçando.

Não posso dizer que ninguém notou nossa presença, olhares diversos em nós, será possível que nós nunca sejamos notados? Ruum, provavelmente não.

– O que foi filha?

– Nada papai

– E por que o ruum?

– Estava pensando comigo mesma

– Senhores passageiros com destino à Phoenix, favor ir para a fila de embarque

Chegamos ao Arizona por volta das 18:00 horas. Papai alugou um carro. E fomos para a casa da vovó.


(...)


Chegamos à casa da vovó e de Phil. Parece que Phil não estava com certeza ele devia estar treinando.

Vovó estava do lado de fora conversando com sua vizinha e logo foi nos atender. Muito surpresa ela ficou, nós nem havíamos à avisado que iriamos passar um tempo em Phoenix, papai comprou uma casa em frente à da vovó, a reformou e mobilhou.

– Oi minha filha. Como você está? - Vovó disse abraçando minha mãe

– Oi mãe, estou bem, como estão você e Phil?

– Estamos bem. E essa linda garotinha?

– Mamãe, essa é Renesmee, sua neta

– Nossa, ela está tão grande, quantos anos ela tem mesmo?

– Três

– Nem parece

– Oi vovó, é bom te conhecer

– Oi Renesmie

– Ela se chama Renesmee mamãe, mas pode chama-la de Nessie

– Bella? Que apelido feio, lembra o Monstro do lago Ness

– Foi um apelido que os tios dela colocaram

– Mais Nessie?

– Eu gosto de Nessie, quase todos erram meu nome!

Vovó apertou minhas bochechas e foi cumprimentar meu pai.

– Olá Edward, quanto tempo, tudo bem?

– Olá sogrinha, estou sim e você e Phil?

– Também, ele ficará uma semana em Seattle, é a semana de jogos

– Ah sim – Meu pai tentou parecer surpreso, mas eu e minha mãe sabemos que ele leu a mente dela antes mesmo que ela respondesse

– Vamos para dentro, está um pouco frio

– Claro! – Minha mãe tentou responder por todos

– Eu já vou meu amor, vou ligar para Carlisle e entro


POV EDWARD

– Oi, Carlisle?

– Vocês já chegaram?

– Oi Alice, sim, estamos na casa da Renée

– Vou passar pro Carlisle

– Oi Edward, como foi de viagem?

– Bem, e as coisas por aí?

– Está tudo como sempre

– Vou desligar Bella está me chamando mentalmente, tchau

– Está bem, abraço e beijos para as garotas

– Eu mando, tchau

É bom quando escuto os pensamentos de minha esposa, até os mais ousados. Agora que meu poder evoluiu posso também responder mentalmente, nos primeiros dias foi meio difícil, eu respondia a pessoa errada ou falava para todo mundo. Carlisle comprovou que os poderes dos Cullens podem evoluir, o dele já é evoluído, pelo menos para mim.

POV RENESMEE

Depois que entramos na casa da vovó, ela começou a perguntar um monte de coisas, ela conversa demais, ainda bem que eu não vou ficar muito tempo com ela.

– Nessie você gosta de Forks?

– Sim vovó, eu nasci lá e estou sendo criada lá, além de ter várias pessoas especiais, como minha família e o Jake

– E você tem muitos amigos?

– Não, praticamente nenhum

– E em que ano você está, na escola?

– Eu não vou à escola, estudo em casa mesmo

– Depois vou conversar com sua mãe

– Está bem vovó – fui para o lado de fora da casa

Papai me chama mentalmente e assim conversamos. Eu gosto de nossas conversas mentais, só nós podemos escutar um ao outro, ninguém descobre das bagunças que fazemos quando ficamos sós em casa, resumindo eu gosto de conversar com meu pai.

– Sim papai?

– Não se esqueça, não é para sua vovó saber que você é meia vampira, mesmo que ela não acredite isso irá nos prejudicar

–Está bem, vamos entrar?

– Nós temos que ir, temos que caçar

– Ah sim, vou chamar a mamãe

Entro na casa e vejo que minha mãe está no antigo quarto dela vendo coisas de quando ela era humana, é muito triste ver como ela está, mesmo não podendo demonstrar, dá para perceber.

– Pode falar Nessie

– Nós temos que ir, o papai nos chamou para tomar alguma coisa na cidade –

– Então vamos minha querida

[...]

Estava escuro quando acordei, fui em direção à cozinha quando me deparei com uma cena muito linda, meus pais estavam dançando na sala, acho que era Debussy, meus pais se amam tanto, eu vou querer um amor desse no futuro.

– O que faz acordada à essa hora mocinha? – minha mãe me repreende

– Estou sem sono e vim beber água

– Pode deixar que vou fazer meu bebê dormir – diz meu pai todo sorridente

Papai faz cara de sapeca e começa a me fazer cocegas até que não me aguento e caio na risada, acabamos caindo no sofá. Na mesma hora ele me pega no colo e me leva pro quarto, rir com meu pai até que me deu sono.

POV BELLA

'Dois dias depois'

Minha mãe nem desconfia da verdade sobre os Cullens, disfarçamos o quanto pudemos, ela ficou tão alegre em nos ver que nem percebeu que não saímos de casa quando o sol estava à mostra, eu bem que queria transformar todos que eu tanto amo, mas Edward não deixaria, nem os outros Cullens, eu concordei com Edward que teria que deixar tudo como está, não poderia transformar ninguém de minha família.

– Olá meu amor, você se lembrou de mim?

– Não há qualquer dia se quer que eu não pense em você mamãe

– Eu gostaria de falar uma coisa com você e Edward e tem que ser agora, porque eu levei Nessie para conhecer a filha da Mikayla

– Está bem, vou chamar Edward – na mesma hora Edward aparece do nada, brigo com ele mentalmente porque minha mãe poderia desconfiar

– Oi, me desculpem estou atrapalhando algo?

– Não, a Bella iria te chamar agora

– Ah sim

– É o seguinte, meus filhos, eu quero que vocês matriculem Nessie em uma escola

– É melhor esperar um pouco

– Esperar o que minha filha? Sua filha estuda em casa e quase não tem amigos –

– Me desculpe Renée, mas da criação de nossa filha nós cuidamos – dou um cutucão em Edward por ter respondido mal minha mãe.

– Pois essa criação fará mal a ela

– Acalmem-se, podemos resolver tudo isso pacificamente

– Eu só estou pedindo para que matriculem a menina em uma escola normal

– Está bem iremos pensar no caso não é meu amor – Edward olha para mim com um olhar muito estranho

– Agora já vou minha filha, vou buscar Nessie, pois ela acabou de me ligar

POV RENESMEE

Vovó me levou para conhecer Amália, filha de uma amiga dela. Nos damos bem, brinquei muito com ela, mas ela acabou caindo e se machucando, aí foi a hora em que liguei para vovó pedindo para que ela me buscasse. Rapidamente ela chegou, falei com a mamãe e papai que não queria mais ficar em Phoenix. Agora iremos ficar somente uma semana, vai dar para que eu conheça o Phil, pois ele chega dois dias antes de nossa partida.

(...)

O silêncio tomou conta da cozinha, estávamos sem assunto e então fomos tomar café da manhã. Mamãe e papai só chegariam mais tarde, não teria nada para fazermos. Então eu e vovó fomos assistir televisão.

– Conversei com seus pais, eles vão pensar um pouco em te colocar na escola, amanhã eles me dão a resposta

– Oi meu amor

– Phil? O que você está fazendo aqui? Você não iria chegar só mais tarde?

– Sim, mais resolvi vir mais cedo, e quem é essa menininha linda?

– Essa é minha netinha, Nessie

– Filha de Bella? – Phil fez uma cara de assustado e surpreso

– Sim, filha da Bella. Ela e Edward vieram traze-la para que eu a conhecesse e você também -

– E ela tem quantos anos?

– Três

– Não pode ser filha de Bella, ela se casou há dois anos

– Depois conversamos meu amor

– Está bem, oi Nessie como você está?

– Oi bem e você, como foi de viagem?

– Tranquilo, vou ter que tomar banho, depois conversamos mais

– Não vou poder, tenho que arrumar minhas coisas para voltar a Forks, surgiu um imprevisto e teremos que voltar urgentemente

– Mais o que houve? – Minha avó perguntou já assustada

– Parece que o vovô Carl sofreu um acidente

– Foi muito grave? – E agora seu semblante foi de muita preocupação

– Não, mas meu pai quer voltar urgente para casa

– Ah sim, vou te levar até sua casa, espere que vou pegar um casaco

Enquanto ela pegava o casaco eu a esperei na sala, no chuveiro Phil cantava alegremente, comecei a rir e do nada minha avó aparece já vestida o casaco, e eu também vesti o meu.

– O que houve?

– Nada – Minha avó abriu a porta e aquele vento frio adentrou a casa no mesmo momento

– Vamos?

– Claro

(...)

– Tchau vovó – A abracei o mais forte que pude, o abraço mais quente que dei nela em todos esses dias

– Tchau meu anjinho – Ela me deu um beijo e voltou para sua casa

Entrei em casa e fui em direção ao meu quarto, quando abro a porta minhas malas já estavam arrumadas e meus pais me esperando.

– Oi filha, foi difícil não foi?

– Foi, apenas alguns dias que estamos aqui e me apeguei muito a vovó

– Também sofro ao me despedir dela, minha mãe é uma joia rara pra mim

– Agora temos que ir meus amores, já reservei nossas passagens

Meu pai desapareceu em um segundo e tirou o carro da garagem, estacionou frente a casa e abriu o porta-malas, descemos com algumas malas papai as colocou no porta-malas e o trancou, fomos em direção à casa de minha avó.

– Edward eu não vou aguentar mais uma despedida

– Mas é preciso meu amor

– Por favor Edward, vamos embora

– Será melhor que você se despeça dela

– Está bem

Meu pai bateu na porta e minha avó logo apareceu.

– Vocês já vão?

– Sim – meu pai respondeu rapidamente

Minha mãe abraçou vovó com um pouco de força, vamos dizer que “o mais forte que ela pode” e também o que minha avó pode aguentar.

– Adeus mamãe

– Não diga adeus minha filha, iremos nos rever antes do que você imagina

Olhei a face de minha mãe e lágrimas de meus olhos caíram, é muito triste ver a cena de minha mãe se despedindo de minha avó.

– Tchau Renée

– Tchau Edward

– Agora temos que ir meu amor – papai já indo em direção ao carro fala para minha mãe

– Já estou indo

Novamente minha mãe abraçou minha avó e deu um beijo na bochecha dela eu também a abracei e depois fomos em direção ao carro onde meu pai nos esperava para irmos ao aeroporto.

(...) Ao chegarmos ao aeroporto meu pai nos deixou com as malas e foi devolver o carro alugado, ele demorou cerca de cinco minutos para voltar. Quando ele chegou anunciaram nosso voo e assim que entramos no avião me senti muito triste porque eu iria ficar um bom tempo sem ver minha avó, a saudade que sentia da minha família Cullen, do vovô Li e do Jake.


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:09 pm, editado 3 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Susto

Mensagem por ArielleAB em Seg Abr 30, 2012 2:28 pm

Chegamos em Forks de madrugada, eu estava morrendo de sono, minha parte humana clamava por mais uma noite de sono. Todos deveriam estar com saudades, mas nós estávamos chegando, papai foi buscar nosso carro que ainda estava no estacionamento do aeroporto eu e minha mãe ficamos a espera dele. Em questão de cinco minutos ele chegou, não poderia ser diferente, meu pai sempre dirige muito rápido.

– Vamos meus amores – meu pai falou já estacionando o carro.

Entrei no banco detrás e ao invés de colocar o cinto me deitei no banco para tentar dormir. Assim que chegamos em casa, meus pais me colocaram em minha cama e fecharam a cortina, me lembro repentinamente deles sorrirem ao me verem dormindo.

– Nossa filhinha está crescendo meu amor –

– Mas ela sempre será nossa garotinha, mesmo depois que ela seja “independente” –

– Ela pode ter 50 anos e ainda será nossa garotinha –

– Ela não nos verá velhinhos mas sempre estaremos ao seu lado, mesmo que ela não perceba –

– Mamãe e papai te amo –

– Nós também te amamos – eles me deram um beijo e saíram do quarto, assim que fecharam a porta eu dormi de vez.


P.O.V. JACOB

Sei que nessie só chegará na próxima segunda, mas preciso saber como ela está. Ela não vai ficar lá por muito tempo, eu sei que ela está com a avó dela, mas eu gostaria que ela voltasse hoje mesmo, meu amor por ela cresce juntamente com o tempo, pareço não envelhecer por causa do imprinting, mas minha alma envelhece a cada minuto que se passa, eu gostaria de dizer que meu amor por ela é mais do que uma simples amizade.

– Oi, tudo bem? A nessie irá voltar segunda mesmo? – perguntei na mesma hora que loira abriu a porta.

– Tudo, e não seu cachorro fedorento –

– Como assim? Ela ia voltar segunda, por quanto tempo ela ainda vai ficar por lá? Ela está bem? –

– Acalme-se Jacob, ela já chegou – disse Carlisle adentrando a sala.

– Por que voltaram mais cedo? Aconteceu alguma coisa com a nessie, com a bella? –

– Fique calmo, ou senão teremos que te sedar, ela está bem –

Meu nervosismo me levou a transformar em lobo dentro da casa dos Cullens, quebrei a maioria dos moveis e também da porta de vidro blindada da sala, sei que tenho que me controlar mais ainda, senão quando nessie for uma adolescente os Cullens não me deixaram namorar com ela. Já pensando em minha linda nessie me transformei em humano novamente.

– Nem pense que você irá namorar com minha filha, eu não irei permitir – disse o sanguessuga na porta da sala, a qual estava destruída.

– Ninguém irá me impedir, nem mesmo você Cullen, meu destino e de nessie estão ligados para SEMPRE! – dei ênfase no sempre, para que ele entendesse que ninguém iria nos separar.

– Isso é o que você acha seu cachorro nojento –

– Parem com isso, que criancice dos dois, quem decidirá o destino da minha filha será ela mesma, não tentem interferir no tempo –

– Mas ele... – bella não deixou o sanguessuga terminar sua fala e o interrompeu.

– Eu já disse Edward, será nossa filha que decidirá o que fazer –

– O que tem eu? – disse nessie no topo da escada coçando os olhos e vestida um pijama.

– Não é nada minha querida – disse bella subindo as escadas para levá-la pro seu quarto.

– Mas então o que houve com a sala? –

– Fui eu nessie, me desculpem – disse saindo da casa dos Cullens .

– Espere Jake – nessie gritou no topo da escada

– O que foi minha linda? –

– Você pode vir aqui amanhã? –

– Acho que sim, não sei se vai ter ronda amanhã –

– Mas vou ficar te esperando –

– Tá bom, tchau minha linda –

– Tchau – ela correu e me abraçou.

Quando sai da casa dos Cullens andei uns três quilômetros de moto, quando tive um aperto no coração, algo agonizante, desci da moto e quando dei por mim era uma mulher pequena e magra com cabelos grossos de um castanho pálido e curtos que me olhava fixamente de uma forma estranha, junto a si um homem de cabelos negros, os dois vestiam um casaco grande que chegava a tocar a canela, não os conhecia, mas o por que de estarem ali, quando me dei por conta estava caído no chão morrendo de dor, enquanto eu estava no chão quase sem vida o homem que com ela estava sorria.

– Cuidado minha irmã, não podemos matá-lo –

– Eu sei Alec, mas é bom vê-lo sofrer –

– Pare Jane, senão você irá matá-lo – o tal de Alec mudou seu tom de voz

– Parem, por que vocês estão fazendo isso comigo? –

– Olha, o cachorro sabe falar –

– Ei, por que vocês não procuram algo melhor para fazer? – Sam disse ao jogar uma pedra na mulher que ali estava

– Que tal te matar? – o homem que tem o nome de Alec disse avançando no Sam, o qual se transformou rapidamente e foi ao encontro daquele vampiro.

– Jakee – gritou nessie ao me ver no chão caído.

– Fuja nessie –

Bella ficou em minha frente e fez seu escudo para nos proteger, nada penetrava, nem mesmo os poderes mais fortes.

– Bella, muito obrigado –

– Não há de que meu amigo –


P.O.V. RENESMEE

Senti que deveria ir atrás do Jake e nada iria me impedir, nem mesmo meus pais, mesmo eu sendo pequena tenho muita esperteza.

– Renesmee Carlie Cullen, você não irá sair daqui –

– Vou sim papai –

– Pra onde você vai filha? –

– Ela quer ir atrás do Jacob, só por causa de um pressentimento –

– Já volto –

– Espere eu vou com você filha –

Fomos na mesma direção que o Jake tinha ido quando saiu de casa quando vimos Jane e Alec Volturi, Jane torturava Jake e Alec brigava com o Sam, o que eu não entendi foi o porque fazer aquilo com Jake.

– Jakee – gritei sem pensar nas consequências

– Fuja nessie –

Minha mãe correu e se pos a frente do Jake com seu escudo o protegendo dos poderes de Jane.

– Nessie venha para cá –

Corri em direção à minha mãe e Jake quando senti braços envolta de meu pescoço, era Jane me segurando.

– Alec, deixe esse cachorro e vamos –

– Socorro mamãe –

Enquanto eu segurava os braços de Jane tentando me soltar, minha mãe pegou Jake e levou para um lugar seguro e voltou para tentar me soltar.

– Deixe-a, ela é só uma criança –

– Haha, você acha mesmo que eu vou soltá-la? –

– Sim, ou faremos você soltá-la – disse meu pai chegando com todos os Cullens.

– E nós também faremos você soltá-la – Quil falou e atrás todos os outros Quileutes.

Todos foram para cima de Jane, quando eu mesma me soltei, pois pensei em várias coisas ruins e transmiti para Jane, ela segurou fortemente em sua cabeça.

– Sua fedelha, como pode? –

– Nem eu conheço minha força e não posso te explicar –

Ao me soltar vi Sam e Alec ainda brigando foi aí que todos os Quileutes foram para cima de Alec, mas ele conseguiu jogar Sam para cima dos lobos que iriam ao seu ataque e fugiu com Jane para longe, os Quileutes foram atrás deles para que pudessem matá-los.

– Mamãe e Jake? –

– Ele está a salvo –

– Como todos chegaram aqui tão rápido? –

– A Alice teve uma visão e viemos pra cá –

– Eu quero ver o Jake –

– O Carlisle está cuidando dele – disse tia Rose com uma cara de ódio

– Eu quero vê-lo –

– Como você pode ter se arriscado tanto mocinha? E você Bella, por que não protegeu nossa filha? –

– Eu tive que salvar o Jake e pedimos para que nessie corresse –

– Isso foi uma irresponsabilidade Bella, você não precisava salvar aquele cachorro e deixar nossa filha desprotegida –

– Edward eu não quero brigar com você –

– Ela é nossa filha Isabella Cullen –

– Parem, eu que pedi que minha mãe salvasse o Jake –

– Mas isso não justifica –

– Parem com isso a nessie precisa descansar – tio Emmett repreendeu meu pai.

– Isso mesmo a nessie está cansada – tia Alice se pronunciou

– Vamos né? – tio Jasper e Esme falaram ao mesmo tempo

Ao chegarmos em casa fui correndo para ver o Jake e ele estava já de pé conversando com o vovô.

– Aqui Jake, esse remédio irá cortar suas dores de cabeça – disse pegando um remédio em uma prateleira de nossa “farmácia particular”.

– De quantas em quantas horas? –

– Somente quando você sentir fortes dores de cabeça –

– Está bem –

– Entre nessie – disse me olhando escutando a conversa dos dois pela lateral da porta.

– Oi, como você está Jake? – disse com vergonha e meio sem jeito.

– Estou bem, mas tenho que ir agora, meu pai está me esperando –

– E você vai sozinho? –

– Não, vou com a Leah, ela está ali de fora me esperando –

– E o Alec e a Jane? –

– Eles conseguiram escapar –

– E que corte é esse em sua testa mocinha? –

– Eu bati minha cabeça em uma árvore vindo para cá –

– Sério nessie? – Jake tentou não rir, mas ele não se aguentou e acabou rindo.

– Sim, não é pra rir Jake, se não fosse por mim você estaria morto –

– Me desculpe e muito obrigado minha linda, só que você anda muito desastrada – Ele se conteve e parou de rir ficando com um semblante sério.

– É né, eu que destruí sua sala –

– Quanto a isso, eu vou consertar, mas agora tenho que ir –

Ele me deu um abraço e saiu. Assim que ele passou pela sala destruída eu gritei tchau, mas ele não escutou, mas assim que ele entrou em seu carro, o qual estava sendo dirigido por Leah, disse adeus e até mais. Assim que eles foram embora eu quase desmaiei, só que consegui não desmaiar e fui para o consultório do vovô.

– Vovô eu to passando mal –


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:10 pm, editado 6 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por Giulia_Salvatore em Seg Abr 30, 2012 7:57 pm

Uma das raras fanfics de crepusculo daqui, mas mesmo assim estou amando
quero mais! fato
Giulia_Salvatore
Giulia_Salvatore

Mensagens : 27
Pontos : 2804
Data de inscrição : 14/07/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Nessie

Mensagem por ArielleAB em Seg Abr 30, 2012 8:04 pm

P.O.V. CARLISLE

– Vovô eu estou passando mal -

No instante que terminou a frase ela desmaiou, eu a peguei antes que caísse no chão e batesse sua cabeça.

– Nessie?! Nessieee?! – A coloquei na maca e comecei a fazer alguns exames – Edward, Bella –

– O que houve? – Bella entra no laboratório antes de Edward.

– Nessie! Carlisle o que aconteceu? – Quando Edward entra fica desesperado ao ver nessie deitada na maca.

– Eu não sei, ela entrou no laboratório falou que estava passando mal e em seguida desmaiou, estou fazendo uma bateria de exames para descobrir o que aconteceu –

– Não é melhor levá-la para o hospital? – Bella diz muito preocupada

– Lá não tem os materiais necessários meu amor –

– Melhor vocês saírem –

‘UMA HORA DEPOIS’

– Carlisle ela acordou? –

– Não, mas vocês podem ver o porquê ela desmaiou –

– Deu alguma coisa nos exames? –

– É melhor você ver com seus próprios olhos Edward –

– Então me dê os exames –

– Os resultados ainda não saíram –

– Mas...

– É melhor vocês verem, e não me pergunte mais nada –

Eles abriram a porta do quarto e viram nessie virada pro lado contrario.

– Nessie –

– Mamãe – nessie disse se virando para Edward e Bella

Preciso falar na cara de surpresa deles ao não ver sua pequenina? Agora ela parecia ter uns seis anos.

– Carlisle, foi por isso que ela desmaiou? –

– Sim, era sua hipófise se desenvolvendo –.

N/A: hipófise é o hormônio do crescimento.

Nessie queria levantar da cama, mas não pode porque ainda estava muito fraca, ela ainda estava a se acostumando ao seu novo corpo.

– Acalme-se, você tem que descansar –

– Mais vovô –

– Nada de mais mocinha, seu avô disse que você tem que descansar – Edward disse repreendendo-a.

Saímos do quarto depois que dei um sedativo para nessie dormir e se acalmar.

P.O.V. EDWARD

Quando entrei naquele quarto não imaginei que minha pequenina teria crescido, mas depois de tanto esforço físico que ela teve hoje, como não crescer. Realmente fiquei surpreso, mas não como Bella, ela não falou nada depois que entrou no quarto. Depois que saímos do quarto que ela falou, ela ainda não se acostumou que nossa pequena iria crescer rapidamente.

– Ela realmente não é mais uma criancinha... meu amor devemos matriculá-la em alguma escola –

– Por enquanto não –

– Mas Edward ela já tem “seis” anos, todos vão estranhar uma menina da idade dela não estudar, nós temos condições de pagar uma escola –

– Bella ainda não está na hora, temos que esperar –

– Esperar o que? Eu realmente não te entendo –

– Esperar para ver se o crescimento dela paralisou só por um instante, até quantos anos ela irá crescer. Nós não sabemos até quando o crescimento dela irá durar meu amor –

– Já fiz os exames, estou providenciando um laboratório para a análise –

– Quando você irá levá-los? – Carlisle não me respondeu, mas sei que ele iria levar hoje mesmo.

“UMA HORA DEPOIS”

– Está bem meu amor, concordo. No dia do aniversário dela faremos isso, concerteza me arrependerei, mas será o melhor a se fazer –

– Que tal passarmos esse final de semana na antiga casa Cullen? –

– É melhor não –

– Só nós dois? –

– Se for assim, é claro meu amor – disse a abraçando e dando um beijo naquela linda boca, coloquei uma de minhas mãos em sua nuca e a outra envolvi em sua cintura, segurei-a firme e fiz com que meus beijos a fizessem delirar de paixão.

– Mamãe –

Bella se afastou de meus lábios e foi ao quarto de Nessie e em um instante voltou para nosso quarto.

– Ela só queria saber amanhã iremos caçar –

– Ah sim –

Novamente a envolvi em meus braços.

– Posso continuar Sra. Cullen? –

– Claro meu Cullen –

Eu a beijei até que ela se entregou por completo, nossos corpos se uniram. Bella começou a desabotoar minha blusa enquanto nossas línguas se conectaram de forma sensual. Massageei seus cabelos castanhos com minha mão esquerda, enquanto a direita deslizava por seu corpo, e reconhecendo cada parte como minha. Quando percebi estávamos deitados na cama sem roupa. Seus pensamentos gritavam meu nome, bella girou nossos corpos de forma que ela ficasse sobre meu corpo. Entre beijos intensos e afagos ficamos por muito tempo, nossos corpos se modelaram com perfeição até não aguentarmos mais.

– Eu te amo Edward Anthony Masen Cullen –

– E eu te amo ainda mais, minha Isabella Marie Swan – ela sorriu ao me ouvir dizer essas palavras.

– Eu estava pensando... que poderíamos ir nesse final de semana para a antiga mansão Cullen, que tal? –

– Claro meu amor, mas se você quiser podemos ir hoje mesmo –

– É melhor no final de semana Edward –

– Já que você insiste –

– Oh, hoje que nossos irmãos irão viajar –

– Ah deixa eles pra lá –

– Edward...

– Está bem, vamos lá-

Descemos e nos despedimos de todos, só iria ficar o Carlisle, Nessie, eu e minha Bella. Não sei o porque de ir aos Estados Unidos. Logo depois que não pudesse ver os carros entramos em casa e sentamos no sofá, Carlisle e Nessie do lado direito, eu e Bella do lado esquerdo.

– Carlisle, porque eles vão aos Estados Unidos? –

– Bem Edward esse assunto é meio complicado – Sei que não é complicado, ele só não quer contar. – Edward peça para que Bella leve a Nessie para caminhar – ele nem abriu a boca, mas pensou com total clareza

Encostei meus lábios no lóbulo da orelha de Bella e sussurrei mentalmente para que parecesse que eu estava falando em seu ouvido, pois se eu não a fizesse arrepiar ela não iria desbloquear sua mente – Bella do meu coração, eu preciso falar com o Carlisle, você pode levar nossa pequena para passear? – Ela somente balançou positivamente sua cabeça suavemente.

– Nessie, vamos caminhar um pouco? –

– Ah vamos brincar no balanço mamãe –

– Claro, vamos fazer uma corridinha –

– Quem chegar por último perde –

Logo que elas estavam longe comecei a fazer milhares de perguntas para Carlisle.

– Calma Edward –

– Tá bom, mas me falei porque eles foram com urgência para os Estados Unidos? –

– Alice e Rosalie irão fazer uma cirurgia –

– Como, elas não podem, vamos ser descobertos –

– É um médico de minha confiança, ele também é um vampiro –

– Ah sim, mais que cirurgia elas vão fazer? –

– Vão fazer transplante de útero e alguns óvulos –

– Elas querem engravidar? –

– Sim, principalmente Rosalie –

– E como será esse procedimento? –

– Bem, o Alaric irá fazer um transplante de útero humano para elas, e no outro dia irá para o segundo passo –

– E qual é esse? –

– Irá implantar um óvulo já fecundado com o esperma –

– Mas o útero não irá se adaptar ao corpo vampiro –

– Irá, pois o Alaric irá dar sangue humano para que seja injetado diretamente nas veias, e alimentará os bebes lá mesmo, eles irão ficar lá por muito tempo –

– E quando elas...

– ihuu – fomos interrompidos pela nessie

“UM TEMPO DEPOIS”

P.O.V. RENESMEE

– Vovô, será que algum dia vou estudar? –

– Claro Nessie, todos os Cullens estudaram por muitos anos e você não seria a primeira a não ir à escola –

– E quando? –

– Melhor não nos preocuparmos agora, vamos preparar seu lanche? –

– Siim – sorri e fomos para a cozinha

– Oi minha princesa –

– Oi Jake – corri e o abracei bem forte

– Olá Carlisle –

– Como vai Jacob? –

– Bem, muito obrigado –

– É Jake já faz uma semana que você nem vem aqui, você disse que iria vir aqui mas nem deu as caras –

– Desculpa princesa, não teve como vir –

– Não tem problema Key –

– Uai nessie, de onde veio esse Key? –

– Inventei esse apelido agora – comecei a cair na gargalhada e o Jake nem entendeu, nem eu mesma entendi.

– Percebi, mais deixa pra lá –

– Você irá fazer alguma coisa hoje? –

– Sim, ela vai –

– Oi para você também Edward –

– Por que vocês dois sempre brigam –

– Não é nada minha querida –

– Pois esse nada deixa minha cabeça confusa mamãe –

– Algum dia eu te conto minha princesinha –

– E aí Bella eu posso me divertir um pouco com a nessie? –

– Claro que não –

– Eu não estou perguntando para você sanguessuga –

– Jake... –

– Me desculpe Bella, eu havia me esquecido que você também tinha virado uma deles –

– Vamos parar com isso Jacob – vovô disse adentrando a sala.

– Eu já vou nessie, vejo que não sou bem-vindo aqui –

– Não jake, fica... vamos brincar um pouco –

– De que? –

– Que tal Barbie? –

– De Barbie nessie? –

– E o que você sugere? –

...

– Então vamos brincar de Barbie –

Subi as escadas e peguei todas bonecas que ali haviam, não eram muitas... somente umas cinquenta Barbies, eu queria ter bem mais Barbies, mas meu pai não quis comprar. Levei-as dentro da bolsa de minha mãe, claro que tive que tirar aquele monte de papeis que estavam lá dentro e concerteza a mamãe iria brigar só que nem estou me importando, se for pra brincar com o jake eu posso levar um monte de broncas.

– Ué, cadê eles? –

– Foram caçar –

– Nossa, eu tenho que ir... estou morrendo de fome –

– Mas...

– Você pode me ensinar a caçar Jake? –

– Mais você não vai caçar com eles sempre –

– Só fui uma vez, mas fiquei só olhando como eles caçavam –

– Então eu te ensino, vamos lá? –

– Claro! -


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:11 pm, editado 2 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Jacob

Mensagem por ArielleAB em Seg Abr 30, 2012 8:36 pm

Há algo de errado no comportamento do Jake, será que fiz alguma coisa com ele? Se fosse isso ele me diria, de alguma forma mais me diria. Pois então, vou a casa dele para descobrir o que está acontecendo, existe um problema: a permissão dos meus pais. Procurei meu pai não o encontrei, somente meu avô.

– Oi Nessie, o que você está procurando? –

– Meus pais –

– Oh sim, sua mãe está na varanda e seu pai saiu –

– Obrigado vovô – dei um abraço apertado e um beijo em sua bochecha e sai.

Fui atrás de minha mãe e a encontrei no lugar que meu avô tinha dito. Ela estava olhando o pôr do sol, sua pele brilhava intensamente, minha pele não brilhava, mas a de minha mãe era como milhares de diamantes puros, um brilho que ofusca qualquer olhar. O vento batia em seu rosto fazendo com que seus cabelos castanhos voassem. Algum dia eu gostaria de ser como minha mãe, linda.

– Mamãe –

– Sim coração? – disse se virando para mim.

– Eu posso ir à casa do Jake? –

– O que você irá fazer lá? –

– Eu preciso conversar com ele urgente -

– Está bem, mas eu vou te levar –

Sorri e balancei minha cabeça positivamente. Ela pegou a chave do carro que estava em cima da cômoda da sala, fiquei a esperando na porta de casa enquanto ela foi à garagem pegar seu carro. Assim que ela parou na frente de casa, entrei no carro e fomos rumo à casa do Jake. O caminho foi longo, mas chegamos.

– Mais tarde venho te buscar -

– Está bem mamãe -

Quando bati na porta o Billy apareceu. Quando minha mãe viu que ele havia me atendido, ela retornou para casa.

– Olá, quem é você? - O Jake não havia falado que eu tinha crescido novamente, mas ele ao saberia como eu iria estar, já fazia um tempo que eu não ia à casa deles.

– Oi Billy, eu queria falar com o Jacob -

– Ah sim, espere um momento, vou chamá-lo! - Ele fechou a porta, mas abriu no mesmo momento. - Qual seu nome mesmo? -

– Me chamo Renesmee... -

– Nessie? Nossa como você cresceu, eu não estava te reconhecendo, isso mostra que não nos vemos faz um bom tempo - até que não faz tanto tempo assim, só quase um ano. - vamos entrar pequena -

– Claro -

Entrei, e me sentei no sofá, olhei para os lados, mas não tinha sinal de que Jake tinha acordado, com certeza ele deve estar dormindo.

– Vou chamá-lo - Billy foi em direção ao quarto de Jake.

– Está bem -

Ouvi Billy bater na porta.

– Jake, você tem visita -

– Não amola pai -

Billy abriu a porta e puxou algum pano, acho que era o cobertor de Jake.

– Vamos Jake acorde, a Nessie está te esperando na sala -

– O que? A Nessie tá aqui? - Me parece que ele acordou apavorado, pelo barulho ele quase caiu da cama.

– Sim, vou lá avisar para ela que você já vai - Ele saiu e fechou a porta.

– Ele já está vindo -

– OK - dei um meio sorriso.

– Ai droga - Ele estava procurando uma roupa, sei disso pelo barulho dos cabides batendo uns nos outros. Escutei alguns passos e a porta abrindo e logo em seguida se batendo.

– Oi princesa - ele me deu um abraço e deu um beijo em minha testa.

– Bom dia maninho, tudo bem? -

– Tudo, o que te trás aqui? -

– Você - vi suas bochechas ficarem um pouco rosadas.

– Eu? -

– Sim, eu queria saber por que você não tem me visitado como antes -

– Vem cá - Ele segurou em minha mão e me levou à floresta.

Uma brisa calma fazia com que as folhas das arvores balançassem, o som dos animais correndo assim que escutavam qualquer barulho suspeito, as aves pousando nas árvores. Tudo em sinfonia, uma orquestra desorganizada que mais parecia ser um belo som para os ouvidos de qualquer pessoa.

Sentei em um banco que estava na entrada da floresta e o Jake ficou em pé de frente à mim.

– Jake, me responde! -

– Eu não posso falar, senão colocarei sua vida em risco -

– Por quê? Eu preciso de uma resposta Jake, por favor, me diga o que está acontecendo -

– Não posso princesa -

– Só me fala porque não! -

– Porque aquele vampiro que apareceu tentará fazer alguma coisa com você -

– Se você estiver comigo, nada me acontecerá. Volte a me visitar Jake -

– Mas...

– Nada de mas, sua presença não tem preço para mim Jake - lágrimas de meus olhos começaram a cair.

– Não chore princesa, não aguento te ver chorando -

– Então volte a me visitar -

– Não posso colocar sua vida em risco -

– Pois agora eu que não quero que você me visite - Disse me levantando para ir embora.

– Não vá - ele segurou meu braço.

– Me solta Jake, se você não quer me ir em minha casa, também não preciso te visitar, então me solta -

– Sente-se, eu voltarei a te visitar com frequência -

– Está bem - me sentei e tentei escutá-lo.

– No dia em que aquele vampiro tentou te matar, de manhã senti como se tivesse que ir em sua casa, mas eu estava muito ocupado, e mais tarde senti novamente que tinha que ir onde você estava, foi muito forte o que senti e quando cheguei lá vi aquele idiota quase te ...

– Matando - ele não teve coragem de dizer, pois eu disse.

– É, fui no impulso e o ataquei, ele me disse que nada adiantaria, por que ele iria voltar e te matar, se eu me afastasse ele iria te deixar em paz e ainda mais, ele disse que sempre estaria nos vigiando, não posso deixar que ele te machuque Nessie, não você -

– Mas meus pais não iriam deixar que ele me machucasse -

– Eu não quero me arriscar em te perder, não posso ficar perto de você, não posso colocar sua vida em risco -

– Você não vai colocar minha vida em risco Jake, meus pais me protegeram e o mais importante, você me protegerá -

– Não há como eu te proteger, somente sua família pode -

– Não são somente eles, você também pode e agora me diga que você irá voltar a me visitar - fiz cara de cachorro pidão.

– Nessie já disse não posso colocar sua vida em risco -

– Meu avô descobriu um jeito de matar aquele maldito, mas você terá de ir lá em casa porque aqui não dará para falar -

– Está bem Nessie, irei a sua casa amanhã e voltarei a te visitar. Agora, vamos brincar pega-pega? -

Ele saiu correndo rumo à floresta e se transformou em lobo, resolvi entrar na brincadeira, enxuguei as lágrimas e corri atrás de Jake, ele é muito mais rápido do que eu, só que ainda consegui o alcançar.

– kkk, te peguei - Jake acabou escorregando e caiu no chão. Também cai, mas encima do pelo dele. Ele voltou a sua forma de humano e se levantou comigo no colo.

– Vou te levar para casa, como você prefere viajar? -

– Gosto de viajar em cima de um grande lobo que é super veloz -

– Então se prepara que vamos correr -

Ele se afastou um pouco e se transformou em lobo, abaixou para que eu pudesse subir em suas costas. Segurei em seu pescoço, seu pelo macio como uma almofada, ele correu em direção à minha casa. A paisagem que passava não poderia ser apreciada por um humano na velocidade em que estávamos, mas como eu sou um pouco vampira vejo tudo claramente, desde os pequenos detalhes das flores até as gigantescas árvores. O passeio estava muito bom, mas chegamos à minha casa, Jake se abaixou para que eu pudesse descer, pelo visto ele resolveu terminar o trajeto à pé.

– Eu não acredito nisso Bella -

– Eu que não estou acreditando nisso Edward, como você está me falando uma coisa dessas -

– Espere, alguém está se aproximando -

– Deve ser o Jake e a Nessie -

Será por que estavam brigando?

– Pronto Nessie, você já pode ir -

– Não sem você, vamos - peguei em sua mão e o levei até minha casa.

– Oi Jacob, Nessie -

– Olá Carlisle -

– Oi vovô -

Eu entrei mais o Jake ficou do lado de fora.

– Vamos Jacob, entre -

– Não posso Carlisle, tenho que voltar, meu pai está me esperando -

– Ah, para de mentir Jake. Você estava dormindo quando cheguei em sua casa -

– Está bem Nessie, eu entro -

Ele entrou e fomos para a sala, meus pais estavam sentados no sofá pequeno, meu avó sentou-se na poltrona, eu e Jake nos sentamos no sofá grande.

Passou um bom tempo, mas quase nada foi dito daí surgiu um assunto que preocupava Jake, o misterioso vampiro.

– Nessie me disse que vocês acharam um jeito de mata-lo? -

– Sim, mas existe um porém! -

– Qual? -

– Como iremos encontra-lo? -

– Não se preocupe ele aparecerá antes do que vocês imaginam! -

– Por que Jake? - minha perguntou meia em duvida.

– Porque basta eu voltar a visitar a Nessie e ele voltará a ataca-la. Melhor se prepararem -

– É melhor nos prepararmos Jacob, pois você irá lutar junto - Que milagre, meu pai ter chamado o Jake para fazer alguma coisa conosco. -

– Está bem, como é para que a Nessie fique protegida eu lutarei, mas o que mata este monstro -

– É um cristal raro, chamado Berilo azul -

– E onde podemos o encontrar? -

– No Brasil -

– E quem irá buscar? -

– Eu e a Bella -

– Nessie seus tios e sua avó voltaram - meu avô disse com intensão de me tirar da sala.

– E onde estão? -

– Estão no quarto - meu pai estava com uma expressão de felicidade.

– Vou lá ver eles -

– Estão no quarto de hospedes minha querida - Ainda bem que meu pai me avisou.

– Eu já volto Jake -

– Está bem princesa - Meu pai olhou pro Jake com ódio.

Subi as escadas e fui ao quarto de hospedes. Bati na porta e o tio Pe(Jasper) abriu a porta.

– Oi tio -

– Oi pequenina - ele se abaixo me pegou no colo, me abraçou e beijou na bochecha.

– Por que vocês estão no quarto de hospedes? -

– Seus pais e seu avô não te contaram? -

– Não -

– Traga ela aqui meu amor -

Entramos no quarto. Eu nunca acreditei que veria minha tia com uma criança no colo. Tio Pe me colocou no chão e me aproximei de minha tia Lie, realmente fiquei muito surpresa e não saia nenhuma palavra de minha boca.


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:12 pm, editado 2 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por Dawn em Qua Jul 11, 2012 3:28 pm

1 ano de fórum!

_________________

Regras e Informações & Tutoriais e Dicas

"And if I claim to be a wise man, well, it surely means that I don't know"
Dawn
Dawn
Admin

Mensagens : 1897
Pontos : 7494
Data de inscrição : 11/07/2011
Localização : Mystic falls U.U

http://salvatoreh.tumblr.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Engano

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:19 pm

Fomos em direção à imensa floresta que ficava de frente a minha casa, tudo estava quase perfeito, era uma tarde calma, com brisas suaves que batiam no rosto e fazia sentir o cheiro de natureza, de vida que ali havia. Quando estávamos no meio da floresta Jake parou e eu também.

– Então vamos começar? –

– Sim –

– Primeiro você tem que sentir o cheiro de sua presa –

Respirei fundo e senti o cheiro de bastantes animais, entre eles alguns cervos que pareciam clamar por meu nome.

– Pronto? –

– Sim, e agora? –

– Me diga quais são esses animais –

– Há bastantes, como leão da montanha, ursos pardos e negros, alces, coiotes, alguns cervos mulo e alguns peixes e pássaros –

– Vamos atrás dos cervos mulos, eles tem um gosto incrível –

– Jake, você já atacou algum cervo ou outro animal? –

– Droga, eu estava esperando isso para mais tarde, nossa que pena minha pequena –

– Por que nossa que pena? – ele segurou meu braço muito forte

– Porque eu não sou o seu queridinho Jacob Black –

– Mas...- Ele não me deixou terminar a frase e se transformou em um cara totalmente diferente, o qual me parecia ser um dos Volturi.

– Me desculpe eu não sou um Volturi, sinto muito em desapontá-la –

– Como assim você pode ler meus pensamentos, só meu pai consegue... Mas agora nem ele consegue por eu o bloqueio –

– Você ainda não sabe mais eu tenho o poder de quase todos os vampiros, eu fui criado para matar quem atravesse meu caminho. Eu só fui uma cobaia para aqueles malditos –

– Cobaia? –

– Sim pequena, eles me criaram desde pequenos, mas nunca me deixaram ver a luz do sol, sempre injetavam algo em minhas veias e eu sempre me sentia mais forte, até que pude escapar daqueles vampiros estúpidos, mas agora eu só penso em uma coisa... me vingar de todos, e você só irá ser mais uma de minha lista, vou ser o mais rápido possível, você não irá sentir nada, sinto muito pequena mas adeus – em suas ultimas palavras suas mãos passaram lentamente em meu rosto e senti a morte me segurando cada vez mais. Fechei os olhos para tentar não sentir dor, mas do que adiantaria? Eu iria morrer de todo jeito, não havia ninguém por perto, como eu poderia sobreviver?

Senti somente uma brisa passando pelo lado direito do meu rosto, uma brisa leve e confortante, realmente não havia dor em minha morte. Em meus últimos minutos eu só pensei em duas coisas, em minha família e no Jake, morri feliz.

– Nessie abra os olhos, venha –

– Um anjo me chama para caminhar para o céu, mas ele tem a voz do Seth, estranho –

– Vamos nessie, abra os olhos –

Como ele pediu eu abri meus olhos lentamente, era mesmo o Seth.

– Eu não morri? –

– Claro que não nessie, olhe ali o Jake está brigando com aquele vampiro maldito –

– E como vocês chegaram aqui tão rápido? –

– Não sei explicar –

P.O.V. JACOB

Senti um aperto no coração e senti que deveria ir o mais rápido o possível para a floresta. Sai correndo de minha casa e me transformei, Seth estava chegando quando eu estava saindo. Quando me viu correndo, se transformou e me seguiu, e nos comunicamos pelo pensamento.

– Jake, aonde você vai? –

– Á floresta em frente à casa dos Cullens –

– Me espere que eu também vou –

– Não posso esperar –

– E o porquê de tanta pressa Jake? –

– Ainda não sei –

Ele me seguiu por muito tempo, mas quando fomos pular a cachoeira, somente eu pulei, quase cai, mas me compus e corri ainda mais rápido. Ao chegar aonde eu deveria, pelos menos eu acho que deveria, senti o cheiro de nessie e outro vampiro, concerteza ela estava em perigo. Foi aí que fui calmamente, e ao ver um vampiro maldito quase matando minha nessie, ela já não era minha pequenininha, já aparentava ter uns seis anos, como eu pude ficar tanto tempo longe de minha pequena? Meu coração disparou e senti uma vontade muito grande de estraçalhar aquele vampiro maldito. Pensei em gritar, mas isso faria com que aquele desgraçado matá-la, e isso não iria acontecer.

Corri e pulei em cima daquele vampiro fazendo com que ele caísse bem longe de minha nessie, parei um momento para apreciá-la, mas eu tinha que matar ele. Enquanto ele se levantava eu corri e o mordi nas costelas, mas ele agiu rapidamente e me deu um soco, o qual não pensei que iria doer tanto, me levantei e fui novamente ao ataque, já estava furioso e ele ainda provoca? Em um momento de distração observei Seth chegando e tentando levar nessie para longe, e nesse exato momento o vampiro tentou me morder. Leah chegou e o jogou para longe, agora éramos nós dois.

– Você não pode ficar distraído, tem que prestar atenção nele Jake –

– Não preciso de sermão Leah –

– Então preste atenção e não fique babando pela menina –

– Vamos pegá-lo –

– Agora? –

– Sim –

Avançamos e mordi um dos braços, Leah tentou, mas ele se esquivou, a qual acabou caindo e derrubando uma árvore em cima de nós dois. Eu não me distraí com o barulho da árvore caindo só aproveitei o momento e mordi a cabeça dele e arranquei-a fora, o sangue me parecia ser de uma pessoa humana, pois era muito vermelho e vivo. Seu sangue jorrava, parecia mais que estava chovendo. Leah se levanta já como humana e pega a cabeça do importuno e segura pelos cabelos, vi que ela iria falar alguma coisa, mas a minha vontade de saber se nessie estava bem falou mais alto. Fui para trás de uma arvore e me transformei novamente em humano.

– Nessie, minha princesa você está bem? –

– Muito obrigado Jake –

– Pelo que? –

– Por ter me salvado –

– Não precisa, pois é isso que eu tenho que fazer e morrerei fazendo –

– Quem era ele Jake? –

– Eu não sei nessie, nunca o vi antes –

– Ele era um vampiro, não era? – Seth pergunta preocupado

– Sim, e me parecia ser inofensivo –

– É nisso que você se engana – o vampiro disse se regenerando e fazendo com que todo seu corpo voltasse a vida, mas como é possível? A sua cabeça estava na mão de Leah, como pode.

– Como ...–

– Eu sou muito mais forte do que você imagina, mas agora eu quero ir embora... daqui algum tempo eu volto – Nem mesmo pisquei os olhos e ele desapareceu.

– Leah, você ainda está com a cabeça dele na mão e como ele pode ter se regenerado? – comecei uma conversa mental.

– Eu não sei –

– Ah esconda essa cabeça, a nessie pode ficar traumatizada... vamos ter que levá-la pro Carlisle analisar –

– Jake, ele não tinha morrido? –

– Sim, não podemos ficar aqui, vamos para sua casa –

Nós três nos transformamos, me ajoelhei diante de nessie para que ela subisse em cima de meu pelo e pudesse levá-la dali o mais rápido o possível. Assim que chegamos a casa dos Cullens não havia barulho algum, entramos e fomos procurar por todos, mas não havia ninguém ali.

– Onde estão todos? –

– Meus tios e minha avó foram para os Estados Unidos, só estavam aqui meus pais e meu avô, eu tinha ido buscar minhas barbies...

– E te deixaram sozinha? São um bando de irresponsáveis – Como podem, deixaram uma criança sozinha

– Não, tinham me deixado com você, pelo menos parecia ser você Jake... Minha família não é irresponsável, eles me amam e nunca deixariam que fizessem algo comigo –

– Mas eu não estive aqui antes –

– Era aquele vampiro sofredor –

– Nessie, você está aqui? –

– Mamãe... – Ela correu ao ver Bella abrir a porta de sua casa chamando por seu nome.

– Olá Bella, por que vocês deixaram a Nessie sozinha aqui? -

– Nós não a deixamos sozinha, deixamos-a com você -

– Eu não venho aqui faz um tempo -

– Conversamos depois, mais claramente, por que estou com a cabeça quente -

– Está bem -

Vi Leah entregando a cabeça daquele vampiro pro Carlisle, assim que entregou ela balançou a cabeça positivamente. Entendi que já poderiamos ir, provavelmente ela havia contado tudo o que acontecera para ele.

– Já temos que ir Jacob – Leah disse olhando para a porta.

– Então está bem, tchau para todos –

– Por favor Jake fique –

– Eu tenho mesmo que ir princesa –

P.O.V. RENESMEE

Assim que abri os olhos era mesmo Seth, olhei em volta e o Jake estava brigando com aquele monstro. Vi o geito em que um jogava o outro contra sua própria força, um geito incrível de se lutar, Jake acabou ganhando claro, ele decepou a cabeça do montro. Mas uma coisa foi inacreditavel, ele retornou à vida mesmo sem sua cabeça, o qual fugiu dizendo que iria voltar. Jake com medo que ele me machucasse me tirou de lá, subi em cima de suas costas, foi uma corrida de lobos, não sei quem ganhou, mas o vento em meu rosto fazia com que meus cabelos voassem para trás como se estivessem voando.

Assim que chegamos em minha casa Jake procurou por todos, mas não encontrou ninguém, assim que eles chegaram corri e dei um abraço em minha mãe, Jake discutiu um pouco, mas meus pais e meu avo nao sabiam do vampiro mutante. Pedi para que Jake ficasse ali.

– Por favor Jake fique -

– Eu tenho mesmo que ir princesa -

– Só mais um minutinho -

– Anda Jake, vamos - a Leah é muito enjuada.

– Já estou indo -

– Por favor Jake, por mim... você sabe que eu te amo... você é o irmão que eu jamais poderei ter - Vi os olhos dele brilharem quando eu disse que o amava, mais não entendi o porque.

– Meu pai está gripado e eu tenho que cuidar dele -

Ele saiu por aquela porta e não o vi mais, meus pais me fizeram um monte de perguntas, mas a única coisa que eu disse era para que perguntassem pro Jake.

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Descobertas

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:21 pm

– Oi Nessie, tudo bem? - tia Li colocou um bebe enrolado em uma manta rosa brilhante em um berço também cor de rosa e me deu um abraço bem apertado, retribui com um beijo.

– Tudo sim - Acho que devo estar em estado de choque, pois jamais imaginei ver minha tia cuidando de uma menina, anão ser que eu fosse essa menina.

– Qual o nome dela? –

– Ela irá se chamar Annabelle Hale Cullen –

– Quer segurar sua prima? –

– Claro tio Pe –

Sentei em uma poltrona que estava do lado do berço e minha tia pegou minha prima Anna e colocou em meu colo, senti algo diferente com aquela menina, com certeza ela deve ter algum poder especial. Bem mais especial que o meu.

– Ela gostou de você Nessie –

– Como você sabe tia? –

– Porque ela está te olhando e sorrindo – Também sorri ao ver que realmente ela me olhava e sorria. Incrível como parece que iremos nos dar muito bem.

– Onde está o tio Em e a tia Rose? –

– Estão no outro quarto de hospedes –

– No qual? – nem preciso contar que minha casa é uma mansão, pois tem só uns onze quartos, quatro sendo de hospedes.

– Estão no quarto ao lado –

– Levarei a Nessie lá e já volto meu amor – meu tio deu um beijo na Anna e um em minha tia.

– Tchau Anna –

– Ela sorriu para você Nessie – também sorri para minha tia quando ela me disse que Anna havia sorrido para mim.

– Tchau tia –

– Até mais fofa –

– Você quer ir de cavalinho Nessie? -

– Siiim -

Ele me pegou e saímos do quarto, antes de batermos na porta a tia Rose abriu a porta.

– Oi minha querida, entre -

– Oi tia, cadê meu priminho ou priminha? -

– Venha Jasper - até esqueci que estava brincando de cavalinho com meu tio.

– Tenho que ajudar Alice a olhar minha pequena -

– Está bem - Meu tio me colocou no chão e entrei no quarto e o tio Em estava segurando uma criança com uma manta azul.

– Vou preparar o leite do meu lindo - Ela saiu com uma mamadeira azul com alguns elefantes.

– Oi tio Em, oi vovó, qual será o nome dele? - minha avó estava os ajudando a cuidar do meu lindo priminho.

– Eu e Rosalie vamos registrá-lo como Garrett McCarty Cullen -

– Ah não tio, esse nome é feio -

– Assim que minha heroína voltar iremos escolher outro nome, Você quer pegá-lo? -

– Claro! - Ele estava todo desajeitado, e ainda mais quando ele tentou colocar ele em meus braços.

– Deixa que eu ajudo - minha avó disse aproximando.

– Não precisa Esme, dou conta - ele quase deixou meu primo cair, mas ele deu conta de equilibrar -

– Me dê ele aqui Emmett antes que você o deixe cair -

Ele entregou o bebe para minha avó e ela colocou-o em meu colo, assim como quando segurei Anna, me senti diferente ao segurá-lo.

P.O.V. JACOB

Assim que Nessie subiu fomos para o escritório.

– Então, quando vocês irão buscar o cristal? -

– Vamos amanhã mesmo - Edward disse me encarando furiosamente.

Por que Edward está me olhando assim? Perguntei pra mim mesmo, mas Edward acabou escutando meus pensamentos.

– Porque você fica chamando minha filha de sua princesa! - ele gritou em minha mente.

– Não precisa gritar, porque todos sabem que a Nessie será minha mais cedo ou mais tarde. Nada que você fizer irá adiantar, ela é a princesa de minha vida e será assim pelo resto da vida - respondi mentalmente.

Ele tentou me dar um soco, mas bela entrou na frente e criou um escudo.

– Edward e Jacob eu não quero brigas, estamos tentando resolver um problema aqui, e esse problema é da segurança de nossa filha Edward. Não me importa o que vocês estão conversando mentalmente. Agora vamos parar agora -

– Já parei meu amor -

– Só a Bellinha falar e o sanguessuga sossega -

– Jake pare com isso -

– Me deixa quebrar a cara dele que tudo se resolve meu amor -

– Fiquem quietos agora, ou senão vou ter que calá-los a força - Rosalie entrou furiosa na sala ao nos ouvir brigando.

– Você na é párea para mim loira -

– Você é quem pensa seu cachorro fedido -

– Agora já chega! Cansei de vê-los brigando - pelo jeito que Carlisle gritou, ele deve ter se estressado.

– O que quer Rosalie? -

– Vim buscar leite pro meu bebê -

– O Emmett está mamando loira? -

– A Rosalie tem um filho Jake -

– Ah sim - não entendi o que Bella quis dizer, mas resolvi concordar.

– Vou preparar a mamadeira do meu filho e deixar-lhes conversando -

Assim que a loira saiu, resolvi fazer uma séria pergunta pra Bella, mas para só ela escutar - Filho nascido do ventre daquela louca desnaturada? -

– Sim Jacob, ela não é uma louca desnaturada. Um medico dos Estados Unidos que também é vampiro faz com que vampiras tenham filhos. Isso não importa agora - Não adiantou fazer uma pergunta baixa para Bella, pois até Carlisle escutou.

– Até a Nessie poderá engravidar? -

– A Nessie não precisará fazer esse tratamento, pois ela é mais humana do que vampira -

– Por que essa pergunta seu cachorro fedorento? -

– Só pergunta -

– Ah seu … - Ele tentou mais uma vez me dar um soco, mas desta vez Bella segurou a mão do sanguessuga.

– Meu amor se acalme - ela disse dando uma mordidinha no lóbulo da orelha de Edward.

– Já que você me pede com carinho eu vou tentar me controlar -

– Agora vamos poder falar do Bill? -

– Quem é Bill? -

– É o vampiro que atacou Nessie, ele foi sequestrado quando criança e jamais achado. Pelo menos até agora, ele deve ter sido pego quando criança e levado para um laboratório de pesquisas científicas -

– E como você descobriu Carlisle? -

– Tenho minhas fontes Jacob -

– Como vamos pegá-lo Carlisle? -

– Como o Jacob disse, ele virá até nós -

– E por que ele viria até nós, sabendo que podemos matá-lo? -

– Porque como Jacob disse, ele pediu para que ele se afastasse de Nessie e como ele está se reaproximando dela, ele virá atrás de nós -

– Carlisle, qual o motivo dele querer afastá-los? - Boa pergunta Bella.

– Devem ser os Volturi, atrás de tudo isso -

– Eles não irão ganhar nada se ao me separar da Nessie! -

– Ao contrário Jacob -

– Eles não precisariam enfrentar os Quileuts, nos matariam facilmente e pegariam Nessie para o Clã Volturi -

– Nada disso faz sentido Carlisle -

– Pior que faz meu amor, meu escudo ainda não é tão forte para suportar os Volturi -

– Você está ficando cada dia mais forte meu amor -

– Descobri algo que poderá aumentar a força e os poderes de nós -

– E o que é Carlisle? -

– Não tenho certeza ainda, mas foi o que fez com que Edward aumentassem os poderes! -

– Mas eu não sei o que foi que me fez aumentar meus poderes! -

– Você lembra de quando você e Jake brigaram? -

– Sim, o que tem haver? -

– Uma gotícula do sangue dele acabou caindo em sua boca! -

– Como você sabe que uma gotícula do sangue dele caiu em minha boca? -

– Porque essas gotículas se multiplicaram e acabaram se juntando ao seu sangue, e não se pode retirá-las, pois se misturaram de forma com que cobrissem metade de suas células -

– Como pode? - Fiquei pasmo a escutar tudo que foi dito por Carlisle. Fiquei boquiaberto com o que uma briga causou.

– Simples Jacob, se você for mordido por um vampiro você pode morrer, mas o vampiro que o bebe fica mais forte -

– Vocês vão beber meu sangue, vão me matar? - Agora eu tenho movo para nunca mais voltar.

– Não Jacob, faremos uma transfusão de sangue -

– E quando faremos? -

– Depende de todos os Quileuts -

– Já sei de uma forma que farão com que eles façam uma forma de transfusão para vocês -

– Como Jake? - Bella perguntou com muita curiosidade.

P.O.V. RENESMEE

– Ai que fofinho -

Assim que falei fofinho, tia Rose entrou no quarto. A cara dela não era a das melhores.

– O que foi tia? -

– Aquele cachorro sarnento me paga -

– O que o Jake fez? -

– Esquece Nessie, não precisa se preocupar. Agora vou dar mamadeira pro meu neném, pode o colocar no berço - ela mudou da água para o vinho.

– Meu amor, ninguém gostou do nome que vamos colocar em nosso filho -

– Você também não gostou Nessie? -

– É um pouco estranho para essa geração e provavelmente para a próxima -

–Então qual seria um nome perfeito para ele minha querida? -

Pensei um pouco até que surgiu um nome que vi na internet. - Que tal Tyler? -

– Era o nome de meu avô paterno - vi na face de minha tia uma grande tristeza.

– O que aconteceu com ele? -

– Melhor não falarmos nisso meu amor - ela olhou para mim tentando disfarçar a tristeza e passou a mão por meu rosto e outra vez me senti estranha.

– Podemos colocar o nome dele de Tyler McCarty Cullen! -

– Não Emmett. Que tal Tyler Lockwood Cullen? -

– De onde você tirou esse Lockwood, Esme? -

– Era o nome de meu filho que morreu -

– Eu gostei meu amor -

– Eu também gostei Emmett, está certo Esme. Nosso filho se chamará Tyler Lockwood Cullen, pois gostamos de você como uma mãe -

– E de fato ela é nossa mãe meu amor -

– Ela é minha linda avó - dei um abraço apertado nela e me senti diferente mais uma vez - vou pegar algo para beber -

– Está bem querida - minha avó disse sorridente

Saí do quarto e fui em direção às escadas quando estava a dois degraus do chão eu escorreguei e acabei caindo de bunda, ninguém percebeu, mas doeu. Levantei rapidamente e fui para a cozinha, quando passava pelo escritório escutei uma parte da conversa dos meus pais e meu avô e o Jake.

– E quando faremos? -

– Depende de todos os Quileuts -

Resolvi ir para a cozinha e não escutar a conversa entre eles, mas sobre o que estavam conversando que irá depender de todos os Quileuts? Ah! É melhor deixar pra lá. Na cozinha preparei um sanduiche e um suco de laranja e fui para a sala de jantar, vi Jake e meus pais saindo do escritório e meu avô ficou resolvendo alguma coisa lá, mas logo em seguida saiu.

– Jacob, você terá até terça-feira para convencê-los -

– Está bem, eu os convencerei até depois de amanhã -

– Então pode ser sexta-feira -

– Nossa Jake, você é burro? Agora você terá somente três dias para convencê-los. Eu sei que eles são difíceis na queda -

– Não se preocupe Bellinha, eu conseguirei -

– Oi Nessie, não percebemos que você estava aí - papai disse com sutileza e suavidade.

Ele me deu um beijo na bochecha e sentou na cadeira do meu lado.

– Olá minha bebê, pequerrucha do papai -

– Papai!? - disse um pouco envergonhada e com raiva, porque já fazia um tempo que ele não me chamava assim.

– O que foi pequerrucha, é só porque fazia um tempo que eu não te chamava assim. Saiba que você sempre será ser meu bebê, minha pequerrucha, nada e ninguém fará com que mudem isso, você foi um dos maiores presente que recebi durante 111 anos de minha vida, você e sua mãe são meus maiores presentes -

– Eu sei papai, também te amo. Para todo o sempre te amarei - O abracei e dei um longo beijo em sua bochecha pálida e fria.

– Não é lindo Jake, ver o amor que eles tem um pelo outro? -

– Sim, mas o amor que ela irá sentir por mim será maior -

– Não tenha certeza disso Jacob Black -

Não escutei o que minha mãe estava conversando com Jake, mas me senti mais uma vez estranha e dessa vez não abracei nenhum de meus primos e sim meu pai.

– Você puxou tanto a sua mãe, que seu poder é parecido com o dela, minha pequerrucha -

(N/A: A Nessie ainda não sabe controlar seu poder e somente bloqueia seus pensamentos de vez em quando)

– Estou me sentindo diferente o dia inteiro papai -

– Somos diferentes meu bem, ainda mais você que puxou mais sua mãe como humana -

– Não é isso, estou me sentindo estranha o dia inteiro. Ainda mais quando toquei em meus primos, na hora que tia Rosie tocou meu rosto, abracei minha avó poucos minutos e me senti diferente. Agora que te abracei me senti diferente mais uma vez -

Ele colocou sua mão em cima da minha e ia dizer alguma coisa, mas ele acabou fechando os olhos e não disse nada.

– Eu vi pequerrucha - após ele dizer isso acabou ficando meio descordado.

– O que você viu papai? - disse em um tom de voz um pouco alto do que o comum.

– O que houve Nessie? - meu avô correu do laboratório até a sala de jantar.

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

A volta do Bill

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:21 pm

– Meu pai está falando algumas coisas estranhas – me levantei da cadeira assustada.

– O poder da Nessie é diferente do que pensávamos. Ela me transmitiu os pensamentos dele –

– O poder da Nessie? – Jake falou com uma cara de assustado. Eu queria estar com uma câmera para poder tirar uma foto e colocar no álbum de caras engraçadas do Jake, pena que eu não tenho esse álbum e não tenho uma câmera.

– A Nessie não tem exatamente o poder da Bella, ela bloqueia sua mente e transmite os pensamentos através de seu toque. Isso é possível Carlisle? –

– Sim, mas a do poder dela não foi como o seu. A parte humana bloqueia qualquer poder, até mesmo o de Alice quando ela está por perto. A evolução dos poderes dela é a parte vampira que há na Nessie surgindo à tona –

– Sou ainda mais diferente de vocês –

– Não minha querida, você é somente especial – Minha mãe me deu um abraço e um beijo em minha testa assim que terminou a frase.

– Então tudo que é diferente é especial? - disse saindo do abraço de minha mãe.

– Sim minha querida–

– EBAAA! Sou especial e diferente– no momento em que gritava dei um pulo.

– Acalme-se querida, você irá acabar acordando seus primos– só meu avô chato para não deixar que comemore.

– Ah é mesmo– parei de pular e fiquei em pé do lado da mesa

– PESSOAL! - tia Rosie apareceu no topo da escada e gritou para que todos prestassem atenção nela e na tia Lili.

(N/A: A Nessie chama a Rosalie de Rosie ou Rose. E a Alice de Li, Lili ou Lie).

– Temos uma, ou melhor, duas surpresas para vocês–

– Quais surpresas, Alice? -

– Espere Edward! - tia Lie acabou se estressando com meu pai. - Podem vir– Assim que terminou o tio Emm e o tio Jas surgiram com crianças no colo.

– Oi–

– Eu que ia falar primeiro Tyler –

– Oi, vocês cresceram mais rápido do que eu– realmente fiquei surpresa ao ver meus primos com a mesma idade que eu tenho, não sabia o que dizer e saiu essa frase idiota.

– Somos mais poderosos do que você priminha–

– Ei não... -

– Annabelle, não fale desse jeito com sua prima– minha tia interrompeu o Jake e repreendeu a Anna.

– Pode deixar tia, ela não teve o tempo necessário para aprender as coisas –

– Isso não é motivo para que ela esteja te tratando assim –

– Não liga não prima, ela só está com inveja de você–

– Eu não estou com inveja dela– Anna fez cara feia e nem olhou na minha cara.

– Pode deixar priminha, eu te ensinarei tudo o que sei–

– Eu não sou sua priminha, sou sua prima–

– Annabelle chega–

– Nós vamos ao shopping comprar uns dez pares de roupas e sapatos para eles –

– Espere Rosalie– meu pai disse olhou para o relógio que estava no alto da parede da sala de jantar. Ele redirecinou seu olhar para minha tia. - O shopping está fechado a uma hora dessas–

– Já vou Nessie–

– Espere Jake, fique mais um pouco–

– Não posso princesa. Tenho que falar o quanto antes com os Quileutes–

Jake foi em direção à porta e toda minha família ficou na sala de jantar olhando.

– Está bem, mas promete que você vai vir amanhã–

– Claro, eu prometo princesa. Faço tudo por você –

– Tudo mesmo? -

– Sim, se pudesse eu buscaria milhares de estrelas se você pedisse–

Paramos em frente à porta e acabei olhando para trás

– Não, eu quero algo mais simples–

– O que você quer me pedir? - Ele pegou em minha mão e ficou me olhando diretamente nos olhos. Vi um brilho nos olhos de Jake e sua respiração ficou ofegante.

– Um X-tudo! - Sua respiração voltou ao normal e senti todos olharem surpresos para mim.

– Um X-tudo? - todos que estavam na sala de jantar perguntaram em coro com Jake.

Sorri meia sem graça e baixei a cabeça. - Sim, um X-tudo! - levantei a cabeça e senti que minhas bochechas ficaram rosadas.

– Mas sua mãe e eu podemos comprar–

– Papai eu quero que o Jake me traga um X-tudo–

– Mas querida... - ele olhou para minha mãe, provavelmente ela deve ter dito algo mentalmente.

– Edward, deixe-a – Minha mãe passou a mão suavemente pelo rosto de meu pai. - vamos deixa-los conversando sozinhos – No mesmo momento ela criou uma barreira entre eles e a nós, tudo ficou em completo silêncio.

– Você irá trazer meu X-tudo? -

– Claro, como já disse faço tudo por você, até entrar na frente de uma bala pra te salvar–

– Você não precisaria fazer isso por mim e por ninguém. Você não pode fazer uma loucura dessas–

– Eu faço e isso e muito mais–

– Melhor você ir Jake, você está ficando muito melodramático– Comecei a rir bem baixo. - Ah! Eu estava me esquecendo. Já que estamos na barreira que minha mãe criou, para ter certeza que seja você e não aquele vampiro. Se eu falar Jake?! você me responde PENSE QUE SOU EU, pode ser? –

– Está bem princesinha– Ele beijou meus cabelos e olhou seriamente em meus olhos - Você sabe que eu sempre te amarei? -

– Não estou falando? Você está ficando muito melodramático– Abri a porta para que Jake saísse antes que ele começasse a chorar.

– Tchau princesa–

– Tchau Jake–

Assim que ele começou a correr, me deu uma vontade de chamar Jake de volta. - JAKEE– acabei gritando igual a uma menina muito louca.

– O que houve Nessie?– Ele acabou achando que era alguma coisa muito grave e ia voltar.

– Eu sei viu e eu também... para sempre – Minha consciência acabou me forçando a gritar essa louca frase pro Jake, mas percebi que ele sorriu.

Comecei a fechar a porta e ele correu para a floresta e em um piscar de olhos ele se transformou em lobo, antes de entrar na floresta acabou olhando para trás.

– O que você sabe e o que para sempre? - Nem havia percebido que minha mãe já tinha desfeito as barreiras.

– Edward não comece–

– Ah papai, é que ele me perguntou se eu sabia que o X-tudo era feito de carne aí ele disse que sempre tentará um sorriso no rosto, aí eu respondi que sei e eu também... para sempre–

– O sempre é muito minha querida–

– Mas o sempre, sempre acaba– Acabei escutando essa frase em algum filme e acabei falando para meu pai.

– Isso é verdade meu amor, ele sempre acaba–

– Onde estão meus primos? -

– Suas tias os levaram para o quarto antes que sua mãe desfizesse as barreiras–

– Por quê? -

– Porque estavam cansados, chegaram e cresceram hoje mesmo–

– Está bem, vou dormir –

– Querida! - Assim que subia as escadas meu pai me chama.

Olhei para trás e voltei. - Sim papai–

Meu pai me pegou no colo e me deu um beijo na testa. - Que os anjos te protejam–

E minha mãe me deu um beijo na bochecha. - Sonhe conosco, sonhos bons–

Abracei-os com toda força que pude. - Amo vocês– subi correndo e fui para meu quarto.

Peguei meu pijama e fui tomar banho. (...) Assim que sai do banho senti uma brisa gelada e quando vi a janela estava aberta, antes de ir ao banheiro aquela janela não estava aberta. Antes de fecha-lá uma brisa mais forte bateu.

– Que droga– o vento era tão forte que eu não estava conseguindo fechar

– Não feche a janela princesa– assim que o Jake apareceu o vento parou

– Jake?! -

– Sou eu, não feche a janela– me lembrei do que combinei com o Jake e fechei rapidamente a janela.

– MAMÃÃÃE, PAPAAAII–

– O que foi meu anjo? -

– Aquele vampiro abriu minha janela e estava me chamando na forma do Jake– me agarrei aos braços de minha mãe.

Meu pai abriu a janela e olhou para ver o vampiro. - Não tem nada aqui meu amor–

– Olhe bem papai, ele está aí–

– Fique calma meu amor, a mamãe está aqui–

– Ele quer me pegar–

– Nessie ninguém irá fazer nada com você. Eu e sua mãe vamos dormir com você essa noite, está bem? -

– Sim–

Deitei na cama, mas não fechei meus olhos, aos poucos meu pai acariciava meus cabelos e isso começou a me dar sono a última coisa que escutei foi minha mãe dizendo que eles tem que viajar logo para acabar com a perturbação na família.

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Quileutes - parte 1

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:22 pm

P.O.V. JACOB

– Melhor você ir Jake, você está ficando muito melodramático – Nessie olhou para baixo e começou a rir. - Ah! Eu estava me esquecendo. Já que estamos na barreira que minha mãe criou, para ter certeza que seja você e não aquele vampiro. Se eu falar Jake?! você me responde PENSE QUE SOU EU, pode ser - poderia ser algo melhor, mas eu não irei discutir com minha linda Nessie

– Está bem princesinha– Beijei sua cabeça em cima de seus lindos cabelos. Pensei em dizer que eu tive um imprinting por ela quando ainda era uma criança, mas quando ela crescesse sentiria que teria que ficar comigo por obrigação e não por amor - Você sabe que eu sempre te amarei? -

– Não estou falando? Você está ficando muito melodramático– Fiquei um pouco triste porque ela não respondeu minha pergunta, ela abriu a porta para que eu pudesse sair.

– Tchau princesa– com muita dor no coração eu me despedi, mas é melhor para todos.

– Tchau Jake– Nessie está muito feliz, sua felicidade me faz feliz. Mesmo que eu tivesse que ir embora eu sentia que deveria ficar mais com ela.

– JAKEE – Nessie me gritou quando eu corria para a floresta.

– O que houve Nessie? - fiquei preocupado, mas me parecia tudo estar bem.

– Eu sei viu e eu também... para sempre – fiquei muito feliz em ter ouvido a resposta da Nessie.

Ela fechou a porta e voltei para meu destino, a floresta.

Corri o mais rápido que pude, quando eu estava chegando em casa um frio cobriu a floresta.

– Eu disse que era para você se afastar da garota – O Bill falou, mas eu não o vi e nenhum lugar.

Onde você está seu vampiro maldito? Me perguntei mentalmente.

– Onde você menos espera–

Mas que desgraçado, se ele aparecesse, eu o mataria mais uma vez.

– Ninguém conseguirá me matar, antes que cosigam eu farei a vida de todos um inferno total–

Ele nunca fará nenhum mal para o amor da minha vida, eu o picarei em milhares de pedaços antes.

– Olha só, ele tem uma pessoa para amar. Qual das vampiras você ama? A loira, a de cabelos preto e curto ou a de cabelos compridos e negros? -

Ele é muito burro em pensar que eu direi alguma coisa a ele.

– Deve ser a vampira de cabelos negros e compridos. Ou é uma das crianças? A garota que eu quase matei, você a ama... você é um pedófilo nojento, ama uma pobre criança, se os pais dela souberem te matarão–

Suma daqui seu maldito. Gostaria que ele a parecesse em minha frente que eu o esmagaria, fatiaria... o mataria com toda fúria que existe em meu ser.

– Se eu fosse você se afastaria mesmo de todos os vampiros daquela casa. Antes que eles o mate por e um pedófilo nojento -

Imbecíl patético, eu nunca serei um pedófilo, nunca farei mal a Nessie. Suuuuma de Forks, pois se eu te encontrar te matarei. (...) o silêncio prevaleceu e fui para minha casa, noite pálida e escura, os animais indefesos e não inocentes as brisas com cheiro de natureza, assim é a floresta que todos apreciam, mas não preservam. Voltei a minha forma humana e entrei em minha casa pelo meu quarto. Assim que entrei meu pai me aguardava sentado em minha cama.

– Onde você estava a essas horas? Porque eu liguei para o Sam e ele me disse que você não apareceu lá hoje. Onde você esteve o dia inteiro? -

– Eu estava na casa dos Cullen! -

– E o que você fez lá o dia inteiro? -

– Eu estava resolvendo alguns assuntos que são muito importantes –

– E por que... -

Resolvi o interromper antes que ele começasse um interrogatório, aliás ele está fazendo um - Olha pai, eu não sou mais uma criança, eu cresci –

– Cresceu e ficou irresponsável– Ele disse ao sair do meu quarto.

– Uma pessoa irresponsável não protegeria o que é muito especial para si– ou protegeria? Não há problema se protegeria. Peguei minhas roupas e antes de ir para o banheiro eu tranquei a porta que da do meu quarto para o quintal e fechei a janela que estava aberta, abri a porta e fui para o banheiro tomar meu banho.

(...) Assim que sai do banheiro me deitei e muitas coisas surgiram em minha cabeça, e nada era comparado a minha querida Nessie a qual prevalece em minha memória com sua doce voz, sua beleza inigualável, seu jeito inocente de ser. O que aconteceria se eu dissesse para a Nessie que eu a amo? Rum, o de sempre... ela me diria que me ama, o amor que ela sente por mim não amor de mulher, é amor de irmã. O que farei se ela não aceitar toda a verdade, se ela não aceitar o meu amor?

Entre tantas perguntas e nenhuma resposta para elas, acabei encontrando uma que sempre foi a resposta de todos. Somente o tempo poderá me trazer as respostas necessárias. Tantas coisas para pensar, tantas coisas para resolver, mas o sono me pegou e acabei adormecendo.

(...)

– Jake acorde–

– Me deixe dormir–

– A Nessie está aqui–

– A Nessie? - pulei da cama e vesti uma roupa.

Assim que terminei de vestir minha roupa e ia abrir a porta meu pai segurou-a. - a Nessie não está aqui, eu disse que ela estava porque eu sabia que você iria acordar correndo -

– Pai, você está querendo me matar do coração? -

– Talvez– Ele abriu a porta e saiu. Não entendi o talvez.

Já que estava acordado resolvi falar com os Quileutes. Fui para o quintal e me transformei em lobo.

– Preciso conversar com todos, me encontrem na casa da Emily–

Fui a toda velocidade para a casa da Emily, quando cheguei lá o Embry, o Sam, o Seth e a Leah estavam lá.

– O que é tão urgente para que você nos chamar? - Leah começou

– Vamos ter que fazer coleta de sangue–

– O que? Que história é essa? Não vou deixar que coletem meu sangue–

– Fique calma Leah, você não quer ajudar as pessoas? -

– Sim, mas... -

– Então, você irá ajudar as pessoas de um jeito diferente, mas todos estaremos os ajudando– a cortei antes que ela começasse a reclamar novamente.

– Pode contar comigo Jake–

– Você não vai Seth–

– Ah vou sim Leah, eu quero ajudar as pessoas de qualquer forma. Quanto mais os ajudarem melhor para mim–

– Seth!– Ele começou a rir da Leah.

– Estou falando sério pessoal–

– O que perdemos? - Quil chegou já perguntando e junto dele estavam o Paul e o Jared.

– Nada de mais, somente o Jake ficando louco–

– Leah, o Jake não está louco... só está tentando ajudar os outros– Sam tentou me defender

– Não estou entendendo nada–

– É simples Quil, estou propondo a todos a salvar outras pessoas–

– E como vamos salvá-las? -

– Indo na coleta de sangue e doando uns 450ml de sangue–

– Isso é uma perda de tempo–

– Eu não acho Leah, até que vamos ajudar muitas pessoas–

– Até você Quil! -

– Leah posso falar com você em particular? - Seth segurou o braço dela e a levou para fora

– Pode –

Eles foram para fora e ficaram alguns minutos lá, Leah gestos de negação, balançava a cabeça, vários gestos com as mãos.

– E então? -perguntei muito curioso.

– Eu farei essa tal transfusão de sangue– Não sei o que o Seth falou para ela, mas funcionou.

– Então vou marcar, as transfusões irão começar na semana que vem, mas eu vou falar com o doutor Carlisle e ver se podemos fazer antes–

– Eu acho isso uma ideia absurda, mas vou fazer essa transfusão– senti um grande tom de ironia na fala do Paul.

– Pode até ser uma ideia absurda, mas ajudaremos muitas pessoas. Agora tenho que ir –

– Espere Jacob–

– Sim Emily!? -

– Eu também posso ir nessa coleta? -

– Sim, mas se você não quiser eu entendo–

– Irei doar, vamos comer um lanche. Preparei alguns sanduiches–

– Vou comer um aí vou embora–

– Está bem–

Me sentei a mesa e peguei um sanduiche e comecei a comer, nem percebi que eu peguei mais três sanduiches. Assim que terminei de comer me despedi de todos e fui par a casa dos Cullen.

P.O.V. RENESMEE

Assim que acordei não vi meus pais, sai e fui para a cozinha procurar alguma coisa para comer e encontrei minha avó preparando meu café da manhã e dos meus primos.

– Bom dia Nessie–

– Bom dia vovó. Meus primos já acordaram? -

– Sim, suas tias estão dando banho nos dois–

– Onde estão meus pais? -

– Eles foram caçar com seu avô e vão trazer alguns animais para todos. Mais tarde eles vão viajar para pegar alguns cristais–

– Ah entendi –

Em dois minutos minha avó serviu a mesa e minhas tias desceram com meus primos.

– Bom dia Nessie– minhas tias disseram juntas.

– Bom dia–

– Bom dia prima–

– Bom dia Tyler–

– Oi Nessie, me desculpe por ontem, minha mãe me ensinou como tenho que tratar as pessoas–

– Não tem problema Anna– Ela se soltou da mão da minha tia e veio para meu lado e me deu um abraço.

– Vamos comer né prima–

– Claro! - minha tinha ensinou muito bem minha prima, ela está muito educada.

Peguei uma torrada e passei maionese, coloquei suco de maracujá em meu copo.

– Tem um sanduiche pronto para cada um meus amores–

Pegamos o sanduiche que estavam em um prato, comemos rapidamente e tomei meu suco, meus primos preferiram tomar café ao suco de maracujá.

– Vou para meu quarto–

– Está bem querida–

Assim que ia subir as escadas escuto alguém batendo na porta. Corri em velocidade vampirica e abro a porta.

– Oi Jake–

– Oi princesa, seu avô está? -

– Ele saiu, mas daqui a pouco chega–

– Então daqui a pouco eu volto–

– Vamos brincar, é bom que você não precisa se cansar. Entre–

– Está bem, vamos brincar de que? - Ele entrou e sentamos no sofá grande.

– De beber chá. Em falar em chá, você trouxe meu X-tudo? -

– Não, a lanchonete só abre a noite. Já sei, ao invés de trazer o X-tudo aqui, eu te levarei na lanchonete–

– Mas tem que ver com meus pais–

– Eles não irão viajar hoje? -

– Sim nós vamos– meu pai disse entrando na sala.


Última edição por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:25 pm, editado 1 vez(es)

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Quileutes - parte 2

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:24 pm

– O que tem haver nós irmos viajar hoje? - minha mãe perguntou.

– Eu queria levar a Nessie para comer o X-tudo na lanchonete -

– Você tem a minha permissão -

– A minha não -

– Por que papai? -

– Porque você é somente uma criança e tem aquele vampiro que te atacou -

– Mas papai, eu quero comer um X-tudo -

– Meu amor, o Jake vai cuidar da Nessie -

– Jacob, se acontecer alguma coisa com a minha filha eu te mato, você pode levá-la -

– Eu protegerei a Nessie contra tudo e todos -

– Espero que sim -

– Venha Jake, vamos brincar -

– Eu vou ter que conversar com seus pais e com o seu avô, mas pode pegar as coisas para brincarmos -

– Está bem -

Subi as escadas rapidamente e fui para meu quarto e comecei a arrumar as coisas para que eu e o Jake brincássemos. Assim que terminei de arrumar os brinquedos alguém bateu na porta e a Anna abriu.

– Oi Nessie, posso brincar com você? -

– Claro Anna

P.O.V. JACOB

Esperei que o Carlisle entrasse na sala para que pudéssemos conversar.

– Pronto já terminei de extrair o sangue dos animais e já levei seus corpos para a floresta -

– Oi Carlisle -

– Olá. O que você faz aqui tão cedo -

– Não está tão cedo assim, ainda são nove horas -

– Concordo com o Jake, não está tão cedo assim -

– Meu amor, são nove horas. O Jacob veio muito cedo sim -

– Não precisam brigar por mim -

– Se enxerga Jacob, você não...

– Edward! -

– Me desculpe Carlisle -

– Vamos para o escritório -

Assim que entramos no escritório a Bella fez um escudo protetor para que ninguém ouvisse nossa conversa.

– Você conversou com os Quileutes? - Carlisle me pergutou

– Sim -

– Que argumentos você usou? - Edward veio me perguntar como se eu não tivesse os convencido.

– Primeiramente, eles aceitaram? - Bella cortou Edward.

– Claro meu amor -

– Eu os convenci com a desculpa de uma coleta de sangue que vai haver na semana que vem para o banco de sangue de Forks -

– Então terei que fazer a coleta de sangue, eu precisarei conversar com os meus superiores para que eles autorizem essa coleta de sangue, isso pode demorar -

– Que dia você pode falar com eles? -

– Vou falar com eles agora mesmo, esperem só um minuto. Vou ligar para eles - Ele pegou o telefone do escritório e discou o número.

(...)

– Amanhã eles poderão fazer a doação, não vamos poder atender vocês sábado e nem domingo -

– Carlisle, estou com uma dúvida -

– Fale Jacob -

– Vocês vão tomar nosso sangue, e nós somos humanos. Então vocês vão estar saindo da dieta que vocês tem, como vocês vão poder se controlar? Ainda mais o Jasper e a Alice que estão a menos tempo na dieta! -

– Eu não sei, mas nossos olhos vão mudar de cor, totalmente... Teremos que tomá-lo aos poucos -

– Por que você não mistura o sangue dos Quileutes com o sangue de algum animal? -

– Porque ele não teria efeito -

– Mas e se vocês não conseguirem se controlar? -

– Nós conseguiremos. Já estamos planejando o jeito que vamos nos controlar sem sairmos da nossa dieta e acabarmos atacando os humanos -

– Se vocês atacarem algum humano, será o fim da aliança com os Quileutes. E se eles souberem dos filhos da Rosalie e da Alice, eles vão querer atacar vocês novamente e o meu imprinting pela Nessie não farão eles mudar de ideia, eles virão com toda fúria -

– Faremos tudo para que eles não descubram - Bella disse confiante.

– Vocês não poderão guardar um segredo desses por muito tempo -

– Nós sabemos Jacob. Por isso, depois que matarmos o Bill, vamos nos mudar -

– O que vocês não farão isso comigo, vocês não vão me tirar a minha princesa. Vocês não podem, não podem fazer isso comigo e com a Nessie. Vocês não podem mesmo -

– Acalme-se Jacob, você não pode se transformar em lobo agora, não fique estressado -

– Jake olhe para mim -

– O que foi Bella? Vocês vão levar o amor da minha vida embora, vocês não podem! -

–Jake, se acalme. Por favor, pela Nessie, pela minha filha -

– Vocês vão levar ela embora, vocês vão me tirar a coisa mais importante da minha vida, vocês vão tirar a minha alma, minha felicidade, o meu motivo para sorrir -

– Jake, por favor se acalme -

Bella viu que eu ia me transformar e me envolveu por um escudo e me tirou da casa. Destruí algumas arvores com muita fúria, mas assim que vi Nessie me olhar com muita tristeza no olhar, percebi que estava fazendo uma loucura. Adentrei a mata e não olhei para trás.

– Jakee - ouvi Nessie gritar desesperada.

– Nessie fique aqui - Edward deve ter a segurado.

– Jake, espere - Nessie estava correndo atrás de mim. - O que foi? Jake pare, vamos conversar. Jakee por favor me espere - Parei e Nessie continuou correndo até parar onde eu estava. Ela passou a mão pelo meu rosto e eu a correspondi acariciando sua mão.

– O que houve? - Sai dali e me transformei em humano e voltei ao lugar que Nessie estava.

– Não foi nada minha princesa -

– Você está nervoso Jake, por favor me diga o que aconteceu -

– A mulher que eu era apaixonado me apunhalou pelas costa - acabei dizendo o qu não queria em um momento de nervosismo.

– Que mulher é essa? -

– Sua mãe não pode fazer uma coisa dessas -

– O que? Você era apaixonado pela minha mãe? -

– Eu não quis dizer isso - Nessie queria ir embora, mas eu segurei seu braço.

– Jake, você... -

– Nessie, eu achei que era apaixonado pela sua mãe, mas agora é diferente -

– É diferente por que? -

– Não posso dizer, a única coisa que eu posso falar é que eu amo uma pessoa que me faz feliz apenas por sua presença. Trato de dizer pra essa pessoa a todo momento que a amo, mas ela não entende o meu amor -

– Espero que você seja feliz com essa pessoa -

– Nessie, quero te levar em um lugar. Já que você sabe a verdade, será um passei juntos -

– Está bem! -

– Quando você subir segure firme - Me transformei em lobo, baixei para que a Nessie subisse.

– Pronto! - balancei minha cabeça positivamente.

Corri o mais rápido que pude, Nessie segurou firme. Me senti como nunca, a sensação de estar com quem amamos é muito bom, estar perto para poder abraçar, sentir seu calor junto ao meu me fez querer que Nessie nunca se afaste de mim. Me fez querer levá-la embora e nunca mais olhar para trás, nunca mais levá-la para os Cullen, tê-la só para mim. Assim que chegamos a coloquei no chão e me transformei novamente em humano. Sentei em uma pedra e Nessie sentou do meu lado esquerdo, a abracei e resolvi dizer a verdade de uma vez por todas.

– Nessie -

– Sim -

– Seus pais vão mudar - Por mais que eu quisesse, não consegui dizer para a Nessie.

– Eles vão me deixar com o vovô Charlie? -

– Não -

– Então onde eu vou ficar? -

– Você vai ficar com seus pais, com sua família -

– Eu não vou Jake, não posso ficar longe de você - lágrimas caiam de seus olhos.

– Não chore minha pequena. Eu também não queria ficar longe de você, mas não fique triste, olhe a paisagem ela é linda -

– Como você encontrou esse lugar? -

– Foi quando eu recebi o convite de casamento dos seus pais, sai de Forks e vim parar aqui -

– Eu não quero me mudar Jake, não quero me separar de você, não quero sair de Forks - as lágrimas continuavam a cair, a tristeza que Nessie estava sentindo não era a mesma que a minha, sua tristeza me fez ficar ainda mais mal.

– Não fique assim Nessie, não chore. Eu te peço, se você sente alguma coisa por mim, não chore -

– E-u n-ão que-ro ir - Entre soluços Nessie disse com mais lágrimas do que antes.

– Não chore princesa, meu coração não aguenta -

Fiz a pessoa que mais amo chorar, apenas uma criança que não tem culpa de nada, seus pais estão tentando protegê-la e eu partindo seu coração em milhares de pedaços.

– Temos que ir, seus pais devem estar preocupados. Eles vão viajar e eu não posso ficar tanto tempo assim com você -

– Mas eu não quero voltar para casa, não quero sair de Forks -

– Por mais que eu queira que você fique em Forks, não posso fazer com que seus pais fiquem aqui -

– Jake, não me faça dizer adeus -

– Você tem que ficar com seus pais, não posso fazer com que sua história tenha um rumo diferente -

– Minha história só terá um final feliz em Forks -

– Ela pode até ter um final em Forks, mas você estando feliz não importará o lugar e sim o tamanho da felicidade que você estará sentindo. Seja em Forks ou em outro lugar -

– Eu nasci em Forks, minha historia terá um final feliz em Forks, como as histórias dos contos de fadas -

– Melhor irmos já está começando a escurecer -

– Mas não ficamos aqui muito tempo -

– Levou muito tempo para chegarmos aqui, talvez te tragues aqui outro dia -

– Está bem, mas você me promete que vai me trazer mesmo? -

– Sim, eu prometo -

– Vamos ver a vista por mais um tempo, aí nós vamos -

– Com o começo do anoitecer a vista fica realmente linda -

– Ela fica incrível -

– Agora vamos -

Me transformei em lobo e abaixei para que ela pudesse subir.

– Não Jake, eu não quero ir - bufei em negação.

Ela subiu e voltamos para Forks. (...) Chegamos na casa dela já estava escuro, assim que vi um lugar que ela pudesse descer parei e deixei que ela descer, me transformei em humano e fui onde a Nessie estava.

– Tenho que ir -

– Não vá Jake, não fique longe de mim -

– Eu não quero ficar longe de você. Mas terá que ser assim -

– Não precisa ser assim -

– Tenho que ir. Tchau Nessie - Me transformei em lobo e sai dali antes de fraquejar e contar tudo para a Nessie.

P.O.V. RENESMEE

– Onde ela está? -

– Não sei meu amor, mas ela vai aparecer mais cedo ou mais tarde -

– Estou aqui - disse abrindo a porta. No mesmo momento eles me abraçaram.

– Onde você estava mocinha? Estávamos preocupados, não viajamos porque você havia sumido -

– Eu não preciso fazer diferença na vida de vocês. Eu não quero fazer diferença na vida de vocês -

– Nessie, você fez a diferença na nossa família -

– Eu não preciso fazer parte da lendária família Cullen -

– Você faz parte da nossa família e ninguém pode mudar isso -

– Eu não quero mais fazer parte dessa família -

– O que houve para você estar agindo assim mocinha? -

– Eu não vou me mudar -

Enquanto meus pais conversavam mentalmente alguém bate na porta.

– Oi Renesmee -

– Oi Leah - até posso dizer que fiquei surpresa em vê-la, mas não fiquei.

– O Jake me pediu para trazer o X-tudo que você pediu para ele -

– Você virou entregadora do Jake? -

– Não, ele só não queria... -

– Leah! Leaah - Olhei para trás e vi o Tyler na escada, olhei novamente para a Leah e ela olhava fixamente para o Tyler.

– O que houve com a Leah? -

– Eu não sei, mas ela está olhando fixamente para o Tyler -

– Ela teve um imprinting pelo Tyler - meu pai disse com certo tom de decepção.

– O que mais um imprinting por um dos Cullen? - imprinting? O que é isso?

– Como assim mamãe, mais um imprinting? O que é um imprinting? -

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

A vida é bela

Mensagem por ArielleAB em Ter Set 04, 2012 8:26 pm

– Estou livre do Sam, eu posso ser feliz sem ter que atrapalhar ele e a Emily. Finalmente o que eu sempre quis se realizou. -

– O que é um imprinting? -

– É quando alguém se apaixona por outra minha querida - Minha mãe disse carinhosamente.

– Então o Jake teve um imprinting por você -

– Quem te disse que o Jake teve um imprinting por mim? - seu tom de voz mudou para espanto.

– Ele me disse que era apaixonado por você, então ele teve um imprinting por você -

– Não, o Jake nunca teve um imprinting pela sua mãe, quando você tiver idade nós te contamos o que realmente aconteceu - meu pai disse com certo tom de zombaria.

– É melhor eu comer meu X-tudo e ir dormir, pois já está ficando estranho -

Fui para a cozinha, peguei um prato e um copo com suco e voltei para a sala de jantar.

– Ele contou para a Nessie que era apaixonado por mim -

– E daí meu amor, você me escolheu. Você me ama e não a ele -

– A Nessie está escutando - Leah falou com convicção. Meus pais olharam para trás no mesmo instante e me viram na sala de jantar.

– Não se preocupem, finjam que eu não estou aqui -

– Oh minha querida, não fale isso você sabe que te amamos - meu pai disse e eles se aproximaram

– Eu não quero me mudar de Forks -

Comi rapidamente o X-tudo e tomei o suco, fui para o meu quarto e tomei um banho quente. Pelo menos algum dia eu queria ser normal, uma coisa que o Jake me disse ficou rebatendo em minha cabeça.

“Eu amo uma pessoa que me faz feliz apenas por sua presença. Trato de dizer pra essa pessoa a todo o momento que a amo, mas ela não entende o meu amor.”

Quem é essa pessoa que ele tanto ama, será a minha mãe? Ou outra pessoa de Forks, eu daria qualquer coisa para o Jake, só para saber quem ele ama. Assim que saio do banheiro escuto alguém batendo na porta.

– Nessie posso entrar? - minha mãe disse abrindo na porta.

– Pode - me sentei na cama, minha mãe entrou e sentou-se do meu lado na cama.

– Eu queria te explicar tudo -

– Já disse que eu não vou me mudar de Forks - diz com ira em minha voz.

– Filha se acalme - disse passando seus dedos aveludados pelo meu rosto.

– Não vou embora - eu disse com temor na voz.

O que eu mais tenho medo é de me separar de quem eu amo, e uma dessas pessoas é meu avô Charlie... Sempre amei o Jake e eu não posso ir embora de Forks e o deixá-lo sozinho. Não quero ficar longe de minha família, mas também não quero ficar longe do Jake, o que fazer? Qual caminho devo seguir?

– Fique calma, olha filha. Seus primos nasceram e os Volturi vão tentar matá-los, juntamente com os Quileutes. A Leah descobriu sobre o seu primo e não vai demorar que eles descubram que existem dois novos Cullens. Eles vão nos atacar e não vamos resistir, pois são vários vampiros e lobos tentando nos matar -

– Eu sei falar com os Quileutes, os Volturi não vão atacar porque os meus primos são como eu, eles não são imortais -

– Não sabemos qual será a reação deles -

– Os Quileutes não vão tentar nos atacar, o meu primo Tyler é o imprinting da Leah. Eles não vão poder fazer nada contra nós -

– Eu sei minha querida, só que há mais uma pessoa da nossa família que é o imprinting de um Quileute -

– Quem? -

– Não fale para ela agora meu amor! Não hoje, não nesse momento - Meu pai disse abrindo a porta do meu quarto, e interrompendo a resposta da minha mãe.

– Edward, ela precisa saber - meu pai sentou ao lado de minha mãe e passou seu braço direito por suas costas a abraçando.

– Mas não por você meu amor - Por que minha mãe não pode me falar, quem deve me falar? Será que outro Quileute teve um imprinting pela minha prima? São tantas perguntas em minha mente, mas nenhuma tem resposta.

– Está bem. Somente ele tem o direito de contar -

– Não estou entendendo -

– Talvez no futuro você entenda melhor, agora pode dormir meu anjo - minha mãe me deitou na cama e meu pai me embrulham.

Eles me deram um beijo de boa noite e antes de sair desligaram a luz.

– Te amamos e tudo o que fazemos é para o seu bem -

– Eu não entendo esse bem que estão tentando fazer - me virei para o lado contrario da porta e fechei meus olhos tentando fazer que um dia melhor apareça com o sol amanhã.

– Boa noite minha querida - não os respondi, mas eles fecharam a porta e saíram.

– Eu bem queria ter uma boa noite - Adormeci pensando na frase que o Jake havia me dito.

P.O.V. BELLA

A única coisa que eu não queria que acontecesse era que a minha pequena ficasse triste, seus genes como o meu quando era humana, sua pele macia como as de seu pai, a pessoa que mais amo e que irá me acompanhar por essa pequena eternidade. Mesmo estando do lado de fora de casa, só consigo pensar na minha filha, Renesmee.

– No que você tanto pensa meu amor? - Edward disse indo para sacada, ele envolveu suas mãos em minha cintura e encostou cuidadosamente seu corpo no meu.

– Na nossa pequena - disse apoiando minhas mãos sobre as suas.

– Por que você tanto pensa nela? Você está preocupada, não está? - ele me deu um leve em pulso para o lado e olhou para meu rosto.

– Não é nada amor -

– Eu te conheço muito bem. E sei que algo te preocupa! O que é? -

– A Nessie não quer ir embora de Forks, ela já sabe que ama o Jake, mas não imagina o quanto grande é esse amor que ela sente. Tenho medo que ela fique indiferente conosco -

– Não se preocupe meu amor, vamos dar um jeito em tudo - Assim que terminou a frase ele beijou perto de minha nuca, atrás de meus cabelos. - Eu te amo, e nós dois amamos nossa filha, ela nos ama mais do que ao Jacob -

– Por enquanto ela nos ama mais do que o Jacob, mas um dia você vai descobrir que ela sempre amou o Jake -

– Eu não vou permitir -

– Não há o que permitir meu amor, o destino da nossa filha é o Jake -

– Eu estava pensando em deixar a Nessie com o Charlie por um tempo -

– Nós não poderemos, ele irá descobrir que somos vampiros -

– Ele já sabe -

– Você contou? -

– Não, foi o Jake que contou dos Quileutes e acabou contando sobre nós -

– O Jacob? Por que ele fez isso? -

– Porque ele não queria que a Nessie ficasse longe dos parentes que ainda são vivos -

– Meu amor, se os Volturi descobrirem isso, nós que sofreremos -

– Vamos esquecer essa história por um tempo, pois não somos culpados do que o Jake faz ou fala -

– Mas os Volturi não enxergam isso -

– Vamos esquecer isso, olhe como está lindo -

– Você não entende meu amor -

– Não vamos discutir por causa do Jacob, no tempo certo a Nessie saberá o que fazer -

– Está bem -

– Isso mesmo, vamos passear? -

– Claro, faço tudo pela minha linda esposa -

– Vamos -

Saímos pela sacada e fomos caminhar pela floresta, mais aproximadamente em cima das árvores, como um passeio que eu e o Edward fizemos há algum tempo atrás, mas agora eu somente segurei em sua mão. Fomos para a mesma árvore, mas agora em meu olhar via outra vista, não é a de antes.

– Ela está ainda mais incrível do que antes -

– Você verá tudo com outros olhos de agora em diante -

– Agora temos a mesma temperatura -

– Eu te amo - entre beijos e caricias o Edward me disse.

– Você sempre teve ciúmes do Jake, mas o destino resolveu fazer com que ele tivesse um imprinting pela nossa filha. Você sabe muito bem, mais do que ninguém que eu não fiz uma escolha entre você e ele, sempre foi em quem eu deveria ser e entre o que eu sou. Sempre me senti fora do contexto, literalmente tropeçando pela vida. Nunca fui uma humana normal, porque eu nunca quis ser normal e nem quero ser, enfrentei a dor, a perda e a morte no mundo dos vampiros, mas eu não me sinto mais forte e mais real. Agora eu posso dizer que eu me sinto eu mesma porque também é o meu mundo, é onde eu realmente eu me encaixo -

– Nossa história poderia fazer parte de um livro. Você não acha? -

– Sim, um livro cheio de vampiros e lobos. Em toda minha vida eu não me senti feliz como agora, como estou com você -

– Em mais de cem anos eu nunca encontrei uma pessoa que me completasse, e a alguns anos eu encontrei uma pessoa que não era a mais bonita, não era a mais perfeita e sim a que realmente me fizesse sentir um vampiro com um coração uma vez na vida, mas eu acabei deixando essa pessoa sozinha por um tempo e ela percebeu que eu sou o que realmente poderia fazê-la feliz, mas eu percebi muito mais do que a felicidade que eu estava deixando para trás. Eu percebi que estava deixando o único motivo para sorrir para trás e quando eu descobri que poderia perder a minha felicidade decidi pelo caminho mais curto. Ficar perto de quem realmente amo para toda a eternidade -

– Você iria cometer uma loucura, isso sim -

– Ficar mais perto de você não é uma loucura para mim -

– Você se matar por uma imprudência minha, me parecesse ser uma loucura -

– Me matar por amor não é uma loucura e sim uma forma de amor que é muito intenso -

– Melhor pararmos de falar em morte -

– Concordo - ele me deu um beijo, nossas línguas se encontraram como se estivéssemos encontrando nossas almas, como pétalas de rosas que caiam sobre a água, com seu suave toque fazendo com que arcos se formassem sobre a água.

– Eu te amo Edward -

– Como eu te amo ainda mais minha Isabella Cullen -

– Sabia que quando eu vi você pela primeira vez me apaixonei? -

– Sim, deu para perceber. Só não deu para ler sua mente -

– Mas agora que eu sei controlar meus poderes você pode ler ela -

– Infelizmente só quando você quer, pois agora não dá para saber o que você está pensando -

– Mas é justo -

Uma brisa fazia com que as folhas das arvores balançassem, o aroma da floresta. Um cheiro especial, o que eu não sentia quando humana, o que antes eu não percebia hoje não são apenas detalhes, são os complementos da vida. Os detalhes que dão sabor e cor a vida de cada um que existe, sendo humanos ou não. Não vimos tempo passar, só percebemos que havia passado por causa do céu que estava meio alaranjado, é a luz do amanhecer. Muitas pessoas não percebem o quanto é bonito o amanhecer, só pensam em brigas, se preocupam de mais com a vida. A vida é tão bela para ser apreciada, mas passa muito rápido e não dá tempo para as pessoas pensarem o quão bonita é ela.

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Colocando o plano em ação

Mensagem por ArielleAB em Qui Set 13, 2012 12:13 pm

P.O.V. RENESMEE
Tive um sonho muito estranho, nem sei porque eu iria sonhar que a Leah teve um imprinting pelo Tyler. Mas minha mãe é o imprinting do Jake, mas que droga não me lembro de quase nada desse sonho.
- Bom dia Nessie - Minha mãe disse ao me ver acordando.
- Oi mamãe, bom dia
- Como você está? - Ela sentou na cama do meu lado.
- Eu estou bem, mas tive um sonho estranho. A Leah teve um imprinting pelo Tyler, o Jake teve um imprinting por você -
- O Jake nunca teve um imprinting por mim, ele era apaixonado por mim, mas a paixão que ele dizia ter por mim era só uma ilusão. Ele teve um imprinting por alguém, mas não foi por mim
- Então eu sonhei mesmo
- Na verdade não, tudo que você “sonhou” realmente aconteceu ontem -
- Mas...
- Eu sei que você está confusa meu amor, mas tudo vai ficar claro como as águas -
- Eu não quero me mudar mamãe
- Eu sei, falei com o seu pai para te deixar com o seu avô por um tempo, mas ele não me deu resposta
- Eu posso ficar com o vovô?
- Não sei meu amor, seu pai não me respondeu
- Converse mais um pouco com o meu pai
- Sempre faço o possível para te ver feliz, eu quero que você seja feliz onde esteja e com quem esteja
- Eu te amo mamãe
- Você é o meu maior presente de toda vida
- Por que?
- Porque vampiras não podem ter filhos e eu tive você quando ainda era humana, ninguém achou possível, mas você veio ao mundo como meu mais lindo presente
- Então os meus primos não são meus primos?
- Eles são seus primos, um médico ajudou suas tias a engravidarem
- Então eles são de laboratório?
- Não é exatamente assim minha querida
Ficamos em silêncio por um tempo, podia ser escutado tudo somente nossas vozes que não.
- Mamãe
- Sim?!
- Eu vou poder estudar algum dia?
- Não sei minha querida, mas acho que sim
- Onde vou estudar?
- Em uma escola como todos os humanos
- Bella, vamos senão vamos perder nosso vôo - meu pai entrou em meu quarto alertando minha mãe.
-Deixe-me ir querida, quando eu voltar juro que te darei uma resposta
- Está bem
- Tchau querida. Te amamos - Disseram juntos.
- Também amo vocês
Eles saíram e pegaram suas malas que estavam na porta do meu quarto.
*DUAS SEMANAS DEPOIS*
Assim que acordei me lembrei do meu plano. Trazer um novo Cullen para a família, eu tenho que colocar meu plano em ação. Tomei um banho e vesti uma roupa para sair.
- Bom dia tia Alice
- Bom dia Nessie
- Tia você pode me levar para a casa do vovô Charlie?
- Posso, quando você vai querer ir?
- Assim que eu tomar o café da manha
- Está bem, quando você terminar me chame
- Tá
Desci correndo para tomar o café da manha, quando cheguei minha avó ainda não havia começado, mas estava pegando os ingredientes para prepara-lo.
- Oi Nessie, hoje você acordou um pouco mais cedo
- Eu nem preciso dormir, sou meia vampira vovó
- Eu sei, mas você ainda é só uma criança
- Tá bom
- O que você vai querer para o café da manhã?
- O de sempre, vou ligar para o Jake
- Está bem, quando você volta, acho que o café deverá estar pronto
- Tá certo
Corri para a sala, peguei o telefone e disquei o numero do Jake.
“OI AQUI É O JAKE, DEIXE SEU RECADO”
- Oi Jake, vou colocar o meu plano em ação hoje mesmo. Sei que você disse que pode ser perigoso, mas eu preciso fazer isso. Quando você escutar esse recado me retorne o mais rápido. Beijo
- Bom dia Nessie - Anna e Tyler falaram juntos.
- Bom dia primos
- O que a vovó está preparando para o café da manhã de hoje?
- O de sempre
- Suco de laranja e maracujá, pão com presunto, mussarela, alface e tomate. Café docinho, bolachas de sal, torradas com geleia? - Tyler falou todo nosso cardápio, mas faltaram algumas coisinhas.
- Sim. Hoje terá uvas, maçãs, peras e melancia
- Ai que bom - Anna disse toda empolgada e como minha tia deu pequenas palmas.
Fomos para a cozinha e minha avó já havia colocado a mesa do café da manhã.
- Bem que você disse vovó
- Claro, minhas filhas “adotivas” me ajudaram
- Onde elas estão?
- Estamos aqui - Elas entraram na cozinha com frutas na mão.
- Vocês foram em Forks?
- Não, buscamos as frutas no pé mesmo - Tia Alice disse.
- Ah sim
Antes de comer lavei minhas mãos e logo após comi um pão, duas torradas com geleia, tomei suco de laranja e comi uma maça. Já meus primos comeram de tudo que havia na mesa. Subi para chamar a tia Lie e ela estava terminando de se arrumar.
- Pronto tia, você já poderá me levar
- Estou indo minha querida. Pode me esperar na sala, que já estou descendo - Ela nem percebeu que eu estava na frente do quarto.
- Está bem - desci em velocidade vampirica e me sentei em uma poltrona e liguei a televisão.
- Oi Nessie, o que você está fazendo? - ele disse saindo da cozinha com uma maça na mão.
- Estou esperando a tia Alice
- Por que?
- Ela vai me levar para Forks
- Engraçado, meus pais até hoje não me levaram para conhecer Forks
- Eu vou falar com sua mãe, ou senão você pode ir conosco hoje
- Mas a Anna ficara com raiva
- Não vai, eu também vou falar com ela, pois a tia Alice é mãe dela
- Ah o duro vai ser meus pais me deixarem ir para Forks com a tia
- Vou falar com eles, mas o tio Emmett com certeza deixará você ir
- O meu pai é de boa, mas a minha mãe está sempre tentando me proteger, parece até que ela nunca mais terá outro filho
- Ela não precisa ter outro filho, pois você é o que ela pediu com todo o carinho que ela tem - O Tyler não precisa saber da verdade, não por mim.
- Eu bem que gostaria de ter um irmão
- Para que mais crianças?
- Você tem uma garota para brincar, a Anna. Já eu, não tenho nenhum primo para jogar bola comigo
- Não fique assim, eu vou falar com os seus pais
- O que você vai falar com a Rosalie e o Emmett? Em mocinha?
- Ah é que o Tyler quer ir conosco. Você pode levá-los também, não pode?
- Eles?
- É, eu vou chamar a Anna para que ela não fique chateada conosco
- Ela acabou de sair com o pai dela, mas outro dia levo todos vocês para se divertirem
- Está bem, mas agora eu vou falar com os meus tios
- Está bem, mas não demore
- Claro - disse subindo as escadas correndo como uma humana normal.
Assim que cheguei ao quarto dos meus tios bati na porta.
- Posso entrar tia Rosalie?
- Claro minha querida
- O tio Emmett está aonde?
- Ele saiu logo após o Jasper e a Anna, foram ensina-la a caçar
- Eu queria falar com vocês dois
- Não tem problema, o que eu decidir o meu gorilinha concorda
Ri baixo por causa do apelido que minha tia colocou nele, mas assim que ela percebeu que eu estava rindo parei. - Eu queria pedir que você deixasse o Tyler ir comigo e com a tia Alice para Forks
- Claro meu bem, eu nunca iria negar nada para minha sobrinha querida
- Obrigado tia - abracei-a e dei um beijo em sua bochecha em troca ela beijou minha testa. Não sei por que eles sempre beijam minha testa ao invés de minha bochecha.
- Até mais minha querida - Desci correndo as escadas e pulei no sofá, minha tia riu do que eu fiz, mas ela ainda brigaria comigo.
- Você é mais teimosa que sua mãe, quantas vezes eu disse para você não fazer isso?
- Nenhuma
- É modo de dizer, isso é perigoso. Agora vamos! - Ela pegou a chave do carro e correu em velocidade vampirica para a garagem.
Assim que saímos o carro já estava na porta de casa. Durante todo o caminho fiquei imaginando como eu colocaria meu plano em ação, mas se o Jake falar alguma coisa para minha tia ou para qualquer um de minha família eu estaria ferrada, muito ferrada. Mas ninguém imagina o que vou fazer, algum dia eles vão descobrir e esse dia se aproxima cada vez mais. Espero que meu plano de certo, claro que minha mãe não ficará muito contente no começo, mas depois ela vai aceitar.

ArielleAB

Mensagens : 21
Pontos : 2581
Data de inscrição : 20/03/2012
Idade : 21

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: A Luz do Amanhecer

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum