Fanfics
Seja bem vindo(a) ao Fórum Fanfiction.
Aqui você pode ler, escrever, comentar, jogar, fazer amigos e muito mais!
Então... o que está esperando? Se cadastre e comece a diversão! Very Happy

Beast

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O que você prefere?

Steve/Abbe
 
Loki/Abbe
 
 
 
Exibir resultados

Re: Beast

Mensagem por JulieAlbano em Qua Fev 06, 2013 8:30 pm


STEVE STEVE STEVE!!!! Twisted Evil


LOKI LOKI LOKI!!!! Evil or Very Mad
-----------------------------------------------
AMO OS DOIS <3
avatar
JulieAlbano

Mensagens : 231
Pontos : 2585
Data de inscrição : 15/07/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por JulieAlbano em Qua Fev 06, 2013 8:38 pm

KDÊ O ROGERS??

ACHOUU!!

kkkkkkkkkkkk sou tosca
não consigo parar de pensar nos avengers por sua causa, mamii..!
avatar
JulieAlbano

Mensagens : 231
Pontos : 2585
Data de inscrição : 15/07/2011

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qui Fev 07, 2013 4:37 pm

Eloo: Ela não morre não, eu que sou má e gosto de dar um suspense g.a
aoksaoksoaks

Julie: Oh My Thor, pare de postar esses gifs. Desse jeito eu não resistir e vou começar a lamber a tela do meu notebook u_u
Principalmente nesse aí do Loki, nossa esse cabelo dele me seduz muito g.a
CONFESSO: Nessa cena do filme em que o Steve está socando o saco de pancadas, eu fico olhando pra bunda dele '-' aoksoaksoaksaoksakasakssaoksskoaksoaksska

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qui Fev 07, 2013 4:38 pm

A escuridão era a única coisa em meu campo de visão. Minhas pálpebras doíam e eu as sentia cada vez mais pesadas. Senti que já não estava mais sobre a maca no laboratório da S.H.I.E.L.D, mas me encontrava em uma grama úmida e gelada, típico de uma garoa do amanhecer. Abri meus olhos lentamente, recebendo raios do sol diretamente em meu rosto. Por um momento permaneci deitada naquela grama, sem pensar em absolutamente nada, apenas me adaptando ao ambiente na natureza.

Firmei minhas mãos no chão e me sentei assustada com o lugar onde eu me encontrava. Era absurdamente lindo, com um pequeno rio extenso em minha frente, apenas uma arvore no lado que eu estava e o restante estava na outra margem da agua. Duas gigantescas montanhas cobertas pelo verde das plantas, também completavam aquele paraíso. Havia um cerca logo atrás de mim e a algo me dizia que não deveria ultrapassa-la. Levantei com certa dificuldade, já que meu corpo parecia mais dolorido que o normal. Apenas ao fazer esse movimento notei que estava trajando um vestido branco simples, com sapatilhas igualmente claras. (http://www.polyvore.com/dream/set?id=71353996)

Puxei minha perna de forma desajeitada para frente, como se fosse caminhar normalmente. Minha estatura continuava a mesma, mas meu equilíbrio era outro. Corri até a margem do rio e toquei a água para sentia-la molhando entre meus dedos. Apurei minha audição. Podendo ouvir os pássaros saindo de suas tocas naquela manhã. O vento batendo suavemente nas folhas das arvores e a correnteza desviar das pedras e gravetos do caminho. Fechei meus olhos me concentrando apenas no som das coisas, do modo em como a natureza era convidativa.

Dois braços fortes me envolveram delicadamente em um apertado abraço pela cintura. Os beijos aveludados e quentes em meu pescoço eram bastante familiares.

–Steve. – Sussurrei enquanto ofegava com seus toques em lugares que me arrepiavam. Virei meu corpo para ficar de frente ao seu, colando nossos lábios em um beijo cheio de saudade e paixão. Depois de um longo tempo, nos separamos já sem folego. Aqueles olhos azuis foram a primeira coisa que procurei quando afastei meu rosto do seu. Ali estavam eles, cheios de vida enquanto me admirava. Puxei sua mão para que fossemos até a arvore para podermos ter a visão de todo aquele paraíso, do ponto mais alto possível. Com minha pressa de chegar até lá, desprendi minha mão da sua para correr mais depressa. Sem nenhuma dificuldade, subi em vários troncos até olhar para trás e ver que não era Steve quem me seguia.

Os olhos penetrantes e verdes encontraram os meus que se arregalaram assustados. Como aquela criatura havia ido parar ali?

–Loki.- Ele abriu um sorriso debochado e se sentou tão perto de onde eu estava que nossas pernas se roçaram. Continuei a subir o ultimo tronco, apenas para me afastar dele. Meu vestido já estava totalmente rasgado e minhas mãos pareciam estar em carne viva, repleta de pedaços da madeira da arvore. – Você sabe onde estamos?

–Algo me diz que no fundo do seu subconsciente. Não achavas realmente que tudo isso fosse real, ou achou?

–Comecei a desconfiar no instante em que te vi. – Suspirei triste. Aquele lugar era lindo demais para ser real mesmo. – Então eu criei isso tudo em meu sonho? Até que sou uma boa decoradora.

–É realmente magnifico. Terei de concordar com você. – Disse distraidamente. Agora sim parecia ser sonho: Loki sendo legal comigo? Grande piada.

–Então se tudo isso foi criado por mim... O que será que tem do outro lado daquela cerca?- Perguntei a mim mesma, mas esperando que Loki falasse alguma coisa. Levantei-me do tronco onde estava e andei cautelosamente até o outro lado da arvore. Fiquei sobre o único pedaço que ultrapassava a cerca.

–Se eu fosse você teria cuidado. Existe sempre um lugar nos sonhos que são totalmente imprevisíveis.

–Você está dizendo que esse pode ser um portal para outro lugar?- Revirei os olhos, ignorando a possibilidade. Olhei para baixo e encarei aquela grama escurecida e morta do lado da cerca era realmente assustadora. Quando voltei a olhar para Loki ele estava tão próximo de mim que seu hálito estava impregnando-se em meu cabelo. Seus lábios tocaram os meus suavemente, mas eu afastei minha cabeça o máximo que podia. Havia uma fresta em que meu corpo passaria se eu me espremesse. Deu um ultimo sorriso para Loki que me olhou confuso.

–Acho que esse não é o seu dia de sorte, Loki. – Falei seu nome movendo meus lábios o mais perto dele possível, sem toca-lo. Atravessei aquele buraco e deixei meu corpo cair em o que parecia ser uma queda infinita.


[...]

Abri meus olhos suavemente, sentindo-me feliz por estar deitada naquela maca dura e rígida. Ouvi o som do monitor cardíaco, constatando que meus batimentos estavam normais e estáveis como uma pessoa qualquer. Minha primeira ação ao receber os raios da luz branca, foi olhar para meu braço. Não pude deixar de sorrir ao ver que a mancha sumira totalmente, voltando ao aspecto saudável que minha pele tinha.

–Vejo que a bela adormecida acordou.- Foi bom ouvir a voz de Stark, sentia saudades de toda sua ironia. – Pensei que iria ter que tirar seu nome da lista dos convidados da minha festa.

–A sua festa não seria daqui a uma semana?- Franzi o cenho enquanto passava a mão pelos cabelos distraidamente.

–Você dormiu durante sete dias. Não perdeu muita coisa, apenas um episódio dos Simpsons, um corte de cabelo do seu sobrinho e uma briga entre Picolé e Rena.- Ele não me olhava diretamente, apenas brincava com um joguinho que reconheci ser do meu sobrinho. Levantei rapidamente e fui até a poltrona que Tony estava sentado

–Eles brigaram? Como? Por quê? – Indaguei histericamente tirando o aparelho de suas mãos para que ele prestasse atenção em mim. Ele me olhou incrédulo e tentou recuperar o jogo novamente, mas eu escondi em minhas costas. Parecíamos duas verdadeiras crianças.

–O que mais seria? Ciúme é claro. Esse seu Capitão é bastante possessivo. Não ajudou nada você sussurrar o nome do Loki agora á pouco. – Stark me olhou com desconfiança enquanto cruzava os braços. – Ainda bem que estava somente eu na sala nesse instante...

Devolvi o jogo para ele, percebendo que sofreria chantagem se não o fizesse calar a boca.

–O que está fazendo com o jogo do John?

–Pepper está levando tanto os gêmeos hiperativos lá para a Torre que acabei virando amiguinho deles. Esse jogo do Homem de Ferro é muito realista, precisa me dizer o lugar em que seu sobrinho compra esses games...

Mas eu parei de ouvir o que Tony tagarelava, apenas pensando no que houvera entre Steve e Loki. Olhei para a sala que estava mais vazio do que nunca.

–Onde estão todos?

–Picolé está na cantina comendo alguma coisa. Verdão está na sua casa com sua irmã, é claro que você não quer que eu detalhe o que eles estão fazendo... Legolas está no ninho dele provavelmente com a Aranha Nervosinha. Barbie voltou para Asgard para se certificar se está tudo bem.

Demorei um tempo para associar todos os apelidos com seus nomes verdadeiros. Para Stark tudo parecia ser uma brincadeira.

–E o Picolé... Droga... E o Steve está bem? – Ele riu com minha confusão e apenas assentiu com a cabeça, totalmente fixo no jogo. – Ninguém vai me explicar o que realmente aconteceu comigo durante a experiência?

Meu tom de voz irritado pareceu chamar a atenção de Stark que apenas pigarreou e colocou o aparelho de lado me olhando atenciosamente. Ele indicou a cadeira em sua frente para que eu me sentasse. Permaneci em pé, de maneira bastante teimosa.

–Durante essa sua experiência, aconteceu algo bastante inusitado. Parece que o DNA de Steve não acentuou apenas o seu sangue humano, que era o objetivo. Os genes dele deram intensidade aos de animais também, deixando todas as suas habilidades, que já tinha antes, muito mais fortes. – Ele apoiou sua cabeça sobre o punho enquanto me explicava.

–Significa que eu sou mais ágil, mais forte, habilidosa do que antes?

–Exatamente, mas há algo a mais nisso tudo. Parece que sua visão e audição se estenderam ao máximo. Suas pupilas dilataram tanto que preencheu totalmente seus olhos, nos assustou muito.

–Eu forcei minha visão e consegui enxergar através das coisas. Enxerguei o andar acima do que estamos. Isso é totalmente louco. – Falei sacudindo a cabeça. - Também consegui ouvir coisas que estavam acontecendo no prédio vizinho, dentro da sala de estar de alguns moradores.

–Verdade? Isso é incrível, devo admitir. Seu equilíbrio está muito melhor então, já que audição melhorou.

–É tudo tão surreal, pior que meu sonho. – Stark se levantou e colocou suas mãos em meus ombros. Encarei seu rosto, agradecida por acordar e ter quase tudo explicado, mesmo de uma forma relutante e piadista.

–Quer uma sugestão? Vá para casa se arrumar para minha festa, fique mais linda do que já é e prove a si mesma que tudo é real. – Ele beijou o alto da minha testa e saiu da sala me deixando sozinha. Stark era como se fosse um irmão, a opinião masculina na minha vida que eu jamais tive.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Fev 13, 2013 8:00 pm

Nossa a fanfic aqui está bem atrasada '-'
Vou postar dois capitulos para compensar.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Fev 13, 2013 8:01 pm

Fechei o zíper da minha sacola com roupas que estava tirando do quarto da S.H.I.E.L.D para levar para casa. Eu podia ouvir a respiração de cada agente que passava por aquele corredor e isso me irritou profundamente, parecendo que estavam naquele quarto tirando minha privacidade. Cada mínimo barulho que acontecia a metros de distância daquele quarto eu era capaz de ouvir claramente. Por um momento egoísta, desejei que eles parassem de respirar para que o silêncio se estabelecesse no local.

Nada adiantaria se eu não bloqueasse esses sons de entrarem em minha audição. Sentei na cama com as mãos agarradas firmemente em meus joelhos e concentrei-me em apenas em um quarto vazio e sem barulhos. Suspirei calma e no segundo seguinte reparei que todas as conversas e chiados que estavam fora daquele cômodo, se cessaram quase que imediatamente. Então seria desse jeito? Poderia bloquear os sons indesejáveis me focando em apenas um único ponto? Estava simples demais.

–Certo, agora a visão.- Sibilei para mim mesma, enquanto me levantava e pegava minha câmera fotográfica digital na bolsa. É claro que se eu tentasse enxergar como meus olhos ficavam em um espelho, eu não seria capaz já que eu atravessaria o espelho e enxergaria através dele. Puxei a escrivaninha, colocando sobre esta a câmera ajustada para tirar uma foto dentro de dez segundos. Voltei a me sentar na cama e olhei para o aparelho tentando visualizar o que estava atrás dele. Sem nenhuma demora, eu via a imagem do mecanismo repleto de chips e alguns fios da maquina. Forcei mais meus olhos dessa vez, e a porta do banheiro apareceu. Foi como se eu tivesse simplesmente a aberto com uma mão, pois logo fui capaz de envergar tudo que havia no toalete.

O flash da câmera cegou-me por um instante. Com os olhos ardendo e fora de focos, peguei o pequeno objeto e visualizei a imagem tirada. Sufoquei um grito ao ver aquilo que era tão aterrorizante. Minhas pupilas se dilataram totalmente, preenchendo não somente toda a íris, mas sim o globo ocular por inteiro. Eu estava parecendo uma aberração de circo. Mas, diga-se de passagem, uma bela aberração.



Não que eu fosse convencida, mas o meu corpo estava mais atlético, minhas silhuetas muito mais definidas e os cabelos mais cheios de vida com sua coloração mais brilhosa. Meu único desejo naquele momento era ir para casa e abraçar meus sobrinhos e Elizabeth. Eles deveriam estar muito preocupados comigo, assim como eu mesmo estava. Fechei minha jaqueta e coloquei a mochila sobre os ombros.

Ao sair do prédio da S.H.I.E.L.D me lembrei que ainda não tinha visto Steve desde que acordara. Eu ignorei aquilo, já que teria a festa a noite e preferia a ideia de aparecer com um belo vestido em sua frente do que uma roupa de hospital. Fui distraída de meus pensamentos quando um adolescente esbarrou em mim.

–Desculpe moça. – Eu sorri para o garoto em forma de que aceitava suas desculpas. Notei que eles brincavam de Slackline, um esporte que você deve andar sobre uma corda bamba, amarrada em duas arvores, mantendo o equilíbrio para não cair. Equilíbrio...

–Garotos, eu posso brincar com vocês? – Perguntei a um bando de rapazes e garotas. Todos me olharam risonhos ao falar a palavra “brincar”, já que não era comum uma mulher da minha idade querer fazer parte de um jogo como aqueles. Assentiram e seguraram minha sacola e minha jaqueta.

–Moça, eu acho que você deveria tirar os Sapatos de salto alto para fazer isso. – Sugeriu uma garota ruivinha ao meu lado.

–Eu quero tentar com eles, mesmo assim obrigada. – Ouvi risos incrédulos a minha capacidade. Subi na corda extremamente esticada, apoiada na apenas na arvore. Arrependi-me no momento em que estava ali em cima, mas não desistiria agora. Soltei minha mão lentamente do tronco e dei alguns passos para ganhar firmeza. Logo me peguei indo de um lado para o outro da corda sem dificuldade nenhuma, para surpresa geral dos garotos.

–Relembrando a infância? – Perguntou uma voz sarcástica e aveludada que eu tanto conhecia. Distrai-me por um momento e caí da corda, me segurando nos braços do Deus da trapaça. Soltei meus braços do dele rapidamente, arrumando minha postura. Olhei para seu rosto e notei que ele estava diferente, por um momento parecia estar contente.

–Porque essa cara?- Perguntei cruzando os braços e continuando a encara-lo. Ele aproximou sua boca do meu ouvido.

–Eu só tenho essa. – Sussurrou para meu arrepio.

–Não é isso que me disse. Quer um pedaço de gelo para mostrar sua verdadeira identidade?

–Vejo que está bastante... Arisca. – Provocou-me como já era habitual. Revirei os olhos e fui pegar minha jaqueta e bolsa com as garotas sentadas em um banquinho de mármore.

–O que você quer? – Perguntei exausta de todo aquele joguinho que Loki fazia comigo há tanto tempo.

–O que eu realmente quero, você não irá me permitir fazer. Terminar o que comecei naquele seu sonho. – Falou ele para minha surpresa. Parei de andar e arregalei os olhos.

–Você viu o que aconteceu?

–Digamos que eu te ajudei a criar aquele paraíso. Manipulei um pouco, se você não se importa. – Bufei de raiva e voltei a caminhar mais rápido do que antes, tentando me manter mais longe dele possível. Fui puxada pelo braço até uma entrada estreita entre duas casas antigas, porem bem cuidadas.

–Solte meu braço! – Sai de seu aperto, esfregando o lugar onde ele segurara. Loki mexeu nas vestes e tirou uma pequena caixa preta e esticou para mim. Fiquei espantada com tal gesto.

–Considere um presente de aniversário, atrasado. – Falou com humildade em sua voz. Levantei a tampa da caixa e me deparei com um pequeno pingente de colar, belíssimo por sinal. Era do tamanho de uma semente, de um azul intenso e brilhoso. Sua borda era dourada e muito bonita. Fechei a caixa e devolvi a Loki.

–Não posso aceitar isso, Loki. Sei que deve haver alguma outra intensão por trás disso, então pode esquecer. – Disse secamente tentando voltar para a rua e continuar meu caminho até minha casa. Novamente senti seus dedos se fecharem em torno do meu pulso.

–Não há intensões, apenas considere como um pedido de paz entre nós dois.- Olhei fundo em seus olhos e por um momento me perdi naquela imensidão verde. Ele me ofereceu novamente a caixa e eu a aceitei, confiando em suas palavras- Use está noite na festa. Você irá ficar encantadora.

Não pude evitar corar um pouco. Tirei meu colar e coloquei o pingente junto com o que havia ganhado de Steve. A letra dourada pareceu ganhar um realce quando a pedra azul se junto a ela.

[...]

–Vamos logo, Kate! Você já está nesse banheiro há umas duas horas. Aqui também tem outras pessoas querendo se arrumar. – Gritava uma Elizabeth batendo violentamente na porta. Interferi antes que a porta saísse gravemente ferida.

–Pode usar o banheiro do meu quarto já terminei de me arrumar.- Falei para que aquele berreiro cessasse. Kate e Elizabeth brigavam pelo banheiro fazia dez minutos e isso me irritada, até parecia que eu era a mais velha. Elizabeth me olhou e ficou deslumbrado com o que viu.

–Acho que essa coisa de ser Fera fez muito bem a você. Está fabulosa! – Disse ela entrando no meu quarto e fechando a porta. Sorri com seu elogio e passei meu batom para dar um complemento final, quando a porta do banheiro se abriu e foi minha vez de ficar completamente boquiaberta com a beleza de Kate. Seu vestido era tão delicado e sensual ao mesmo tempo em que realçava seu rosto travesso, porem angelical. Ela carregava uma sacola na mão direita e na esquerda uma sacola preta de roupas.

–O que tem nessa sacola? – Indaguei desconfiava.

–Lembra-se quando eu disse que se o Thor não tomasse uma iniciativa logo, durante a festa do Stark eu iria provar que tem outros que me querem? Hoje é a festa e a Barbie Mundo das Fadas e digamos que eu ainda não pude me encantar com sua varinha de condão.

Explodi em risadas sacudindo a cabeça em forma de reprovação. Seus planos me assustavam ainda mais porque não eram nada previsíveis. Desviei minha atenção de Kate, que borrifava perfume em seu pescoço, para ouvir um anuncio na televisão.

“O sequestro ao Governador, Richard Klenton, continua em fase de negociação. Os bandidos exigem uma quantia de vinte milhões de dólares e um jato particular para serem tirados em segurança do local. A policia de New York afirmou que na casa existam quatro sequestradores armados e esses não são americanos. A ameaça de um ataque terrorista também foi colocada em pauta na conversa entre eles...”.

–Jessie desligue a televisão, não deixe as crianças verem essas coisas. – Pedi para a babá que iria tomar conta de Gabrielle e John. Kate me olhou por um momento.

–Pensei que Os Vingadores fossem fazer alguma coisa, eles já estão nesse sequestro há três dias.

–Fury diz que o Governo não aceita muito a ideia de um bando de esquisitos tente ajudar, e se algo der errado quando estivermos lá, talvez até fossemos extintos. – Respondi indignada. – Agora me tire uma dúvida. Eu dormi durante sete dias e em todo esse tempo o Thor não fez nada?

–Nem poderia. Eu não atendi suas ligações e quando ele vinha até aqui a Elizabeth dizia que eu não estava em casa, que havia ido me encontrar com um amigo. – Explicou ela com um sorriso feliz. Elizabeth desceu as escadas, fantástica como sempre em seu vestido preto.

–Acho isso tão idiota, Kate. Você já tem a prova que ele gosta de você, se não ele não viria aqui e ficaria cheio de ciúmes quando disse que estava com outro homem. – Elizabeth sempre com sua sabedoria.

Visual Abbe: (http://www.polyvore.com/sexy_party/set?id=70527632)

Visual Kate:(http://www.polyvore.com/angel_devil/set?id=70034117)

Visual Elizabeth:(http://www.polyvore.com/liz/set?id=71501600)

Peguei minha bolsa sobre a mesa da cozinha e as chaves do carro. Kate se adiantou e deu um beijo na bochecha de John, deixando a marca de seus lábios com batom no rosto do menino.

–Se te perguntarem, diga que foi sua namorada que te deu esse beijo. – Os gêmeos riram e despediram-se da gente com beijos e abraços. Kate era muito apegada ao afilhado, adorava mima-lo. Elizabeth quando descobriu que estava grávida de duas crianças, convidou a mim para ser madrinha de Gabrielle e Kate para ser de John.

Dirigimos até a festa que como sendo uma de Tony Stark estava repleta de fotógrafos na porta de entrada. Encontraríamos nossos acompanhantes lá dentro e eu estava ansiosa para ver Steve, meu Capitão. Vislumbrei-me com a decoração de uma sala com vidros escurecidos. Havia um bar com garçons que faziam malabarismos com as garrafas de bebidas. Uma pista de dança com muitas pessoas pulando e se divertindo com a música absurdamente alta.

–Oi, meu amor. Você está lindo. – Elizabeth havia encontrado Banner e ambos estavam em só chamego.

–Eu lindo? Já se viu no espelho? Você está maravilhosa, um verdadeiro anjo. – Ele falou. Kate puxou meu braço.

–Acho que vou vomitar com isso. – A loira fazia menção de que passava mal enquanto olhava os dois se beijando no meio do caminho. Um homem alto e musculo se aproximou de nós, seus cabelos medianos e loiros estavam da maneira de sempre. Um grande sorriso se abriu no rosto de Thor quando ele viu minha irmã.

–Kate, está deslumbrante com essa roupa. – Elogiou.

–Obrigada e você também não está nada mal. – Disse ela relutante já que estava se fazendo de difícil. Quando Thor se virou para pegar uma bebida Kate me olhou e cochichou “Ele está um gato” . Tive que concordar, já que aquele smoking o deixava muito bonito.

Deixei os dois a sós para que talvez se entendessem e Kate tirasse da cabeça a ideia de fazer um showzinho durante a festa. Andei entre as pessoas desviam das bandejas que os garçons levavam. Quando avistei meu alvo mais lindo do que nunca me aproximei por suas costas e tampei seus olhos.

–Eu tenho que adivinhar quem é? – Perguntou ele docemente. Apenas fiz um sim com uma voz mais grossa para que ele não me reconhecesse. – É a minha namorada das quartas? Não, espera... Acho que é a das sextas.

Tirei a mão dos seus olhos e dei tapas e socos em suas costas. Ele se virou para mim, sorrindo e segurou meus braços.

–Eu estava brincando. Claro que eu sabia que era minha única namorada que eu tanto amo. – Ele colocou minhas mãos em torno de seu próprio pescoço e me deu um beijo caloroso e cheio de desejo. – Mas eu jurava que fosse a das sextas.

Dei um tapa em seu ombro rindo de suas brincadeiras. Eu estava morta de saudades daquela voz que me divertia e eu tanto amava. Mesmo que eu estivesse apenas dormindo durante o tempo em que a experiência estava sendo feita, eu desejava mais do que tudo acordar e ver aqueles olhos azuis.

–Estou tão feliz em te ver bem, não houve um dia em que eu não ficasse do seu lado naquela maca. Fiquei triste quando você não me esperou, eu teria te levado em casa.

–Queria fazer um charme e aparecer bem vestida na sua frente. O que achou da minha roupa?- Dei uma volta sacudindo minha saia levemente, ele pareceu estar prestes a babar. Eu ri da sua cara, mas um homem vestido totalmente de preto e um tapa olho chamou minha atenção de longe. Assim como estava fazendo com os outros convidados da festa. – O que o Fury faz aqui?

–Stark deve ter o convidado.

–Ele não faz muito o estilo de quem vá á festas como essa. – Analisei desconfiada. Alguma coisa não estava ocorrendo bem, mas eu tentaria ignorar o máximo possível.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Fev 13, 2013 8:03 pm

Capítulo Final - Desfecho

Steve e eu ficamos ali, parados em um canto por um tempo. Eu sentia falta de seu abraço e beijos que me faziam imaginar que estivesse nas nuvens. É claro que não tínhamos tanta privacidade, já que volta e meia alguém vinha nos cumprimentar. Não me agradava algumas mulheres serem tão atiradas para Steve, mas eu não continha um sorriso quando via suas caras decepcionadas, afinal Rogers sabia muito bem que era um homem comprometido. Tony logo nos avistou e estava junto com Pepper, que estava fantástica em sua roupa. Dizem que quando uma pessoa é simpática ela se torna muito mais bela, no caso da senhorita Pots isso era totalmente verdade.

–É grande prazer ver vocês dois aqui. – Disse ela abraçando a mim e a Steve. – Estou tão feliz por você estar bem, Abbe. Tony me contou como foi a sua experiência, ele ficou preocupado...

–Não foi bem assim, Pepper. – Defendeu-se Stark cutucando a namorada. Porém a ruiva já havia me dito o suficiente.

–Preocupado foi? Parece que alguém aqui ainda tem coração mole. – Caçoei. Stark não usava o tempo toda aquela armadura, ele era um humano normal e tinha sentimentos como qualquer outro.

–O que sua irmãzinha loira planeja? Ela entrou no banheiro correndo e chorando. – Falou Stark tentando fugir do assunto. – Sabe que sua família já tem um histórico de estragar minhas festas.

–Kate? Onde ela está? – Pepper apontou para uma porta branca do outro lado do salão. Soltei minha mão da de Steve. – Já volto.

Caminhei entre as pessoas que dançavam loucamente, como se não houvesse amanhã. Senti alguns dançarinos pisarem em meus pés, mas ignorei procurando por minha irmã Elizabeth. Eu sabia que sozinha não conseguiria acalmar o nervosismo de Kate, que provavelmente deveria ter desabafado tudo que sentia para Thor. Encontrei a mais velha sentada no bar conversando com Bruce e outros amigos dele.

–Com licença, Bruce. Vou ter que roubar sua garota. – Terminei a frase levando Elizabeth até a porta do banheiro que como eu já imaginava, estava trancada. – KATE ABRE ESSA PORTA!

–O que houve? – Perguntou-me Elizabeth. Abri a boca para responder, mas ouve um barulho de chave girando na fechadura e empurrei a porta para entrar rapidamente. Kate não chorava, apenas tinha uma expressão triste e infeliz. Isso era o mais assustador.

–O que aconteceu, Kate?

–Eu me apaixonei. Terrível, não? – Respondeu ela com um leve tremor na voz. A loira parecia à beira de lagrimas, mas mantinha-se forte sem mostrar que estava abalada. Elizabeth e eu nos olhamos sem entender. Kate percebeu nossa confusão e apressou-se a explicar. – Jamais me senti com alguém assim antes e nós ainda nem nos beijamos. É totalmente sem nexo!

Liz se aproximou dela e a abraçou fortemente, eu logo me juntei a elas. Há quanto tempo não nos abraçamos assim, eu já não fazia ideia. Talvez meses, anos, décadas... O importante é que precisávamos nos juntar e provar que éramos irmãs que apoiavam uma a outra.

–Sabe por que você se apaixonou sem mesmo beija-lo? Porque quando o coração sabe quem é o certo, ele faz coisas inacreditáveis. - Explicou minha irmã se soltando de nosso abraçado com seus olhos castanhos marejados. Kate também se afastou e limpou uma única lágrima que escorreu por seu rosto.

–Ainda bem que a maquiagem é a prova d’agua. Olhem para nós, somos um trio choroso que deveria estar se divertindo na festa. – Falou ela. Pigarreou firme e olhou para nós decida. Odiava quando ela fazia isso. – Elizabeth, eu preciso que você vá até o carro e pegue aquela sacola que eu deixei lá. Abbe peça para o DJ tocar “Naughty Girl- Beyoncé” quando eu fizer um sinal?

Eu preferia não fazer parte daquele plano maléfico, mas os olhinhos pidões e azuis de Kate me impediram de recusar. Sai do banheiro e voltei até a festa que parecia estar mais cheia a cada momento, dificultando minha tentativa de encontrar Steve no meio da multidão agitada.

–Abbe, espere, por favor! – Chamou a voz grave e sensual de Thor em minhas costas. Virei e me deparei com seu semblante alto e musculo. - Como está a Kate? Eu estava conversando com ela e quando me deparo, ela está beira do choro. Tentei ampara-la, mas apenas correu de mim...

–Thor você gosta da Kate? – O interrompi apressada. Ele fez uma cara de que iria dizer “Ela é minha amiga”, mas eu tive de acrescentar. – Você gosta da Kate como algo além de amizade?

O Deus ficou em silêncio sem saber o que me dizer. A música estava alta e as luzes baixas me impediam de me concentrar totalmente em seu rosto e tentar decifra-lo.

–Eu acho que eu amo essa mulher.- Anunciou ele com seu tom decidido. Minha expressão tornou-se espantada, mas eu não teria tempo para continuar aquela conversa. Precisava parar Kate antes que ela fizesse alguma idiotice... Tarde demais. Elizabeth deve ter pedido ao DJ que colocasse a música que a loira pediu. Não acreditei que demorei tanto tempo assim conversando com Thor e procurando Steve.

Roupa da Direita:(http://www.polyvore.com/angel_devil/set?id=70034117)

–Senhoras e Senhores, eu tenho a honra de apresentar a sensual e quentíssima: Lady Ruby. – Os convidados permaneceram parados no lugar e olharam para o DJ. Ele apontou para o balcão no bar onde uma garota loira com uma roupa extremamente sexy subiu e começou uma dança exótica.

–Não acredito que ela usou o nome do meio. – Cochichou Elizabeth ficando ao meu lado. Thor parecia estático, mas não deixava de transparecer sua raiva e indignação no belo rosto. Mesmo usando uma mascara, Kate se tornara totalmente reconhecível, com seus longos e lisos cabelos. Os homens solteiros deliravam com os movimentos da garota. Os acompanhados por suas namoradas e esposas, também olhavam, mas sem babar tão diretamente. Não era uma coisa tão vulgar, apenas chamativo para os homens, já que uma mulher tão linda e com um ótimo corpo dançava sobre a bancada.

A música cessou e uma salva de palmas preencheu o lugar, Thor foi talvez o único que permaneceu de braços cruzados a encarando com seriedade. O músico percebeu o sucesso da garota e colocou outra música parada tocar. “Tonight – Enrique Iglesias feat. Ludacris” começou e muitas outras mulheres começaram a dançar como Kate estava fazendo. Seu olhar encontrou o do Deus e ela mandou um beijinho provocante para a plateia.

–Já basta. – Falou Thor zangado passando entre as pessoas até chegar à garota loira. Ele a pegou pelas pernas colocando seu corpo sobre seus ombros. Elizabeth e eu começamos a rir descontroladamente. Pudemos perceber como Kate se debatia e dava socos nas costas no deus com força para que ele a soltasse. É claro que ele não estava sentindo a agressão, afinal, Kate era uma mera mortal. Que os dois se entendessem de uma vez, pois eu torcia não ter que ver os shows de minha irmã novamente.

Voltei a procurar Steve, agora acompanhada por Elizabeth que também se perdera de Bruce. Demoramos algum tempo até encontrar nossos garotos que estavam juntos, reunidos com Tony, Natasha e Clint. A agente estava fabulosa com um vestido simples, porém charmoso. O vermelho de sua roupa combinava perfeitamente com suas lindas madeixas ruivas.

–Eu sabia que alguma de você iria aprontar. Típico. – Falou Stark com um copo de uísque na mão. Revirei meus olhos, cansada de suas piadinhas já tão ultrapassadas. Fiquei abraçada em Steve que acaricia meus ombros.

–O que acham que vai acontecer agora? – Perguntou Natasha, olhando maliciosamente para todos nós. Ela viu que não entendemos sobre o que falava. – Thor e Kate.

–Devem estar transformando o banheiro em um motel. – Disse o Gavião para divertimento geral.

–Só sei que se as duas loiras quebrarem alguma coisa no banheiro, eu vou mandar a conta. – Tony levou o copo a boca tomando com gosto o liquido que havia nele. Olhou para Clint e Natasha com tanta malicia nos olhos brilhantes, quando a agente Romanoff ao falar sobre Thor e Kate. – E vocês dois? Quando vão quebrar tudo com esse amor suprimido?

–Você só pode estar bêbado Stark. Barton e eu somos apenas colegas de trabalho, nada a mais que isso. – Disse a Romanoff secamente. Clint concordou com a cabeça o que a amiga havia dito, mas podia-se notar seu descontentamento. Eu olhei de esguelha para ele que cochichou “Essa mulher me quer!”. Sorri para ele em tom de reprovação, pois não entendia a relutância de falarem o que sentiam um pelo outro.

–Conheço essa cara. Nada de bancar o cupido, Srtª Stich. - Repreendeu-me Steve, falando aquilo somente para mim.

–Que ultrajante de sua parte, Capitão! Acreditar que irei fazer alguma coisa para que esse casal dê certo... – Ele me calou com um beijo que infelizmente foi rápido, pois Tony pigarreou chamando nossa atenção. Quando me separei de Steve me deparei com Nick Fury e seu tapa olho.

–Boa Noite, Vingadores. Tony, você poderia ceder uma sala vazia para que possamos conversar de forma privada. – Pediu Nick estava tenso e nos olhava seriamente. Deveria haver algum problema.

[...]

Todos nós estávamos reunidos em uma sala do quarto andar da Torre Stark. Era a única que não possui uma janela com visão para a majestosa New York, com suas luzes que jamais desligam e pessoas que jamais dormem. Apenas Thor não se encontrava, para confusão de Nick.

–Onde está o Thor?

–Longa história... - Falou Bruce que havia deixado Elizabeth com algumas mulheres que se tornaram amigas dela. Fury ignorou e então prosseguiu.

–Como todos devem ter consentimento sobre o que está acontecendo nesse instante com o Governador e sua família.

–É claro que sabemos, a televisão não fala sobre outra coisa nos últimos dias. - Falou Steve de braços cruzados encostado na bancada de madeira que havia no cômodo.

–Então devem saber que um das exigências dos sequestradores, além da quantia em dinheiro, é um jato particular que os ajude nessa fuga. A policia foi informada por uma fonte anônima, esta tarde, que esses bandidos são terroristas que pretendem fazer um ataque ao Reino Unido.

–Eles possuem bombas junto com eles nesse instante? – Perguntou Clint impressionado. Um grande mistério pairava sobre minha cabeça... Como bandidos munidos com bombas e armas não foram detectados pelos seguranças do Governador Klenton.

–Ao que tudo indica sim. Estamos elaborando um plano de ataque surpresa e precisamos de um de vocês para fazer essa missão. – Anunciou Fury olhando pausadamente para cada um dos presentes na sala. Adiantei-me antes que qualquer outro se voluntariasse.

–Eu vou.

–Nem pensar. Não irá sozinha, é arriscado demais...- Steve se pronunciou colocando-se ao meu lado.

–Steve não é você quem decide. Quero provar que sou capaz de fazer parte dos Vingadores, tanto quanto você. - Falei mais séria do que nunca, decida a realizar aquela missão.

–Essa não é a hora de bancar...

–A heroína? Isso foi tudo que eu quis me tornar desde o momento em que você me levou naquela moto até a S.H.I.E.L.D, porque eu estava desesperada procurando pela Gabrielle, e Fury me convidou para fazer parte da Iniciativa. – Segurei sua mão junto a minha mostrando que ele podia confiar em mim.

–Tem certeza disso agente Stich?- Perguntou me Nick, sombriamente. Soltei meu cabelo que estava preso em um nó no alto da cabeça, e sacudi a cabeça de forma que meus fios se espalhassem pelos ombros.

–Deixe comigo.- Primeiramente teria de arranjar um novo uniforme.

[...]

Eu me mexia confortavelmente na roupa que Fury havia conseguido para mim. Era semelhante à de que Hill e outros agentes usavam. Steve e Natasha me acompanhavam até o carro que me escoltaria até a base do governo, onde o jato que seria levado até os bandidos, partiria. Permaneci em silêncio o tempo todo, sem saber o que dizer e sentindo minhas mãos suando friamente. Talvez o nervosismo tivesse tirado minha voz, mas não chegava nem perto de ameaçar minha determinação. Descemos do carro e nos dirigimos até um belo G150 da Gulfstream Aerospace que havia sido a exigência dos sequestradores.

Era incrivelmente perfeito o lado interno da cabine, agora eu era capaz de entender o porque daquele jato havia sido escolhido. Suas poltronas eram de um couro da cor de marfim e sua decoração era impecável. Todos os guardas que inspecionavam o local deixaram a cabine, ficando apenas Steve e eu. Aproximei-me dele com um sorriso encorajador e lhe dei um beijo apaixonante, mas com um leve toque de despedida. Ele não pareceu gostar disso.

–Prometa-me que irá voltar para mim.- Seus olhos azuis encontraram os meus e pareceu que eu estava me apaixonando novamente por aquela inocência e perfeição. Aproximou seus lábios dos meus ouvidos, fazendo a pergunta mais crucial da minha vida. Sorri com o arrepio que sua voz proporcionou na minha pele.

–Eu te respondo quando eu voltar. – Sibilei de volta. Ele deu um pequeno sorriso sendo obrigado a sair do avião. O piloto começou o voo e eu me tranquei no pequeno porta bebidas onde cabia perfeitamente meu corpo se eu me dobrasse.

Entre solavancos que o jato dava, notei quando ele depois de um longo tempo pousou sobre uma superfície lisa. Fiquei mais silenciosa que nunca quando reparei que os sequestradores adentraram o avião, falando rapidamente uma língua estrangeira que eu não soube dizer qual seria. Concentrei-me para ouvir o número de respirações e percebeu que deveriam estar encapuzados pela dificuldade em inspirar. Pelos sons de socos e baques surdos, percebi que eles tiraram o piloto à força para fora do jato. Aguardei que ele voltasse a voar pela noite, ajeitei minha arma e meu par de Sai cuidadosamente na mão, contei até dois minutos e concentrei-me a ver o que acontecia do lado de fora daquela pequena cabine.

Dois deles estavam sentados de forma relaxada nas poltronas macias e o restante provavelmente estava na cabine de pilotagem. Preparei-me e fui para o ataque chutando com força a porta do lugar onde eu estava escondida. Despreparados e estando longe de suas armas, os dois homens não eram pareôs para mim. O moreno alto e barbudo se jogou em mim tentando arrancar minha pistola da mão, mas eu me desviei dele com graciosidade e cortei sua jugular. De forma rápida ele caiu no chão e perdeu seus sentidos. O outro se enfureceu ainda mais quando viu seu colega morto no chão, pegou uma garrafa de vinho e a quebrou deixando sua ponta afiada e mortal.

Ele investia contra mim com violência, brandindo furiosamente aquela garrafa em minha direção. Reparei em uma mesa ao meu lado, ela me seria útil. A joguei contra ele que bateu com força na parede. Joguei meu Sai nele que fincou diretamente em seu coração.

–Zer gertatzen da hor? – Uma voz de dentro da cabine do piloto me assustou. Preparei para mais quando percebi a porta sendo aberta para trás, dei um tiro certeiro no bandido que morreu talvez sem saber o que o acertou. O que estava pilotando pegou sua arma e apertou um botão no painel. “Piloto Automático acionado” falou uma voz automática.

Um tiro passou de raspão por meu braço, gerando um ferimento no local. Gemi pela dor que alastrou em meu corpo. Lancei minha outra faca nele, acertando sua arma fazendo-a que ela trancasse. O empurrei fazendo com que nós dois batêssemos com força no painel de controle do avião, acionando e desligando funções. Senti seu punho contra o meu rosto e meu cabelo sendo puxado me obrigando a deitar no chão. Chutei sua face com toda força que conseguia reunir nos pés. O bandido alto e loiro, caiu ao meu lado. Subi em suas costas ficando sobre ele, levantei sua cabeça girando sem nenhuma piedade seu pescoço, quebrando-o.

Sentia o sangue em minha boca, o gosto de ferrugem e sal me incomodou no inicio. Mas nesse instante em possui problema maiores. Adicionei o comunicador que Nick Fury havia me dado.

–Alguém na escuta? – Sempre desejei falar aquilo.

–Abbe! Você está bem? – A voz de Steve me tranquilizou por um momento. Avaliei o estrago que estava o avião e percebi que muitos de seus comandos podiam ser considerados de perda total.

–Estou, mas o jato não está nenhum pouco...

–Agente Stich, a bomba está aí com você? – Perguntou Nick com sua seriedade. Procurei pela cabine e entrei um pequeno cubo prateado com um visor digital. Faltava apenas cinco minutos para explodir. Senti um tremor passar por meu corpo.

–Ela está aqui. – Respondi com a atenção em outro local. Um mapa mostrava as informações necessárias para a viagem. Fiquei sem saber o que fazer quando avistei os dados fornecidos. Tempo restante de viagem: dez minutos e quarenta e seis segundos. E eu estava apenas no meio do Atlântico Norte. – Fury, essa missão... Era suicida. Foi uma cilada!

–Acalme-se agente Stich, nossos funcionários estão tentando localizar através do GPS...

–O GPS está estragado, assim como o navegador. Fury, desde o inicio estava planejado para algum de nós sermos morto. O tempo estimado para a chegada da bomba não era no Reino Unido e sim DO MEIO DO ATLÂNTICO!

Um silêncio me fez pensar que a escuta estivesse quebrada, mas todos estavam sem saber como reagir.

–Abbe eu te amo... – O jeito como Steve falou foi de cortar meu coração. Uma ideia inútil passou pela minha cabeça.

–Se eu pousar o avião no meio do mar talvez eu ainda tenha uma chance antes da bomba explodir, é a única solução. – Falei com uma nota de pesar na voz. Percebi que Rogers engoliu em seco. – Respondendo aquilo que você me perguntou antes do avião decolar, Steve... Eu não aceito me Casar com você. Porque... – Um soluço me interrompeu. – Porque você dança muito mal.

Uma mistura de riso e choro veio do outro lado. Eu não conseguia enxergar muito bem com meus olhos completamente cegos pelas lágrimas. Desativei o piloto automático e empurrei a direção para baixo, sentindo que o avião tornava-se cada vez mais rápido em direção ao fundo do oceano.

–Acho que eu você não será o único a sofrer um acidente de avião entre Os Vingadores. – Eu sabia que não era o momento para piadas, mas eu precisava de distrações. – Prometa-me que vai sempre continuar esse homem maravilhoso que é.

–Não vou prometer nada, porque quero você aqui comigo.- Eu já conseguia avistar o azul da agua cristalina que era naquele ponto. Então seria a qualquer momento...

–Então acredito que vá se decepcionar... – O Avião foi engolido pela gelada e mortal água.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Eloo em Ter Fev 19, 2013 4:44 pm

"–Picolé está na cantina comendo alguma coisa. Verdão está na sua casa
com sua irmã, é claro que você não quer que eu detalhe o que eles estão
fazendo... Legolas está no ninho dele provavelmente com a Aranha
Nervosinha. Barbie voltou para Asgard para se certificar se está tudo
bem." KKKKKKKKKKKKKKKKK ri de mais com o Verdão, kkkkk

"Quer uma sugestão? Vá para casa se arrumar para minha festa, fique mais
linda do que já é e prove a si mesma que tudo é real. – Ele beijou o
alto da minha testa.." own, que cute, kkkkkkk

"É a minha namorada das quartas? Não, espera... Acho que é a das sextas." kkkkkkkkkkkkkkk

"Estou tão feliz por você estar bem, Abbe. Tony me contou como foi a sua experiência, ele ficou preocupado...

–Não foi bem assim, Pepper. – Defendeu-se Stark cutucando a namorada." KKKKKKKKKKKKKKK

Mana, é serio, o pessoal de casa já ta achando que sou maluca, toda hora rindo...

Eu PRECISO de mais um capítulo, é serio, quero saber a continuação o maais rápido maninha. kkk pirat

_________________
avatar
Eloo
Admin

Mensagens : 2414
Pontos : 7177
Data de inscrição : 11/07/2011
Idade : 19
Localização : Nárnia :B

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Seg Jul 15, 2013 5:05 pm

A todos que acompanhavam Beast, desculpe a imensa demora a postar um novo capitulo. Isso é culpa minha por ser tão descuidada e esquecer de postar nesse fórum e cuidar mais do Nyah.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Seg Jul 15, 2013 5:07 pm

Bônus

Kate se debatia nos ombros de Thor, mas o Deus a ignorava com raiva de sua atitude. Ele abriu a porta do banheiro e a trancou, logo em seguida colocando a garota no chão. A loira estava com os olhos marejados, mas não deixava de sorrir travessamente, para mais aborrecimento de Thor. Ela esperou que ele gritasse insultos a ela, que a chamasse dos mais altos palavrões, mas isso não aconteceu. O silêncio ainda pairava sobre ambos.

–Porque fizestes uma coisa dessas? – Perguntou ele finalmente. O desapontamento era visível em Thor, mesmo por trás de toda aquela beleza.

–Se eu disser “Porque eu quis”, será óbvio demais? – Ela não podia deixar de perder uma brecha para piadas ou brincadeiras.

–Uma dama não pode portar-se dessa maneira...

–Já pensou que eu teria um motivo para agir assim? De uma maneira totalmente desesperada? – Retrucou Kate irritada colocando as duas mãos na cintura. Thor a olhou mais profundamente sem entender onde ela queria chegar. – Porque eu queria chamar a atenção.

–Isso eu fui capaz de notar, dançando daquela maneira para mais de cem pessoas. Seus ancestrais devem estar envergonhados...

–Meus ancestrais? Estou pouco ligando para eles, Thor. – Ela cuspiu furiosa, virando-se de costas para o Deus, fitando-se por um momento no gigantesco espelho que havia grudado na parede do banheiro. - Eu sou adotada, não faço mínima ideia de quem sejam meus pais biológicos. Fui colocada em um orfanato quando tinha apenas quatro anos e vivi naquele lugar horrível até completar cinco. Foi quando o casal Stich me adotou e me levou para casa. Cresci sem saber de onde realmente venho, sem vestígios sobre minha verdade.

Thor não seria capaz de entender, já que havia sido criado pela mesma família desde que nascera rodeado de criados e mimos por ser um filho de rei. Jamais compreenderia essa dor de não saber sobre sua história real e de onde viera. Qual era a cor do cabelo de sua mãe, o cheiro dela quando a abraçava a noite antes de ser colocada no berço ou o brilho nos olhos da mulher que a trouxera ao mundo. Isso era tudo que Kate desejava saber.

Não se importava com o motivo de ter sida colocada naquele orfanato tão jovem, quais foram as razões para ser abandonada por sua família. No fundo os agradecia por terem feito isso, pois se não, nunca teria conhecido suas irmãs Abbe e Elizabeth e não teria sido tão feliz em sua vida. Apenas gostaria de saber sua verdadeira história.

–Não irei dizer que compreendo você, estaria mentindo se falasse isso. Mas fui criado com Loki, que também foi adotado, então sei um pouco o que você deve sentir nesses momentos em que não sabe sobre sua origem. – Disse Thor solidariamente, aproximando-se um pequeno passo da garota. Ela fungou, passando a mão rapidamente sobre os olhos. Não queria conversar sobre aquilo, vestida daquela forma e logo depois de ter dançado sensualmente sobre a bancada do bar.

–Quando dancei daquela maneira, vestida desse jeito na festa, não foi para chamar a atenção de todos aqueles homens. Foi para chamar a sua e mostrar que você estaria me perdendo se continuasse tão lento. – Ela soltou uma risada enquanto tentava se acalmar do choro que havia tido segundos antes.

–Perder você seria algo terrível. – Thor chegou perto da garota, envolvendo seus ombros com as mãos e beijando seu pescoço. A barba do Deus roçando na pele de Kate causou calafrios na loira que adorava cada toque dele.

–Então porque demorou tanto? – Perguntou ela com os olhos fechados, desfrutando cada instante em que estava ali. O homem levantou seu rosto sussurrando no ouvido dela para mais derretimento dela.

–Porque eu sou um completo tolo. Esperei muito tempo para ver se você realmente era quem eu amava... Sendo que me apaixonei por você desde o momento em que te vi com aquela camiseta escrita “Thor”.

Kate soltou um riso abafado enquanto era virada pelo Deus, para ficar frente a frente com aqueles olhos tão claros quanto os dela. Thor colocou suas mãos sobre o rosto da garota e tirou delicadamente a mascara que ela ainda usava. O objeto trancou nos cabelos dela, mas Kate o ajudou a tirar com agilidade. Ele acariciou as bochechas da loira, a puxando para cada vez mais perto de sua boca.

Seus lábios se tocaram tão carinhosamente, de uma maneira que Kate jamais havia sido beijada antes. Ele era delicado com ela, deixando que a garota fizesse os movimentos, mas impondo-se às vezes. Kate colocou as mãos na nuca de Thor, porém não viu motivos para puxar seus cabelos, então apenas acariciou sua barba e pescoço. As mãos dele agora seguravam a cintura fina dela a puxando para mais colado possível do corpo dele. A Stich lembrou-se do que Abbe havia dito há ela dias atrás, que se ela fosse namorada de Thor, ele iria trata-la como uma rainha. Agora conseguia entender o que a irmã queria dizer.

[...]

Os dois estavam se beijando de forma desesperada e cheia de desejo suprimido por tanto tempo. Haviam saído às escondidas da festa, sem atrair o olhar de curiosos que ainda comentavam sobre o show que uma loira misteriosa havia dado. Pensaram em ir para a casa de Kate, mas as crianças estavam lá e a babá teria de ir embora para dar privacidade aos dois. Por sugestão de Kate, alugaram um quarto em um motel quatro estrelas que havia no centro da cidade.

–Espere... - Thor se soltou do beijo que estava os levando cada vez mais em direção à cama com lençóis de seda branco. Ele foi até um pequeno rádio que estava na cabeceira da cama e o ligou. “She Will Be Loved – Maroon 5” começou a tocar por todo o quarto e o Deus sentou-se na beirada cama olhando para a garota. Ela sabia exatamente o que ele queria.

–Está brincando?- Perguntou ela risonha. Thor mostrou aqueles dentes brancos enquanto sorria para ela.

–Por favor, você ficou extremamente sensual enquanto dançava.

Era complemente diferente dançar para estranhos e dançar para apenas o Thor naquele quarto. A música não era uma das melhores para movimentos quentes, mas a garota começou a rebolar tirando o casaco que o Deus havia colocado nela, para tampar aquela roupa curta e brilhosa de antes. Ela tentou ser muito mais sexy agora, para fazer o homem que a assistia, delirar.

Quando a música já estava em seu segundo refrão, Kate se aproximou de Thor e o empurrou para que deitasse na cama, onde ela passou uma perna para cada lado da cintura do Deus. Eles se beijaram enquanto a canção chegava ao fim e apenas o desejo gritante que cada um sentia pelo outro, fosse capaz de ser ouvido pelo quarto. Thor puxou Kate, colocando-se sobre ela e desabotoando com dificuldade sua roupa. Depositou beijos por todo o corpo dela. Levantou-se e tirou os sapatos da garota, beijando seus pés para arrepio da Stich.

Ela nunca havia sido tratada de forma tão amorosa e jamais se sentiu tão desejada. Estava totalmente feliz e queria apenas ficar com Thor para sempre.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por MaaSi em Ter Jul 16, 2013 11:10 am

OH MEU DEUS EU AMO ESTA FIC

Como sou nova aqui no fórum só a descobri hoje e omg adorei adorei aDOREI

Amei mesmo a maneira como você escreveu todas as personagens, tá perfeito mesmo!
avatar
MaaSi

Mensagens : 10
Pontos : 1484
Data de inscrição : 08/07/2013
Idade : 21
Localização : Mystic Falls

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Jul 17, 2013 9:33 am

MaaSi escreveu:OH MEU DEUS EU AMO ESTA FIC

Como sou nova aqui no fórum só a descobri hoje e omg adorei adorei aDOREI

Amei mesmo a maneira como você escreveu todas as personagens, tá perfeito mesmo!
Hey obrigadaaaaaaaa MaaSi!
Fico super feliz em saber que tem pessoas gostando da minha fanfic *-*
Seja super bem vinda ao fórum então! Espero que se divirta aqui. Beijos

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Jul 17, 2013 9:36 am

Capitulo Final
A agua estava tão gelada que os poros da minha pele pareciam estar entrando em choque. Eu tentava encontrar alguma saída daquele avião antes que a bomba explodisse e meu ar acabasse. Mesmo possuindo meu DNA de anfíbio que me permitia viver em ambiente aquático e terrestre, eu não poderia ficar o tempo todo submersa. Não era capaz de encontrar uma saída já que o desespero começava a atrapalhar. Olhei para a caixa prateada com um relógio digital na parte superior. Restava-me apenas dois minutos antes de me tudo se tornar apenas um pedaço de metal imergido na agua. Minha roupa já estava toda rasgada e meu corpo coberto por hematomas e cortes, já que acabava me batendo nos objetos que estavam espalhados pelo jato.

Um raio azul e brilhante cortou a agua causando bolhas que se podiam ser vistas pela janela quebrada. Eu poderia tentar sair por ali, porem era muito provável que eu ficaria trancada pela cintura, já que minha silhueta não era tão pequena quanto aquele buraco. Aproximei meu rosto dela, tentando ter a vista do que estava acontecendo lá fora, para a agua ter uma grande agitação. Não era uma nítida visão, mas eu poderia jurar que uma coisa muito grande se movia acima de onde eu estava. Talvez fosse um resgaste, ou até mesmo um navio cruzeiro ou pesqueiro.

Iniciei uma grande algazarra dentro daquele jato, batendo e tentando produzir barulho para que alguém me ouvisse. Atirei coisas que pudessem flutuar no mar, para chamar a atenção deles, pela janela quebrada. Ainda me restava um minuto e meio até a bomba explodir e eu lutaria até não poder mais. A única coisa que passava por minha cabeça nesse instante, era o pedido de casamento que Steve me fizera minutos antes de entrar naquela armadilha mortal. Responder “não” deveria ter sido a coisa mais sensata que já fizera em toda minha vida, pois as chances de sobreviver pareciam mínimas. Agora, que estou trancada aqui, sem conseguir encontrar uma saída, as chances não parecem nem existir.

Todos que eu amava e zelava em minha vida, agora deveriam estar sofrendo por minha morte. Ou ainda nem deveriam ter o consentimento do que aconteceu comigo. O que Elizabeth iria dizer as crianças? Que eu estava em uma longa viagem de negócios, que provavelmente não poderia visita-los tão cedo, pois o trabalho não permitiria. Quando eles crescessem e fossem capazes de entender, ela os contaria o que realmente havia acontecido com a tia.

A raiva de não ter podido jogar a bomba quando o avião ainda estava no ar, martelou nauseante em minha mente. Se qualquer compartimento do jato fosse aberto quando este ainda tivesse no ar, todas as coisas seriam sugadas sendo arremessadas para fora do avião. Incluindo a mim que cairia junto com a bomba, não sobrevivendo à queda a corpo puro. Ficar dentro da cabine, era minha única solução.

Outro raio como o anterior cortou a agua, mas dessa vez atingindo em cheio o avião. Com o impacto meu corpo foi lançado para trás, com sorte não me fazendo bater a cabeça em nada. Nadei o mais rápido que minhas pernas exaustas me permitiam. Eu já estava a alguns metros acima do jato quando o bipe dos cinco segundo restantes da bomba, começou a soar alto. Continuei a nadar mais rapidamente, mas meus pulmões já estavam se comprimindo e necessitando de folego. Era como se alguém viesse lentamente e estivesse colocando uma almofada em suas narinas, tampando sua respiração. Um estrondo e vários pedaços do avião se espalharam junto com a explosão, deixando a agua extremamente quente. Meu corpo foi levado para o fundo novamente, quando a chama me atingiu, queimando minha pele.

Precisava de ar e agora estava mais distante da margem, mais longe do oxigênio e mais perto da morte. Meus olhos se fecharam lentamente, vencidos pelo cansaço. Tentei puxar o ar, mas apenas a agua entrou em meus pulmões. Afinal, meu DNA como humana prevaleceu nesse momento. Eu não poderia suportar tanto tempo longe do ambiente terrestre. Eu estava sendo levada para mais fundo ainda, minhas pernas batiam mais. Em poucos segundos, muito menos meu coração estaria batendo.

Senti meu peito queimar. Não devido à explosão, mas sim pelo meu próprio colar. O pingente que Loki havia me dado brilhava intensamente, iluminando parte do lugar onde meu corpo estava caindo. Obriguei meus olhos a ficarem abertos até o último minuto. Se o ambiente me permitisse, eu teria arfado ao ver dois mergulhadores vindo em minha direção. Estavam distante demais, por mais que eles quisessem ajudar, seria praticamente inútil. Engoli um ultimo gole de água, que fez minha cabeça girar e tudo escurecer.

[...]

Acordei sentindo forte pressão no peito, logo em seguida meus lábios sendo esmagados. Afastei quem me fazia à respiração boca-a-boca, cuspindo a agua que veio do fundo de meus pulmões. Tossi tudo que estava vindo, olhando para o chão que era feito de uma madeira clara e lisa. O barulho do motor chegou aos meus ouvidos, assim que a agua se dissipou deles. Um barco. Voltei a olhar para o homem que me trouxera a vida, ele usava um jaleco branco, típico em médicos, cientistas...

–Pensei que teríamos mais um Vingador que iria dormir com os peixes durante um longo tempo. – A voz sarcástica e forte de Loki, me fez ter um sobressalto. Ali estava ele, em pé ao meu lado, segurando seu cetro e trajando aquela roupa verde esquisita.

–Como me achou? – Perguntei. Foi quase um sussurro, já que minha voz estava fraca e debilitada.

–Seu colar é um pequeno fragmento do meu cetro, ele estava sendo localizado desde o momento em que você entrou naquele avião. Não foi difícil achar você, já que eu já fazia ideia de onde o avião poderia cair. – Eu estava confusa, como ele poderia saber de uma coisa daquelas? – Deixe-me explicar melhor... Eu planejei tudo. Desde o ataque em Asgard em que você me libertaria daquela prisão na S.H.I.E.L.D, assim eu ganharia sua confiança aos poucos até pedir meu cetro de volta, até o sequestro do Governador que precisaria da ajuda de um Vingador.

Tudo pareceu transcorrer lentamente. A explicação dele pareceu não querer entrar em minha cabeça, pois eu não queria que fosse verdade.

–Essa foi a parte mais vulnerável do meu plano. Qualquer um de vocês poderia ter aceitado ir nessa missão, mas você facilitou tudo querendo provar que é uma heroína. Obrigada por deixar tudo tão simples. – Ele me deu as costas e voltou para um lugar em que eu não pude ver o que era, já que o homem de jaleco branco injetou algo em mim me fazendo ficar com mais vontade de adormecer a cada momento. Dei uma ultima olhada em seus olhos, que estavam em um azul descomunal. Lembrei-me do que Clint havia dito sobre como se podia identificar uma pessoa quando estava hipnotizada pelo cetro de Loki.

O antigo Deus da trapaça estava de volta, sendo que na verdade ele jamais se foi.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Nanda em Qua Jul 17, 2013 9:46 am

Pessoal, esse é o fim da primeira temporada!
Como não ouve muitas páginas no tópico, vou postar a segunda aqui mesmo. Apenas para evitar muita confusão, mas saibam que o nome da segunda é Beast - Enemy.
Até o próximo pessoal.

_________________
Mutante e Orgulhoso...
avatar
Nanda
Admin

Mensagens : 1014
Pontos : 6561
Data de inscrição : 13/07/2011
Idade : 19
Localização : S.H.I.E.L.D

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Beast

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum